banner livro

Boeing 787, volta ao mundo em 42 horas e dois recordes quebrados

No dia 8 de Dezembro a Boeing estabeleceu dois recordes mundiais com o 787 Dreamliner: velocidade e distância percorrida para a classe de peso da aeronave.

Foto: Boeing

“Velocidade e alcance são fundamentais para o valor que o 787 trás ao mercado”, disse Scott Fancher, vice presidente e gerente geral do programa do 787. “Estes recordes são uma grande maneira de demonstrar que essa aeronave vai mudar o jogo conforme prometemos”.

O sexto 787, ZA006, propulsionado por motores General Electric GEnx decolaram de Boeing Field em Seattle as 11:02 da manhã em 6 de Dezembro e quebrou o recorde de distância na primeira perna para a classe de peso entre 440.000-550.000 libras percorrendo 10,710 milhas náuticas (19.835 km) em um voo até Dhaka, Bangladesh, com crédito para 19,144 km. Este recorde pertencia anteriormente ao Airbus A330 baseado em uma distância de 9,127 milhas (16.903 km) marcado em 2002.

Foto: Boeing

Depois de 2 horas parado em Dhaka para reabastecer, a aeronave retornou para Seattle em um voo de 18,027 km de distância. A aeronave pousou as 5:29 em 8 de Dezembro, quebrando um novo recorde de velocidade ao redor da terra (sentido leste) com um tempo de viagem total de 42 horas e 27 minutos.

Mapas do voo plotados no GCmap.com por Flightblogger

O 787 carregou 6 pilotos, um observador do NAA (National Aeronautic Association) e mais 6 funcionários da Boeing, totalizando 13 pessoas.

Foto: Boeing

A Boeing possui os recordes mundiais de longa distância em 5 classes de pesos, quebrados com o KC-135, 767-200ER (extended range), 777-200 e 777-200LR (longer range). O 777-200 também possui o recorde de velocidade para sua classe.

Como “tuitou” o Flighblogger, bem que a Airbus podia tirar o A330 de fábrica da gaveta e tentar retomar o recorde não é?

Para esses voos de longa duração deve fazer uma diferença enorme a umidade ser maior e altitude de cabine bem menor nesta aeronave, a tripulação não deve sentir tant o efeito do cansaço.

Tags: ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo