banner ad

Airbus A330-200 da Aerolíneas encontra turbulência severa sobre a Amazônia

Um Airbus A330-200 da Aerolíneas Argentinas que fazia o voo AR-1303 de Miami para Buenos Aires neste dia 18 de outubro, com 192 passageiros a bordo, encontrou forte turbulência próximo a Rio Branco, no Acre, enquanto fazia desvios de tempestades na área (imagem do FlightRadar24).
Houve desvio de altitude de até 60 metros durante o evento, e houve reportes de 10 passageiros com escoriações leves. O voo seguiu para Buenos Aires sem problemas, apesar da bagunça em que ficou a cabine de passageiros.

Desvios de tempestade na rota

Apesar de parecer que diversas partes do avião se “quebraram”, essas partes são apenas de acabamento interno e não são estruturais.

E não tem perigo do avião quebrar?

A estrutura de uma aeronave é projetada para suportar níveis elevados de carga estrutural, muito acima do que uma turbulência severa como essa ocasiona. Ao encontrar esse tipo de turbulência, os pilotos reportam para a manutenção, que faz o download dos dados do computador de bordo dos níveis de Força G encontrados (Força da Gravidade) durante o evento e executa uma inspeção “faseada” na estrutura.

A primeira fase desta inspeção consiste em verificar determinados pontos na asa, pylon e fuselagem. Caso sejam encontradas discrepâncias, passa-se para a segunda fase, em que diversos painéis são abertos para outras verificações e possíveis reparos.

Em 90% das inspeções, não se passa da Fase 1 – o que atesta a rigidez estrutural das aeronaves.

E a máscara de oxigênio que caiu?

Máscara de oxigênio caída

As máscaras de oxigênio são mantidas em seu lugar por um sensível sistema de trava da porta do alojamento em que se encontra (como eu mostrei nesse link). Quando a fuselagem sofre solavancos fortes, é possível que a trava desta portinha se abra, e isso é normal. Não significa absolutamente que o avião despressurizou.

Se teve passageiro ferido, por que o voo seguiu para Buenos Aires?

A situação foi avaliada pela tripulação e pelos passageiros, como não havia risco, o voo prosseguiu.

Nunca é tarde para lembrar que, ao manter o seu cinto afivelado enquanto estiver sentado, a chance de se ferir em qualquer evento de turbulência é praticamente nula. O avião não se machuca em turbulência e você não deveria se machucar.

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo