banner livro

Aviação comercial na América do Sul – Argentina

Para ler a parte 1 da série, clique aqui.

Já na Argentina, o cenário é diversificado. São poucas empresas, algumas operam de forma regular e enfrentam o próprio Governo como concorrente e outras dedicam-se a serviços complementares de fretamentos corporativos. A massa comercial é desenvolvida por AEROLINEAS ARGENTINAS, AUSTRAL, ANDES, SOL, LAN ARGENTINA e LADE.

Aerolineas Argentinas

Aerolineas Argentinas

Seis empresas, três de propriedade do Governo local. A maior é a flag carrier Aerolineas Argentinas cuja frota inclui Airbus A340/A330, Boeing 737-700/800. A segunda maior empresa é a AUSTRAL, cuja frota foi padronizada com os modelos brasileiros EMBRAER 190, que fazem muitas rotas de menor densidade, aproveitando a versatilidade do E-Jet perante o 737 em alguns tipos de mercado. Na prática é uma empresa só, ainda que legalmente sejam distintas.

E-190 Austral

E-190 Austral

Ao fundo vem a LAN ARGENTINA, constantemente sendo acionada pelo Governo de diversas formas, em algo que parece bastante com ações intencionais afim de frear o competidor. A LAN Argentina opera neste país com aviões matriculados na Argentina, sendo três BOEING 767-300 e doze AIRBUS A320-233.

Andes

Andes

Correndo por fora tem a ANDES, sucessora natural da Dinar, que une SALTA a BUENOS AIRES e de lá chega até PUERTO MADRYN, utilizando uma frota de diversos MD80 de versões diferentes. Seu forte é a operação charter com a qual alcança Porto Seguro, Salvador, Florianópolis, Natal, Maceió, Rio de Janeiro e Caribe. Atualmente a ANDES possui quatro MD83, um MD82 e um MD87. Do outro lado está a Rosariana SOL LINEAS AEREAS que opera com os turbo hélices suecos SAAB 340 em cinco unidades com mais três encomendados, comenta-se que a SOL irá operar um par de CRJ200 ainda este ano.

SOL

SOL

A terceira estatal na jogada é o LADE, operando rotas praticamente em caráter social, unindo povoados distantes da Patagônia, chegando até Ushuaia. Sua frota compreende um FOKKER 28 (raridade), dois FOKKER 27, quatro SAAB 340 e sete DHC6 Twin Otter, além de Boeing 707 e C130 Hércules que eventualmente são recrutados em seus destinos. Para retirar os FOKKER 28 e FOKKER 27 a companhia prospecta incorporar BOEING 737-500.

O país do tango possui outros operadores aéreos como a AMERICAN JET que possui alguns METRO, DORNIER 228 e um ATR42-320. O METRO é um avião popular naquele país sendo a opção da FLYING AMERICA e BAIRES FLY. Outra avis rara para nós brasileiros é o BAE JETSTREAM JS31, opção então da MACAIR JET e por fim a TAPSA opera um único Twin Otter em sua frota.

Outora a Argentina foi um paraíso de aviões clássicos como o BOEING 737-200 e MD80, no entanto nos últimos anos a modernização varreu dos céus portenhos este tipo de aeronave, dando lugar a 737NG e E-Jets. No entanto, ver um Fokker 28 em atividade é raríssimo e temos lá!

LADE Fokker 28

LADE Fokker 28

Tags: , , , , , , , ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
Topo