banner ad

A Embraer entregou 1100 Jatos Executivos. Não é para qualquer um.

A Embraer entregou o seu 1.100° jato executivo em Melbourne nos Estados Unidos, no dia 4 de maio de 2017. A aeronave comemorativa foi um Phenom 300, o modelo executivo mais vendido da indústria, e foi recebido pela americana NetJets, a maior empresa de aviação executiva do mundo.

A Embraer atingiu os quatro dígitos de jatos executivos entregues em um período de tempo impressionantemente curto. Nós estamos comprometidos em entregar o máximo de valor para os nossos clientes, com produtos superiores que oferecem uma combinação única de conforto, desempenho e baixo custo operacional. Tudo isso combinado com uma experiência de viagem ímpar e o melhor suporte ao cliente da indústriaMichael Amalfitano, Presidente & CEO da Embraer Aviação Executiva
A Embraer entregou seu primeiro jato executivo em 2002, sete anos após a privatização, um crescimento respeitável. Hoje conta com uma fatia de 18% do Mercado Global em mais de 70 Países. Já escrevi aqui como é feita a entrega de um jato executivo do outro lado do mundo.

A empresa é um alento quando falamos do Brasil. Competindo em um mercado feroz, de alto padrão e extremamente regulamentado, consegue um crescimento deste porte. E pensar que na época em que foi privatizada houve uma grande reação por parte de vários partidos e sindicatos.

Em 1994 amargava prejuízos da ordem de R$ 345 milhões. Menos de 10 anos depois já era a terceira maior fabricante de aviões com lucro de mais de R$ 600 milhões. No dia da privatização, em 1994, Ozires Silva disse assim:

“Na mão da iniciativa privada, a empresa terá mais chances e liberdade para crescer”

Alguém hoje duvida que ele tinha razão?

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
  • Thiago Garcia de Lima

    E se ainda fosse estatal?

    O engraçado é que comentei antes mesmo de ler o texto e voltei aqui para editar pois falava justamente da privatização kkk

    • ADAM ROCKERFELT

      Se depender do Ciro Matadô Gomes, ele estatiza tudo novamente.

    • Joao Batista Silva

      Si !! Estatal coitada….

  • ADAM ROCKERFELT

    Parabéns a EMBRAER, que continue trilhando este caminho vitorioso.

    Agora esta frase aqui me levantou um questionamento.

    [b] “Competindo em um mercado feroz, de alto padrão e extremamente regulamentado”[/b]

    Tenho curiosidade para saber como os anarcocapitalistas propõem o sistema aéreo. Quem regulamentaria? As próprias empresas? As regras de segurança para homologar uma aeronave nova seriam fiscalizadas ou ditadas por quem?

  • João Teixeira

    Compartilho com todos os brasileiros os sucessos alcançados em vários níveis pela prestigiosa Embraer.
    Apenas gostaria de lembrar que no período mencionado pelo autor o BNDES desembolsou cerca de 8 bilhões de dólares nessa empresa.

  • Joao Batista Silva

    Feliz e triste ao mesmo tempo ; feliz pela Embraer orgulho de Brasil ; e triste pela Petrobrás que era orgulho de Brasil , porque deixaram estes bandidos políticos levarem a destruição.

  • Giuliano Rufino

    Olha…as esquerdas lançaram até livro demonizando as privatizações, agora sabemos porque né, independente se alguém levou “algum” nesse processo, é evidente que foi o melhor caminho…aliás, nos que estamos usando as redes sociais para comentar, postar, ver vídeos, imaginem se as teles ainda fossem estatais???, meu Deus…os Norte Coreanos estariam mais conectados que nós, no mais a Embraer e o maior orgulho desse país, e até os gringos se espantam né, pois se fosse fácil projetar e construir um avião, muitos países de primeiro mundo o fariam. E um país “exótico” do 3°mundo tem o 3°fabricante mundial.

    • Eu não gosto de debates simplistas, então vou apenas lembrar duas coisas en passant: 1) A Petrobras é um exemplo de empresa estatal que não apenas se tornou uma das maiores do mundo em seu setor, como inclusive domina a tecnologia de exploração de petróleo em águas profundas. Ser estatal não impediu que ela incorporasse tecnologia, assim como não impediria que operadoras de telefonia estatais (ou qualquer outro tipo de empresa estatal) absorvessem tecnologia. Se a Petrobras está no cerne de um problema envolvendo corrupção isso é outra coisa — que inclusive atinge empresas privadas (estão aí JBS, OAS, Odebrecht, Andrade Gutierrez, bancos e muitas outras). Aliás Paulo Francis já tinha denunciado a corrupção na Petrobras em 1996, mas por motivos que só a História explica naquela época deu em nada. Ou melhor: deu na morte do Francis, que ameaçado por centenas de processos teve que recuar nas denúncias e entrou em depressão profunda. 2) A Embraer é um orgulho, sim. Só que também é uma empresa que joga o jogo de todas as grandes empresas — tanto que no ano passado fechou acordo de US$ 206 milhões com a Justiça americana para os promotores de lá encerrarem um processo onde a empresa era acusada de suborno, de pagar propina. Não existe empresa santa. Nem estatal, nem privada. Na verdade o que eu aprendi como fiscal tributário é que há muito mais corruptos na sociedade civil do que na vida pública. E isso nem é exclusividade nossa, porque estão aí Boeing, Airbus e Bombardier, por exemplo, degladiando-se na OMC por causa de subsídios governamentais, onde cada uma acusa a outra de ter recebido bilhões de dólares em benesses.

      • ochateador

        Sobre o ponto 1.
        O que faz uma estatal ser grande ou pequena são seus funcionários.

  • Sua gatinha trabalhou bastante, Lito.

  • roque

    Lito faz um vídeo mostrando outras fabricantes de avião que existem pelo mundo… obrigado

  • Joel Gayeski

    Sem dúvida é uma marca respeitável, realmente impressionante.
    Imagina se nosso Brasil varonil fosse um lugar mais fácil de ter uma empresa e fazê-la crescer.

Topo