banner ad

Aviões da VASP serão destruídos para vender como sucata

Quando você lê notícias como esta abaixo, não tem como não ficar indignado com o ridículo sistema judiciário brasileiro.

São décadas de papéis e recursos e instâncias e ninguém resolve ou decide nada. Da mesma maneira que um criminoso confesso passa 10 anos em liberdade, vemos aviões apodrecendo Brasil afora sem que nada possa ser feito, enquanto funcionários não recebem o que têm direito. Todo este dinheiro que virou sucata poderia ter sido usado para pagar todos de maneira justa, mas a palavra justa lembra justiça e justiça lembra judiciário e aí temos recursos infinitos e manobras infinitas para beneficiar alguns poucos em detrimento da maioria.

As coisas em geral no Brasil até têm evoluído nos últimos anos, menos o intocável sistema judiciário (e o aumento da criminalidade intimamente ligado a esse atraso em modificar o sistema). Todo este atraso contamina a população em todos os aspectos e ninguém tem respeito pelo outro nem no trânsito nem na morte por causa de 350 reias, afinal sempre é possível recorrer…
Vamos ver quanto tempo ainda vai demorar para a justiça aparecer por aqui…

A Renco Máquinas e Equipamentos São Paulo foi a empresa escolhida para executar as obras de corte e demolição do primeiro lote de seis aviões sucateados da extinta Vasp (2005), que estão em uma área de 180 m² do Aeroporto de Congonhas

Os trabalhos de demolição serão iniciados na próxima terça-feira, 23, e contará com a presença de autoridades Federais, no local.

Todo esse processo ocorre por conta do ‘Espaço Livre’, lançado em fevereiro deste ano, pelo Conselho Nacional de Justiça com o objetivo de remover dos aeroportos os aviões sob custódia judicial. Ao todo, são 119 aeronaves sucateadas no Brasil. Nenhum desses aviões tem condições de voo.
Da Vasp, são 27 em todo o país.

A Renco SP utilizará a demolição mecanizada com escavadeira e tesoura de corte e sucateamento.
De acordo com o diretor da Renco SP Anselmo D´Almeida, a tesoura de corte e sucateamento gera uma produtividade alta, o que permitirá transformar as carcaças dos aviões abandonados em sucatas que serão vendidas ao mercado.

Após a demolição as peças desmontadas serão leiloadas separadamente; por três vezes, a Justiça tentou leiloar as aeronaves inteiras, mas não houve interessados.

Também será uma maneira de a massa falida da Vasp, formada pelos funcionários e demais credores da companhia, economizar cerca de R$ 1.200 em diárias de estadia nos aeroportos brasileiros.
Segundo Scher Soares, presidente do Grupo Triunfo, do qual faz parte a empresa Renco SP, a demolição mecanizada e o sucateamento de materiais é uma das especialidades da empresa, que, além de aviões, realiza obras de corte, demolição e sucateamento de navios e containers. Ainda de acordo com Scher, uma das grandes obras em curso nesse momento é o corte e sucateamento de um navio em um estaleiro do Rio de Janeiro.

Fonte: Incorporativa

Tags:

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo