banner livro

Aerodinâmica, uma arte.

Aerodinâmica foi a minha matéria preferida na escola e é a parte da aviação que mais gosto. Não existe a aplicação prática em manutenção dos conhecimentos de aerodinâmica (muito pouco), essa área fica mais a cargo dos engenheiros e designers. E esses caras, assim como os engenheiros de carros de fórmula 1 são os caras! Kelly Johnson, um gênio criador da Lockheed costumava dizer que avião bonito voa bem, e se um avião é aerodinâmicamente bem desenhado, ele vai ser bonito. Um exemplo atual de eficiência da aplicação aerodinâmica é o Boeing 777.

Boeing 777

Uma das razões para o enorme sucesso desse avião é a constante melhoria de performance desde que foi lançado em 1995 (os dezesseis primeiros aviões foram entregues à United Airlines). Os primeiros modelos eram 777-200A, sem tanque central. Depois vieram os 200B com maior peso de decolagem e maior alcance. E em 2001 a Boieng lançou o Boeing 777-300, muito maior e mais econômico. No início do projeto a Boeing calculou que essa versão teria um alcance de 13,275km (7,175nm), mas durante os testes de vôo em 2003 as previsões foram superadas quando as novas raked wingtip mostraram um consumo de combustível 1.5% melhor do que o pesperado. Como se não bastasse, a distância de decolagem foi reduzida em 300 metros graças a um trem de pouso redesenhado, proteção de tail-strike e melhorias na performance de frenagem. O peso de decolagem subiu para 350.000Kg, 7000 kg a mais e o alcance pulou para 14.250 Km.

A Boeing, através dos engenheiros, criou kits para melhorar ainda mais o consumo de combustível (1,4%). Os kits incluíam vortex generators e mudanças no sistema de saída das ram-air. A Boieng calcula que para cada 1% de economia de combustível, aumenta 140KM no alcance ou 10 passageiros a mais ou 1090Kg de carga! Tudo isso só mexendo na aerodinâmica… é ou não uma arte?

O 777-300 continuou a amadurecer e melhorar a performance depois de entrar em serviço em 2004, e o alcance já chega a 14,670km. A propósito, o recorde de tempo de vôo e distância pertence a um 777, quebrado em 10 Novembro de 2005. O Vôo durou 22 horas e 42 minutos (a tripulação viu o sol nascer duas vezes).

E ele estará de volta em setembro pela United!! Vai ter muitas fotos por aqui do avião que mais gosto de trabalhar :)

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo