banner livro

A última dança – Donna Summer 1948-2012

Ontem a música perdeu um pedaço.

Donna Summer se foi.

Era minha diva da adolescência. Quando me perguntavam quem eu mais gostava no mundo da música, a resposta vinha dos vários álbuns que meu irmão mais velho tinha da Donna.
Meu caderno de escola, onde estudei aviação, tinha fotos de Donna Summer coladas na capa.

Há 5 anos consegui comprar no E-Bay o single em vinil com a música que mais gosto dela: “Try Me… I Know… We Can make It” que guardo como tesouro (na barra inferior do blog tem um ícone amarelo do GrooveShark em que abre um player que dá para ouvir esta música que consta da minha playlist).

Capa de Try Me... 7 polegadas

Summer era a cantora mais popular nos Estados Unidos nos anos 70, lançando um sucesso atrás do outro como “I Feel Love,” “Love To Love You” e “Hot Stuff.” Somente os Bee Gees eram páreo na época, e ela acabou conhecida como a rainha da Disco – um título que nunca fez jus a toda a sua gama de influências (é só ouvir “Try me” ou “Dim all the lights” para perceber)

Foi a primeira artista a ter três álbuns duplos consecutivos alcançando a primeira posição da Bilboard e continuou fazendo sucesso até o início dos anos 80 com “She Works Hard For The Money” e “This Time I Know It’s For Real.”

Poderia ficar escrevendo a noite toda sobre Giorgio Moroder, a linha de baixo de I Feel Love, a ousadia, as mudanças de ritmo de Try Me, o piano de MacArthur’s Park…

Cheguei em casa tarde, mas tinha que gravar um set só com a Diva.

So long.

Download Mixtape – Tributo a Donna Summer

Tags:

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo