banner ad

Acidente com um Dash 8-400 em Kathmandu no Nepal

Um Bombardier Dash 8-400 (originalmente De Havilland) da empresa US-Bangla com matrícula S2-AGU que fazia o voo BS-211, estava na aproximação final para Kathmandu, no Nepal com 67 passageiros e 4 tripulantes quando a torre liberou o pouso para pista 02. A tripulação do Dash iniciou então uma curva para esquerda em direção à pista 20 (cabeceira oposta), quando a Torre interveio (ver carta do aeroporto abaixo):

_”Não curvem a esquerda para a pista 20, curvem a direita. Livre o pouso na pista 02″.
A tripulação solicitou então o pouso na pista 20 e a torre autorizou. Quando questionados se estavam avistando a pista 20, a tripulação respondeu
_”Negativo”.
A torre então perguntou se eles avistavam a pista 02, e eles responderam:
_”Afirmativo”.

Então a torre autorizou o pouso na pista 02 e não mais na 20. A aeronave impactou o terreno às 08h35Z (hora Zulu).

As aproximações para o aeroporto de Kathmandu são do tipo “Non Precision”, pois não há auxílios como ILS (sistema de pouso por instrumentos, como mostrado neste vídeo), e a área é cercada por terreno elevado como mostra a imagem do Google Earth. Em pousos de “não precisão”, a carga de trabalho aumenta no cockpit.

Montanhas em volta do aeroporto

As características de aproximação para pouso gravadas pelo FlightRadar 24 e as comunicações com a Torre de Controle supõe um tipo de acidente chamado de CFIT (controlled flight into terrain – voo controlado em direção ao solo) e Loss of Situational Awareness (perda de consciência situacional), evidências que somente o relatório Final do acidente indicará, além das medidas a serem tomadas para que nunca mais ocorra.

Perfil do voo pelo FR24

Enquanto o ano de 2017 foi o mais seguro de todos os tempos na aviação, 2018 já registra alguns acidentes com vítimas, como o Saratov na Rússia e o ATR da Aseman no Iran. Estes países afetados não possuem um bom histórico de segurança aérea.

Em relação à cobertura do acidente, como eu sempre digo, muita coisa deve ser ignorada, como o famoso “eu vi o avião em chamas antes de cair” – o entrevistado para qualquer jornal SEMPRE vê isso, e NUNCA é verdade.

Mas o que está acontecendo na aviação? A bruxa tá solta?

Não, está tudo como sempre foi. O fato da aviação estar negativamente presente nos noticiários diários não corresponde com a realidade dos fatos. Os gráficos continuam melhorando a cada ano.

Fonte do gráfico: ICAO
Fonte comunicação: AvHerald

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo