banner livro

Cartas de Aproximação – Parte 1

Pessoal, como em alguns leitores que voam o Flight Simulator e querem aprender mais sobre os procedimentos reais usados pelos pilotos, entrei em contato com um Instrutor de Voo nos Estados Unidos Fabbrini Marques (ver assinatura abaixo do tópico) que me autorizou a disponibilizar seus textos aqui no Blog. Atenção: Apesar da correção do texto, usar as informações apenas para o Flight Simulator, não pode ser usado na vida real. Bom aprendizado.

Resolvi escrever uma serie de topicos falando sobre cartas de aproximação, mais especificamente das cartas Jeppesen.

Neste primeiro topico vou falar do basico sobre esta carta de aproximação, que para mim, é a melhor dentre todas no mercado, pois sua simbologia é simples, de facil interpretação e manuseio. Não pretendo entrar nos detalhes e na simbologia usada por enquanto, vou falar dos simbolos e dos detalhes quando escrever sobre um determinado tipo de procedimento (ILS, VOR, NDB, etc.). Tentei escrever de forma que todos possam entender, caso alguem não entenda alguma passagem, basta perguntar.

Cartas de Aproximação – Approach Charts (Jeppesen)

Os procedimentos de aproximação por instrumentos (chamados de IAP – Instrument Approach Procedures nos EUA) permitem uma descida segura da altitude de inicio de procedimento, ate um ponto próximo da pista aonde é possível efetuar o pouso com referencias visuais.
Existem 3 tipos de aproximação por instrumentos:

• Aproximação de precisão;
• APV – Approach with Vertical Guidance;
• Aproximação de não-precisão.

Uma aproximação de precisão é um procedimento de aproximação por instrumentos baseado em sistemas de navegação que fornecem informação de curso e rampa de planeio ate a pista, e que estão de acordo com os padrões estabelecidos no Anexo 10 da ICAO. ILS (Instrument Landing System) e GLS (GPS Landing System) são exemplos de aproximações de precisão.

Aproximação APV é aquela que utiliza sistemas de navegação que não precisam se adequar ao Anexo 10 da ICAO, mas mesmo assim fornecem informação de curso e rampa de planeio, são exemplos de aproximações APV: LDA com glide, LNAV/VNAV, LPV e Baro-VNAV.

Aproximação de não-precisão é aquele procedimento de aproximação por instrumentos baseado em sistemas de navegação que fornecem curso para a pista (mesmo que não totalmente alinhado com a mesma), mas não fornecem informação de rampa de planeio. Como por exemplo, VOR, NDB e LNAV.

Segmentos de uma aproximação:

Uma aproximação por instrumentos é dividida em 4 segmentos, são eles:

• Segmento Inicial (Initial Approach Segment);
• Segmento Intermediário (Intermediate Approach Segment);
• Segmento Final (Final Approach Segment)
• Segmento de aproximação perdida (Missed Approach Segment)

Feeder Routes ou “rotas de alimentação”, também conhecidas como “Transitions” ou “Terminal Routes”, tecnicamente não são consideradas como sendo segmentos de uma aproximação, mas são parte integrante de muitos procedimentos de aproximação. As Feeder Routes unem o os segmentos de rota com a estrutura de uma aproximação, mas nem sempre elas aparecem em uma carta de aproximação. Uma aproximação pode ter mais de 1 Feeder Route, neste caso o piloto utiliza normalmente aquela que se encontra mais próxima da rota em que ele esta se aproximando.

Para uma melhor visualização dos segmentos de uma aproximação, segue uma imagem:

Layout e leitura da Carta Jeppesen:

A carta Jeppesen (assim como a maioria das cartas de aproximação existentes) é dividida em 4 partes:

Heading
• Plan View
• Profile View
• Landing Minimums

• No Heading da carta o piloto identifica a cidade, aeroporto, titulo do procedimento, freqüências de comunicação, informações para briefing e altitude mínima de segurança (MSA).

• O Plan View é uma visão “de cima” de todo o procedimento de aproximação. Nesta parte da carta todos os obstáculos mais importantes são apontados junto com as respectivas altitudes. De maneira geral, obstáculos com menos de 400 pés acima da elevação do aeroporto não são impressos na carta.

• O Profile View mostra a aproximação de perfil, junto com as altitudes mínimas que se deve passar em cada fixo. No Profile View também são apresentados os Missed Approach Icons, que representam de forma sucinta as ações que o piloto deve tomar no caso de uma aproximação perdida. Também é mostrado no Profile View a tabela de Tempo/Velocidade, que é usada nas aproximações de não-precisão e representa o tempo que a aeronave gasta para ir do FAF (Final Approach Fix – Fixo de Aproximação Final) ate o MAP (Missed Approach Point – Ponto de Aproximação Perdida) a uma dada velocidade.

• Landing Minimuns é a parte da carta que contem todos mínimos de visibilidade e de altitude para a aproximação para um dado aeroporto. Também encontra-se no Landing Minimuns as informações quanto a categoria da aeronave (A, B, C, D ou E) que varia de acordo com a velocidade de aproximação. Os mínimos requeridos quando certos equipamentos estão inoperantes também é mostrada no Landing Minimuns.

A nova formatação da carta Jeppesen ainda conta com uma Briefing Strip, (localizada no Heading da carta) que foi criada com base em estudos sobre como as cartas são revisadas e usadas dentro do cockpit da aeronave.

Assim que o piloto receber do órgão de controle apropriado o procedimento que deve ser utilizado para a aproximação, o piloto deve realizar a leitura da carta, que na carta Jeppesen deve ser feito da seguinte maneira:

A preparação para uma aproximação começa antes mesmo da decolagem do aeroporto de origem. Quando o piloto planeja uma rota é importante ele olhar todos os procedimentos de aproximação existentes para o aeroporto de destino com a intenção de se familiarizar com o aeroporto e suas peculiaridades, e também, caso surja alguma duvida quanto à simbologia utilizada na carta o piloto pode tirar essa duvida ainda no solo. Esse habito simples que pode ser feito enquanto o piloto aguarda a aprovação do plano de vôo ajuda o piloto a manter um bom nível de consciência situacional o que ajuda a prevenir acidentes e incidentes.

Referencia bibliográfica:

Guide Flight Discovery: Instrument/Commercial
Jeppesen

Texto de:

Fabbrini

Fabbrini

Tags:

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo