banner ad

Como fazer um pouso perfeito?

Na aviação existe uma verdade incondicional: “uma vez decolado você vai ter que pousar”, então todos os pilotos, sejam eles virtuais ou reais, buscam o pouso perfeito. Como eu posso então realizar um pouso perfeito?

Você não acha que esse pouso tinha tudo para dar certo? A aproximação foi muito bem
executada, exceto pelo fato deles não terem executado nenhum checklist, e é exatamente isso
que acontece, mais dia menos dias você irá esquecer de alguma coisa e essa coisa
poderá lhe fazer muita falta

Antes de tudo, estou falando sobre aviação geral e não de grandes aeronaves ou companhias aéreas. Para mim pousar perfeitamente resume-se a cinco itens com as seguintes prioridades:

  1. Pousar com segurança;
  2. Pousar suavemente sobre a linha central da pista;
  3. Tocar a pista com velocidade logo acima da velocidade de estol;
  4. Tocar a pista com o manche cabrado, porém um pouco antes do batente.
  5. Manter o trem do nariz fora do solo o máximo possível e então tocar a pista suavemente;

1.  Pousar com segurança

De nada adianta você executar todos os outros quatro itens perfeitamente se você não pousou com segurança. Pousar com segurança significa pousar dentro das especificações da aeronave e dentro das regras de voo que você se encontra, VFR ou IFR e do procedimento que estais a executar.

Airbus quase tocando a asa na pista, provavelmente o pouso foi realizado com vento de través muito forte
Airbus quase tocando a asa na pista, provavelmente o pouso foi realizado com vento de
través muito forte

De que valeu um pouso perfeito se o vento cruzado estava soprando a 30km/h e sua aeronave é homologada para pouso com vento de no máximo 20km/h?

De que valeu um pouso perfeito se você avistou a pista apenas no último minuto, sendo que você deveria tê-la avistado a 5 km uma vez que estava mantendo voo visual?

Como se pode ver são inúmeras as variáveis que caracterizam um pouso seguro, eu poderia citar uma dezenas delas, mas acho que já é o suficiente.

2.  Pousar suavemente sobre a linha central da pista

Este é um ponto controverso, já que entendo que se você tocar o solo dentro das especificações da aeronave já é o suficiente, pois a suavidade do toque esta relacionada a muitos aspectos, como: condições da pista (terra, asfalto, concreto, grama, se esta molhada, úmida, seca, com neve), condições meteorológicas, comprimento, etc.

Embora essa foto seja de uma decolagem, dá para notar que o piloto manteve perfeitamente o alinhamento à pista
Embora essa foto seja de uma decolagem, dá para notar que o piloto manteve perfeitamente o
alinhamento à pista

Por outro lado, do ponto de vista do passageiro e da conservação da aeronave, mais vale um pouso a 100 pés/min. do que um a 500 pés/min., até porque, se o limite da sua aeronave for de 500 pés/min. e você pousar nessa razão, não houve margem para erro, isto é, você poderia ter ultrapassado esse limite facilmente. Então vamos considerar que um pouso suave realmente faz parte dos requisitos para um pouso perfeito, considerando a situação.

3. Tocar a pista com velocidade logo acima da velocidade de estol

Vamos supor que a velocidade de aproximação do seu avião seja 70 KIAS e que a velocidade de estol seja 50 KIAS.

Durante toda a aproximação você deverá manter 70 nós de velocidade indicada, então no momento que o arredondamento for realizado, ou seja, no momento que você diminuir a razão de descida da sua aeronave, já muito próximo à pista, a sua velocidade irá começar a cair, pois você não alterou a potencia do motor, apenas puxou o manche para trás. Executando esse procedimento você estará voando a poucos centímetros do chão enquanto sua velocidade decresce até o ponto do toque que será consequentemente próximo à velocidade de estol da sua aeronave.

Como a pista é de grama é possível tocar um pouco mais duro e ainda assim parecer que foi um toque suave, porém a frenagem será mais complicada se a grama estiver molhada
Como a pista é de grama é possível tocar um pouco mais duro e ainda assim parecer que foi
um toque suave, porém a frenagem será mais complicada se a grama estiver molhada

E por que pousar próximo à velocidade de estol? Simples, você não quer que seu avião volte a voar após os amortecedores lhe jogar para cima novamente, desta forma também seu avião estará mais “grudado” ao solo e assim a atuação dos freios será mais eficiente.

4. Tocar a pista com o manche cabrado, porém um pouco antes do batente

Consideremos que estamos voando um avião do tipo triciclo, uma vez que o pouso de três pontos, aquele realizado por aviões convencionais, é diferenciado e não quero ninguém quebrando a bequilha do seu Boero e depois colocando a culpa em mim.

Nesta foto o piloto esta quase tocando o solo, mais ainda deve cabrar um pouco mais o avião mantendo a mesma distância do solo, assim o toque será bem suave e pouso perfeito
Nesta foto o piloto esta quase tocando o solo, mais ainda deve cabrar um pouco mais o avião
mantendo a mesma distância do solo, assim o toque será bem suave e pouso perfeito

A grande maioria dos aviões não possuem a mesma resistência a impactos no trem do nariz quanto as do trem principal. Concluímos então que devemos pousar primeiro com o trem principal e após tocar suavemente o trem do nariz.

Como já falei no item anterior, no arredondamento devemos cabrar o manche (puxando para trás) para permitir que a velocidade diminua ao mesmo tempo em que mantemos o avião no ar, ou pelo menos suavizemos o toque. Se este for muito forte com certeza a 3º Lei de Newton nos fará voltar ao ar e isso poderá nos trazer sérios problemas, já que nosso avião estará muito próximo à velocidade de estol e se ele estolar a dois ou três metros do chão poderemos danificar a aeronave com um possível e eminente pouso brusco ou mesmo ao encostar a hélice no chão.

Sei que no Flight Simulator é difícil ter noção da altura, mas basicamente devemos quebrar o planeio do avião a dois ou três metros do chão e ir cabrando o avião suavemente até o toque, quanto mais perfeita for a sua técnica, mais perto da velocidade de estol você estará e se a sua noção de altura já estiver bastante aguçada você fará isso a muito poucos centímetros do chão, executando um toque muito suave.

5. Manter o trem do nariz fora do solo o máximo possível e então tocar a pista suavemente

Como já disse, o trem do nariz normalmente não é tão resistente, então ele deve tocar o chão com a maior suavidade possível. Para isso, após o toque continuaremos segurando o nariz do avião em cima, cabrando ainda mais o manche até que o profundor do avião perca eficiência aerodinâmica e permita que o nariz abaixe suavemente.

Aqui o avião esta com excesso de inclinação, percebe-se também que o pouso ainda não esta completo, pois uma das rodas do trem principal ainda esta no ar
Aqui o avião esta com excesso de inclinação, percebe-se também que o pouso ainda não esta
completo, pois uma das rodas do trem principal ainda esta no ar.
Note também que parece haver uma pessoa na parte traseira do avião, o que configuraria
uma grave falha à segurança de voo, uma vez que o avião provavelmente
estava desbalanceado e totalmente fora do limite de operação (por excesso de peso)

Mas muito cuidado, falei em manter o nariz do avião em cima, e não em levantar o nariz do avião, se você levantar demais o nariz poderá sofrer um tailstrike, ou seja, arrastar a cauda do avião no chão e isso poria o seu pouso perfeito no brejo.

Conclusão

Antes de tudo você tem que ter em mente o seguinte: é possível realizar um pouso ruim após uma boa aproximação, mas é quase impossível realizar um bom pouso após uma aproximação ruim.

Então antes de qualquer coisa temos que realizar uma boa aproximação, e isso consiste em manter a velocidade adequada, manter o avião alinhado à pista e na razão de decida ideal, sem muitas variações. Para tanto você precisará ajustar o trim (ajuste fino das superfícies de voo) do avião e mirar o seu alvo, que será o ponto de toque na pista. Fazendo isso você terá grande chance de realizar o seu pouso perfeito.

Você acha que essa aproximação foi estabilizada e segura?
Você acha que essa aproximação foi estabilizada e segura?

Manter a aproximação estabilizada é a peça chave para o seu pouso, porque isso lhe permitirá chegar ao arredondamento sempre na mesma situação (velocidade, atitude e potência). Com isso você poderá aprender a executar as cinco regras acima. Se o avião não estiver na velocidade correta ou afundando muito rápido isso alterará o comportamento dele durante o arredondamento, tornando cada pouso diferente do outro e desta forma você nunca ficará melhor, nunca conseguirá aprimorar a sua técnica.

Por fim, cada avião possui características de pouso diferentes, então busque aproximações perfeitas, desta maneira você terá a chance de aprender como arredondar o pouso até que ele fique perfeito.

E esta? Tem um pouco de vento de través, por isso esta meio torno, mas me parece que o avião esta perfeitamente configurado para pouso, tendo realizado uma aproximação perfeita
E esta? Tem um pouco de vento de través, por isso esta meio torno, mas me parece que o
avião esta perfeitamente configurado para pouso, tendo realizado uma aproximação perfeita

OSB.: Existem diversas fases de voo, e duas delas são a aproximação e o pouso, por este motivo é que não considero a aproximação perfeita como um dos itens para um pouso perfeito, embora eu afirme que sem uma boa aproximação será difícil realizar um pouso perfeito.

Tags: ,

Sobre o Autor

Sou aluno do curso de Piloto Comercial e tenho como objetivo me tornar piloto de uma grande companhia aérea.
  • Muito bom Sander. Agora já temos uma idéia melhor de como pousar no Flight Simulator.

  • Otávio Bellarde

    O cara esqueceu de abaixar o trem de pouso? Mesmo com os sinais sonoros apitando? Tem alguma coisa estranha ai…

  • Cunha

    Uma dúvida, no caso de um C172 ou C182 é vetada a operação com 2 na frente e somente 1 nos assentos traseiros?

    • Para ser bem genérico na resposta, cada avião tem um gráfico de peso e balanceamento, então desde que você esteja dentro desse limite, você pode carregar o avião do modo que lhe for conveniente.

      Já sendo mais específico, no 152 você até pode levar 3 que não exceda o limite, assim como no 172. O 182 é configurado para 4 passagerios, contudo você não vai conseguir levar 4 pessoas com 100 quilos cada, pois estaria fora dos limites…

      Abraço

      • Cunha

        Entendi em relação a questão do peso, mas no 152 como vou levar 3 ocupantes se a aeronave é homologada para apenas 2? Nem espaço para acomodar o 3º ocupante com segurança há. “Note também que parece haver uma pessoa na parte traseira do avião, o que configurariauma grave falha à segurança de voo, uma vez que o avião provavelmente estava desbalanceado…” E com relação a este trecho, ainda não entendi como que a presença de uma pessoa na parte traseira do C172 que é homologado para tal, configuraria uma falha à segurança de voo.

        • Caro Cunha,

          quanto ao C-152, a aeronave é sim homologada para 3 pessoas, contudo o terceiro
          passageiro não deve pesar mais de 55kg (aproximadamente). Inclusive alguns
          C-152 possuem banco na parte traseira.

          Em relação ao C-172, você tem razão, confundi-me ao comentar como se fosse um
          C-152. No entanto eu não afirmei que estava fora do peso, porem se estivesse,
          ai sim configuraria excesso de peso.

          Agradeço as observações,
          Abraço!

          • Cunha

            Entendido Sander,

            não por necessidade de provar sua afirmação mas para agregar conhecimento, poderia compartilhar um documento ou foto sobre a capacidade do C152 de 1 piloto + 2 pax? Realmente é novidade para mim.

            Abraço e bons voos

  • Ignorando a musica. Comente este pouso de um A-320 da TAM,
    http://www.youtube.com/watch?v=EV-aqnzCZn4&feature=g-vrec&context=G20f7e03RVAAAAAAAABQ 

    • Difícil comentar sem saber as condições enfrentadas ali no momento, ventos com rajadas são terríveis.

  • Anônimo

    Se não me engano a foto do 747 é em Kai Tak? Li no blog do Beto Carvalho que pousar em Kai Tak exigia certa técnica e tinha que fazer uma curva bem acentuada.

    • Goytá

      “Certa técnica”? Era dificílimo! Por causa de restrições tanto do relevo local (Hong Kong é parecida com o Rio de Janeiro – a ponto de eu já ter visto um aerograma dos Correios daqui que tinha uma imagem de Hong Kong que a ECT pensou que era do Rio – e a cidade fica espremida numa faixa estreita entre montanhas e o mar) quanto políticas (os aviões destinados a Hong Kong, até 1997 colônia britânica, não podiam sobrevoar o território da China continental), a única rota de pouso em Kai Tak envolvia se aproximar pelo mar numa direção mais ou menos perpendicular à pista até um ponto marcado por uma pintura em xadrez laranja no alto de uma colina já muito próxima do aeroporto e aí fazer uma curva muito fechada à direita, já a apenas uns 300 metros de altitude, para pegar a direção da pista. Para complicar, havia ventos cruzados fortíssimos com muita frequência.

      Milagrosamente, nunca houve uma queda de avião na aproximação (o que teria sido catastrófico, pois sobrevoava-se regiões superpovoadas da cidade), mas houve muitos casos de pousos duros, de aviões que saíram da pista ou que não conseguiram frear e caíram no mar ao final da pista. Sinto muito, mas como passageiro não dá para ter saudades de Kai Tak. Prefiro mesmo o novo, moderníssimo, superseguro, superconfortável e premiadíssimo Chek Lap Kok. (Não, nunca estive lá, mas gostaria.)

  • Mariel Fonseca

    Como o cara conseguiu esquecer de baixar o trem de pouso, com um alarme estridente desse o tempo todo, que até tive de colocar o pc no mute pra conseguir assistir o vídeo?

  • GabrielAP

    Ví este vídeo e não pude deixar de lembrar desse post. O comandante justificando o pouso um pouco mais firme falando que “a técnica do pouso é essa, você dá uma ‘porradinha’…” foi sensacional.

    http://www.youtube.com/watch?v=raJaa-W0SeA&feature=player_embedded

  • Daniel Agl

    O alarme do vídeo fez a minha gata acordar e ficar procurando na caixa de som. Hahah’ :) Coitada da minha gata, ficou toda desesperada.

Topo