banner livro

Dúvidas respondidas sobre o filme “O voo” e algumas falhas

Continuando o assunto deste post, vamos às respostas das perguntas mais comuns surgidas no filme “O voo”, sendo estas as mais comuns.

1- No início do filme, quando o comandante chega ao cockpit, pergunta ao seu co-piloto se eles já haviam voado juntos antes. É normal os pilotos se encontrarem só no cockpit sem se conhecer?

R: Não, não é comum. Em uma empresa comercial, a tripulação técnica vai se encontrar no DO (Despacho Operacional), onde o briefing sobre o voo é executado, plano de voo estudado, combustível confirmado, etc, conforme disse o Lucas Röper

2- Durante a decolagem com muita turbulência o comandante voa “na mão” e acelera os motores para sair rápido da tempestade. É normal voar “na mão” e dar “overspeed” no meio da turbulência para escapar dela?

R: Voar na mão é normal e depende do SOP da empresa executar o voo em turbulência com ou sem o uso do Piloto Automático. Algumas aeronaves possuem um modo diferente de Autopilot para turbulência (chamado CWS) e outras não possuem, sendo o voo feito “na mão”. Agora entrar rápido em uma turbulência ou dar overspeed definitivamente não é normal. Toda aeronave possui uma velocidade máxima aerodinâmica em que a partir de determinado ponto, danos estruturais podem ocorrer. Ora, sendo a turbulência uma área de rápidas e sucessivas variações de pressão atmosférica, se a aeronave estiver muito próxima de sua velocidade máxima e pegar um trecho de alta pressão, a velocidade aerodinâmica dará um pulo muito rápido e pronto, entrou em overspeed. Na figura abaixo, que capturei do filme, é possível ver o speed trend (seta verde) apontando que a velocidade continuará aumentando nas condições atuais e do lado direito o “barber pole” vermelho indicando o limite de overspeed.

EADI do Capitão Whitaker em "O Voo"

EADI do Capitão Whitaker em “O Voo”

Uma aeronave entrar em overspeed não significa que vá se desintegrar, e isso pode ocorrer em voo de cruzeiro em condições normais. Quando ocorre, o piloto faz um reporte no livro de bordo informando quanto tempo a situação durou (geralmente são segundos) e após o pouso a manutenção faz uma inspeção de overspeed descrita no Manual de Manutenção. O Alessandro Gambin falou de aerodinâmica e velocidades no comentário dele.

 

3- Que avião é aquele?

Ha! Boa pergunta. Apesar de descaracterizado, aquilo é um remix de Boeing 717  (antigo MD-80 com glass cockpit) com um MD90 com winglets. Apesar da maioria dos que comentaram acharem que o 717 nunca teve winglets, vejam a foto deste NorthWest abaixo. A foto abaixo é FAKE, ela aparece com o endereço do Airliners.Net no Google mas como Fórum e não no site principal, e eu caí, afinal não há fotos fake no Airliners (apontado muito bem pelo leitor Leandro). Apesar disto, houve estudos da Boeing e Aeropartners para instalar winglets no 717/MD-90, porém foram abandonados pois os custos não compensariam em relação à economia proporcionada.

Boeing 717 NorthWest - Foto de Michael F. McLaughlin - Airliners.Net

Boeing 717 NorthWest – Foto FAKE

Foto Original

Foto Original

Aqui uma captura do filme mostra o interior do 717 e abaixo o interior do avião do filme. Apesar das diferenças do bagageiro (overhead bins) que é uma opção de cada empresa, o teto é o mesmo.

Cabine de Passageiros B 717 - Foto de Carsten Bauer - Airliners.Net

Cabine de Passageiros B 717 – Foto de Carsten Bauer – Airliners.Net

Cabine de Passageiros do filme "O Voo"

Cabine de Passageiros do filme “O Voo”

4- O que são aquelas alavancas no piso que eles puxam e viram quando estão sem controle?

Não sei se aquelas alavancas são exatamente do jeito que aparecem no filme, mas elas existem em alguns aviões comerciais (mais antigos) e costumam se chamar “Manual Reversion”. O Lockheed Electra tinha este sistema também. O que as alavancas fazem é separar o atuador  do sistema hidráulico da superfície fazendo com o piloto comande a aeronave sem força hidráulica, como se fosse um Cessna, diretamente do manche para a superfície via cabo de comando (e compensadores aerodinâmicos, mas não vamos complicar agora). Então aquelas alavancas servem para isso, separar o comando das superfícies dos seus atuadores hidráulicos, reversão manual.

5- É possível virar de dorso com um avião daquele tamanho?

A pergunta deveria ter sido outra, mas a resposta é sim, é possível virar. O que não é possível é voar de dorso por mais do que alguns segundos, e isto não tem a ver com aerodinâmica, ou tamanho, ou peso ou lubrificação do motor. Tem a ver somente com o combustível. As aeronaves comerciais possuem suas bombas de combustível na parte mais baixa do tanque, sem tomadas na parte superior (como os caças). Como os tanques possuem “baffle valves” (desculpem os termos, muita coisa não dá para traduzir), é possível impedir o movimento do combustível por algum tempo e manter as bombas de combustível alimentadas, mas apenas por segundos e não minutos como no filme. Resumindo, fazer um tonneau com um avião comercial é possível, talvez até um loop, mas voar de dorso não. O GabrielAP comentou sobre alimentação.

Voo de dorso impossível

Voo de dorso impossível

6- Pilotos podem voar bêbados?

Não! Óbvio que não. Mas infelizmente já aconteceu. Hoje em dia é praticamente impossível, pois o CRM (Cockpit Resource Management) vai impedir que um co-piloto ou outro membro da tripulação perceba algo e fique calado. Um piloto  que seja pego com limites de alcool no sangue perde sua licença de voo.

Erros ou excesso de ficção no filme

Agora vamos nos divertir um pouco com os erros no filme? Quem souber (ou perceber, ou lembrar) mais algum, deixe nos comentários e eu vou adicionando aqui na lista, eu lembro destes:

1- Dia de chuva e comandante fazendo walkaround. Não é um erro, mas é bem improvável (GabrielAP).

2-Fuel Dump – O comandante pede pro co-piloto alijar o combustível e o Boeing 717 (nem MD-80, nem 737, nem A320) não possui sistema de alijamento, muito menos com dois switches vermelhos no painel.

3- O Whitaker começa a virar de dorso a 2600 pés (nem sabemos qual é a altitude em relação ao solo). Não seria possível. com aquela razão de descida que estavam, completar o dorso antes de chegar ao chão.

Inicio da rolagem para o dorso a 2600 pés

Inicio da rolagem para o dorso a 2600 pés

4- Durante o mergulho, Whitaker chama a comissária até o cockpit para atuar a alavanca de reversão manual para ele. Ele havia proibido o co-piloto de soltar o cinto, mas a comissária podia. Não vou comentar sobre a porta do cockpit não estar travada..rs

5- Quando os motores falham e pegam fogo, Whip pede para o copiloto “put out” e ele aciona o punho de fogo, primeiro para o motor 1 e depois para o motor 2. Quando se puxa os punhos de fogo, não se apaga só incêndio, apaga o motor inteiro, ele desliga pois válvulas de ar, combustível e óleo se fecham, então não faz sentido depois ele pedir para a comissária acelerar as manetes. (Leandro Braga lembrou desta)

6- Copilotos não são amedrontados, bobos e subservientes como o filme tenta mostrar. Copilotos não são aprendizes de comandante, eles possuem sua função no cockpit. O copiloto do filme é uma caricatura.

Vamos lá, ajudem a crescer a lista :)

 

 

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo