banner livro

23 de Outubro, dia do Aviador

PR-AYY em 23 de Outubro de 2013

PR-AYY em 23 de Outubro de 2013

23 de Outubro de 2013, cento e sete anos se passaram após a façanha de Alberto Santos Dumont.

Um dia, muito além do aviador, um dia que mudou o rumo da humanidade.

Hoje voei o trecho CNF-SDU-CNF e nesta primeira etapa escrevi este artigo.

Para minha satisfação, o avião a efetuar o voo foi o Embraer 195 PR-AYY da Azul, gosto muito de suas cores que me lembram diretamente dois amores: VASP e CRUZEIRO. Em 50 minutos estava no Rio e aí que está toda revolução. Recordo bem em 2002 ter feito com um colega um voo de Porto Seguro até Teixeira de Freitas em um Corisco, 45 minutos de voo para ir, 7 horas de onibus para voltar! Esta para mim é a grande revolução do avião, o encurtar o tempo entre as distâncias.

A obra de Alberto vai além. Mais do que encurtar distâncias e unir pessoas, os aviões criaram uma industria apaixonante que faz com que grande parte dos profissionais envolvidos sejam apaixonados e loucos pelo seu trabalho. Reúne pessoas das mais variadas atividades. Quantos blogueiros, DJs, mecânicos de avião como o Lito você conhece? Já conheci piloto de avião que é professor de marketing e corredor de rally! E um comissário ex-goleiro de futebol. E um tecladista sertanejo que virou piloto. Tudo isso em 12 anos eu vi!

Hoje trabalho com a obra de Alberto de forma curiosa, avião francês, como a terra onde ele desenvolveu a ideia, em seu País natal e voando um avião Brasileiro! Será que ele imaginou isso?

Aproveito o dia de hoje para sugerir 3 ações caso não tenha feito ainda:
1- Leia “O que eu vi, o que nós veremos” livro de autoria de Alberto.
2- Vá ao Museu Aeroespacial no Campo dos Afonsos – RJ
3- Por fim vá a Fazenda Cabangu em Santos-Dumont, MG.

Com certeza gostará das três dicas.

Feliz 23 de Outubro a todos nós e também aos aviadores, donos do dia e que têm o privilegio de encurtar distâncias e unir pessoas utilizando-se da ferramenta nascida neste dia e que tanto amamos: o avião.

Tags: ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
Topo