banner livro

A Portela, os drones, os balões, as pipas

Drone da Portela - (Foto: Sergio Moraes/Reuters)

Drone da Portela – (Foto: Sergio Moraes/Reuters)

O G1 noticiou que a ANAC iria notificar a escola de samba da Portela por ter usado drones e paraquedistas em seu desfile sem autorização.

A ANAC pode não estar errada amiguinhos.

A proliferação no uso de drones é algo relativamente novo e portanto “ainda” sem um controle específico, já que normas e regulamentos precisam “correr atrás” para se adequarem a novas tecnologias. Desde 2013 o Brasil analisa regras de como regulamentar o setor.

Aliás, o Brasil estava na liderança do uso de drones de maneira comercial em 2013, e provavelmente continua o mesmo cenário, então não é de se estranhar que a ANAC possua regulamentos até um pouco mais avançados nesta área do que a própria FAA americana.

E lembrando que justamente por falta de regulamentos específicos, há algumas semanas na final do no Superbowl, a FAA baniu TODOS os drones do espaço aéreo ao redor do estádio por um raio de 30 milhas! Obviamente uma resolução draconiana que gerou inúmeras críticas. Na Austrália, postar vídeos no Youtube feitos com drones podem dar multa.

Consta na matéria do G1/RGT (RGT é aquela rede nacional de TV que chama o RedBull Brasil de “RB Brasil”, e o Twitter de microblog) que a Portela solicitou informações à ANAC antes do desfile, mas não solicitou a autorização para o uso dos drones em área de alta concentração de pessoas, por isso a notificação.

É claro que a sociedade não quer o banimento dos drones, mas os interessados devem participar na formulação das regras que definirão o futuro no uso dos RPA (Remote Piloted Aircrafts, pomposa definição), inclusive a própria IS Nº 21-002 (instrução Suplementar) contempla isto em seus parágrafos iniciais:

“é vital que os regulamentos evoluam com os desenvolvimentos tecnológicos na área, sem perder o foco nos assuntos de segurança de voo relacionados à operação simultânea de aeronaves tripuladas e não tripuladas. Pretende-se que esta IS seja constantemente avaliada e revista, para lidar com os avanços da tecnologia, experiência da indústria, reconhecimento de melhores práticas e mudanças nos regulamentos que sejam desenvolvidos para satisfazer essas demandas”

Claro que precisamos melhorar muito em matéria de comunicação a respeito do assunto, o site do DECEA – Departamento do Controle do Espaço Aéreo– por exemplo, dá erro 404 justamente na hora de entender melhor sobre autorizações para o uso de drones.

Acho importante que se controle sim o uso dos drones, principalmente no Brasil onde já tivemos um número enorme de fatalidades causadas por cerol em linha de pipa, e todos os anos nos meses de Junho e Julho vemos a aviação ser ameaçada por balões e suas cangalhas.

Segurança em primeiro lugar.

E vocês, o que acham? Argumentos de que a ANAC tem mais coisas pra se preocupar do que drones de águia não valem, pois é a mesma coisa que o Deputado Fábio Garcia dizendo que “não devemos explorar o espaço porque precisamos de saúde, segurança e educação”.

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo