banner pneufree.com

22 de Junho de 1993

Apos passar pela imigração da Ilha, seguimos para o hotel (distante 20 minutos de carro do aeroporto). É um hotel bastante simples, estilo pousada. A água na torneira é quase “salobra”, tem um gosto meio salgado.

Acordei as 8:00hs (07:00 GMT) e ao sair do quarto, a surpresa: A ilha é um paraíso!
Toda a escuridão que eu vi a noite se transformou em areias claras e água azul límpida.
Acho que devido ao difícil acesso esta tudo deserto, na faixa de praia inteira tem apenas um sujeito atirando com arco e flecha em um alvo, e vários veleiros numa baia próxima.

Tirei varias fotos e o que mais me impressionou foi sem duvida a cor da água, muito mais transparente e azul do que em Natal.
Juntei-me ao resto da tripulação e fomos tomar café (o pessoal da ilha fala português, pois são açorianos, mas eu não entendo nada, me comunico em inglês). O café foi simples também (de frutas so tinha banana, maçã e laranja), e eu tomei um suco que não consegui descobrir o sabor, mas era delicioso.

Seguimos para o aeroporto em seguida, nem deu para descansar. No caminho deu para ver como a ilha é deserta, e tem vários bancos de areia (dunas). O motorista disse que essas dunas (e a ilha inteira) foram formadas pela areia que vem do deserto do Saara.
Passamos pelos procedimentos de alfândega e decolamos as 10:50hs (hora local). Chegaremos em Abdjan (Costa do Marfim) à noite para uma escala técnica e logo em seguida prosseguiremos para Kinshasa.

Pousamos em Abdjan à noite e com muita chuva.
Quando eu abri a porta do avião, tive o primeiro contato com o cheiro da África. É um cheiro diferente. Tinha milhares de mariposas gigantes voando em volta dos postes de iluminação do aeroporto.

Houve problemas com o abastecimento, com LPU e com GPU por que o pessoal é mercenário. Um rapaz veio a bordo e me pediu dinheiro, eu disse que só tinha dinheiro brasileiro e isso não valia nada por lá, mas mesmo assim ele quis, e eu dei Cr$ 2.000 já que ele não sabia o valor mesmo.

Decolamos depois de 2 horas em Abdjan e tínhamos mais 5 horas de vôo pela frente.

Tags: ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
banner livro
Topo