banner ad

A tecnologia dos aviões nos carros de passeio

Além de aviões e de músicas, sempre gostei de carros. Não sou daqueles fanáticos, que sabem tudo sobre os modelos ou daqueles que tunam, longe disso. Mas moro em São Paulo, passo muito mais tempo do que o aceitável dentro de um veículo, então tenho que me sentir bem nele.

Uso carros com cambio automático desde 2009, o primeiro foi um Focus Sedã. Depois mudei pro Focus Hatch, também automático, sempre com motorização 2.0, que para mim é um fator decisivo. Depois, quando fui trocar por outro Focus, achei os preços da Ford meio salgados em relação ao Hyundai i30 e acabei saindo da marca, mais por uma questão de custo benefício do que por não gostar. Fiquei 2 anos com o i30 e depois mudei para o Mitsubishi Lancer, já que o i30 cometeu o pecado de rebaixar a cilindrada de seus motores sem oferecer outra opção.

Gostei do Lancer com câmbio CVT e borboletas no volante, mas achei o veículo muito pobre em acabamento e tecnologia embarcada, embora o motor seja muito bom. E então, em uma de minhas viagens a serviço aos Estados Unidos, acabei alugando um Ford Focus e fiquei positivamente impressionado com a tecnologia de conexão por voz da central multimídia e a resposta do motor, curiosamente melhor do que o do Lancer, já que o modelo da Mitsubishi possui justamente o apelo esportivo.

Fiquei matutando e quando surgiu a chance de trocar de carro no final do ano passado, resolvi fazer um test drive no Focus brasileiro, e descobri ser igual ao americano – a Ford resolveu fazer um modelo mundial do carro. Acabei vendendo o Lancer e retornei ao Focus.

Pois bem, mas o papo é tecnologia. Outro dia, indo para o trabalho, acendeu um aviso no painel para “verificar a pressão dos pneus” e eu pensei: ué? Como o carro sabe a pressão dos pneus? Isso aqui não é um Boeing 787 que tem sensores remotos de pressão em cada roda.
Parei no posto de gasolina e batata, uma das rodas estava com pressão baixa. Calibrei todas, mas não consegui apagar a mensagem do painel seguindo os passos no menu, e só depois que encontrei a informação no manual de que o carro precisava estar PARADO para cancelar o aviso. Aí fiquei mais curioso para descobrir o porquê.

Sei que existem maneiras de monitorar a pressão de pneus, com um sensor no bico de abastecimento de ar e um transmissor de rádio frequência acoplado, mas não tem isso no meu Focus, e então saquei que os engenheiros usaram um método muito mais inteligente. Como o carro possui controle de tração e ABS, existe um módulo que monitora a velocidade de cada roda – isso foi tecnologia emprestada do sistema de Anti-Skid da aviação. Ora, uma vez que todas as rodas possuem a mesma pressão, teoricamente elas possuem o mesmo diâmetro certo? Se possuem o mesmo diâmetro, quando em linha reta terão a mesma velocidade, a menos que alguma delas esteja com a pressão menor, o que fará com que seu diâmetro diminua e sua velocidade aumente para que o carro se mantenha em linha reta. Ao atingir um determinado valor de diferença de velocidade entre as rodas, o módulo gera uma mensagem que aparece na tela do painel. E a mensagem só pode ser apagada após calibrar todas as rodas e com o carro parado, para que o módulo possa armazenar o “novo diâmetro” de todas as rodas.

Achei uma puta sacada dos engenheiros e já encontrei outras artimanhas embutidas no projeto do carro, fiquei feliz. E cá pra nós, a Ford já construiu aviões, então é só incorporar os conceitos.

A segurança passiva foi uma das áreas que mais melhoraram nos veículos de última geração, e acho legal montadoras como a Ford tornar essas novas tecnologias mais acessíveis para o mercado. A engenharia tá de parabéns por criar esses sistemas de alertas ao motorista e se antecipando a situações em que no passado ficava a cargo só do motorista. E quando dependemos só do ser humano, já viu né…

Sou um defensor de tecnologia para aumentar a segurança, e quanto mais a indústria de carros incorporar o desenvolvimento da indústria aeronáutica, mais chances teremos de ver o número de acidentes e mortes diminuírem no trânsito.

Agora já tô de olho é no novo Focus com frente estilo Fusion, olha que belezinha, sai esse ano :)

focus

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
  • André Gonçalves

    Eu tenho um Focus Guia 2009 também top de linha com tudo que tem direito e sempre fui fã dos carros da Ford justamente pela tecnologia embarcada neles. O modelo 2013 Titanium tinha Anti-skid eu não se esse também tem ;)

  • Olha só… muito interessante… e haja troca de carro hein rsrs… aquele Focus hatch eu sou apaixonado, pena que ainda é caro, mesmo de “second hand”.

  • OLucasConrado

    Meu pai tem um Chevrolet Captiva. Um dia, a gente estava na estrada voltando de Minas e ele estava me contando sobre as tecnologias do carro. O veículo tem um computador de bordo que calcula quanta tração vai dar para as rodas em cada curva. Levando em consideração a velocidade e o ângulo da curva. Tem também auxílio de freio, entre outras tecnologias que eu nem imaginava que um carro teria.

    Me senti voando no cockpit de um Airbus! E, depois de ler o Perda Total e ter uma noção de como o controle de potência da aeronave funciona, me senti ainda mais num Airbus quando ando no Captiva.

    • Gomba

      Os carros mais modernos tem controle de tração usando os freios pra diminuir a rotação de tal roda pra que não haja derrapagem. Alguns poucos tem um que diminui a tração em sí. (normalmente 4×4 de ponta, tipo os audi quattro ou o mercedes class G) A Captiva tem o 1o sistema.

      • OLucasConrado

        Ah, era isso, então. Tem algum tempo que ele explicou, não lembrava direiti como era! Valeu pela explicação/correção! =)

  • Alvaro Carneiro

    Tive um serie 3 ano 2009 que tinha este sistema, detectava a pressao dos pneus fazendo o mesmo tipo de medição, da velocidade em cada roda. É bacana, funciona bem.

    Agora tem muita tecnologia boas nos carros, vi outro serie 3 que ajusta a altura dos farois automaticamente, de acordo com o tráfego a frente, para nao ofuscar ninguem etc.

    E para piorar, muitos recursos existem nos carros e sao bloqueados via software. Se voce pagar o recurso é liberado. Exemplo no serie 3, veio bluetooth sem streaming de audio, teria que pagar a parte. Mas aí voce baixa um software, liga na centralina com um cabo ethernet e muda a programação, habilitando o streaming via bluetooth que a bmw cobra um dinheiro.

    Ao olhar todas as opcoes possiveis de configuraçao da centralina, dá para ver que é possivel determinar quantos mililitros de agua o limpador de vidro vai usar a cada esguichada – o computador do carro controla simplesmente tudo.

    realmente chegou em um nivel que nao imaginava.

  • Rids

    Lito, me senti um dinossauro. Gosto muito de aviões e tudo o que tem a ver com eles. Mas pra dirigir, nada melhor do que meu antigo Opala de Luxo 1970 Amarelo Azteca com câmbio manual de 3 marchas no volante e freios a tambor nas 4 rodas. Mas ele tinha diferencial positivo original, coisa que muito carro com tração traseira atual não tem…

  • Gomba

    Sobre o Lancer, o 2.0 16v CVT, comparado aos seus concorrentes diretos: Civic, Sentra e Corolla é incrível. Melhor custo benefício na categoria ‘sedans de tiozão’ do mercado nacional.

    De fato o CVT desanima na hora de dirigir. Você olha pro Lancer e imagina um carro nervoso. O manual é até um pouco melhor, mas ainda assim você espera mais do conjunto. Pelo menos o GT nacional podia ter o 2.4 do americano. Acho que ia valorizar bastante o carro, inclusive na questão de mercado.

    Comparando com o Lancer, esse Focus 2.0 é muito muito muito mais esperto e rápido, começando pelo motor que tem 20cv a mais e uma curva de torque e potência mais favorável, e terminando no cambio automatizado de dupla embreagem, que tem a proposta completamente diferente do CVT. Parabéns pela escolha.

    E bom, se você tiver uns 220mil reais sobrando e ainda tiver paciência pro Mitsubishi, experimenta o Lancer evo x: 295cv, quase 40kgfm de torque, tração integral. Absurdo de bom. E de caro.

  • André Baptista

    Essa tecnologia de monitorar pressão do pneu pelo sensor de rotação do ABS já tem algum tempo. A VW pelo que eu lembre tem nos modelos top há uns 10 anos.

    É uma sacada muito inteligente, já que usa sensores que já existem pra uma função nova.

  • Eduardo Cavalieri

    Lito, nao se esqueca de calibrar os pneus uma vez por semana hehehhe.

    • Calibro toda vez que abasteço, a cada 5 dias. Esse caso ai foi prego mesmo :(

  • Volvo v70 sleeper

    Falando em sistemas eletrônicos, o novo Acura nsx tem um sistema de vetoramento de torque que faz ele simplesmente devorar curvas, acho muito interessante este intercâmbio de tecnologia entre os meios de transporte!

  • Fabio Malvar

    Será que é diferente do Fusion? Pq nele o que mede a pressão dos pneus é um sensor quadrado que fica preso ao bico, pela parte de dentro da roda.. Agora como transmite a informação para a central do carro eu desconheço. hehehehe

  • chadefita

    OFF: Acho que é minha primeira vez comentando aqui nesse blog, queria agradecer o trabalho do pessoal deste site. Li vários posts em questão de horas e quando mais eu lia, mais eu lia², fiquei viciado nesse blog, obrigado pelo conhecimento compartilhado, continuem assim, não parem com as postagens no YT porque ajuda muito na faculdade ( Controle e Automação ).

    Valeu!

  • Pedro Medeiros

    Hoje em dia a eletrônica embarcada é tamanha que, dotado dos mesmos sensores usados em outros modelos, as próximas gerações de BMW Série 7 e Audi A8 serão capazes de estacionar e dirigir, respectivamente, de forma autônoma.

    Claro que ainda não estamos falando de um “piloto automático” completo. No BMW o Park Assist pode ser feito com o motorista do lado de fora do carro (ao contrário da concorrência, que exige a presença do condutor), mas exige que ele mantenha o botão do controle pressionado enquanto o carro faz a manobra sozinho.

    Já o A8 conseguirá dirigir de forma autônoma em vias expressas, a até 80 km/h, graças a mimos como radar frontal, sensores dianteiro, laterais e traseiros e integração com GPS/GLONASS.

    Pena que muita coisa ainda está distante de nós por pura ganância das fabricantes. Modelos como Hyundai Azera, Ford Fiesta e VW Up contam, no exterior, com sistemas como controlador de velocidade adaptativo (Azera) e sistema de frenagem automática a até 30 km/h (Fiesta/Up), mas no Brasil devem receber tais equipamentos apenas quando convir à fabricante ou seus rivais se sobressaírem no mercado.

    É uma pena, mas é uma das benesses do livre capitalismo…

  • edinho

    engraçado, quando eu tinha um opala 4100 4 portas vermelho courvin preto radio toca fitas TKR cara preta e amplificador cashbox de 20 watts achava o máximo, sabe porque? Porque todos os problemas que apareciam no carro era eu o sensor de freio, temperatura, pressão dos pneus e até da suspensão.
    viva a tecnologia.

    • paulo hoffmann

      hahahaa pode crer edinho…. mas eu ainda conservo o meu opala diplomata 1990 aqui paradinho… tbm gosto de modernidade, mas nao abro mao dos classicos… adoro pisar fundo nas curvas e sentir que o controle de tração é o BRAÇO kkkkkkkk

  • Rodrigo R

    Lito

    OFF:Interessante! Hoje tenho 15 anos e eu desde os meus 2 anos de idade sempre tive interesse em avião e principalmente comercias, mas nos últimos tempos virei um fanático por carros (da aqueles bem viciados), sei muito mais sobre carros do que avião, fiquei muito contente em ter descoberto o seu canal no YouTube e parabéns pela qualidade dos seus videos.

    Se você ficou “impressionado” com o aviso do focus, quando tiver um tempo pesquise sobre a nova Mercedes Class S, Audi A8, BMW Serie 7, esses carros são os que possuem todas as novas tecnologias pra depois ao longo dos anos serem distribuidas as modelos mas “basicos” como Class C, A4, Serie 3. Tanto que uma Mercedes Class C hoje é como uma S dos anos 90.

    Abraço!

    • E pensar que o único carro que tive até hoje foi um Opala 1972 que não tinha nem pisca-alerta, porque não existia isso na época em que ele foi fabricado (e quando se tornou obrigatório, quem tinha carro mais antigo não era obrigado a pôr). Nos idos de 1996, viajei aos EUA a trabalho, o pessoal alugou uma van poderosa da Ford e já achei bruxaria o carro apitar e não dar a partida se houvesse algum passageiro sem cinto de segurança… Não dou conta dessas coisas “mudéhhhnas”, não…

      • Rodrigo R

        Esses carros mais top como a Class S tem tenta coisa nela que se fosse listar todos os sistemas dela eu ia usar 1 pagina inteira e capaz de esquecer alguma coisa, por exemplo ela tem um sistema “anti” turbulência, sabe quando na estrada tem aquele vento lateral e você abre os vidros? Pois é ela tem varios sensores que fazem com que endurece os amortecedores deixando o carro mais estável, sem falar das frescuras que tem como o “sugador” de pum, os bancos tem furos que não só como joga o ar do ar condicionado com ele puxa, mas queria saber pra onde ele joga esse ar!

  • Você recomendaria o Focus como sedã médio hoje Lito? Como vc disse que usa câmbio automático, presumo que você tenha um modelo com Powershift, que um divisor de opiniões no ramo automotivo. Gostaria de saber a sua opinião!

banner ad
Topo