Camiseta Electra

Em 2050 os aviões serão assim, de acordo com a @Airbus

Quando chega esta época do ano é comum a Airbus revelar desenhos e conceitos de como será hipotéticamente a aviação por volta do ano de 2050 (estarei com 83, provavelmente aposentando..haha).

As inovações reveladas este ano estão mais “conservadoras” em relação às mostradas no ano passado, em que o teto seria transparente. Uma outra mudança perceptível e que talvez tenha ocorrido devido a críticas é que agora nos desenhos aparece um cockpit, o que significa que os pilotos ainda terão emprego em 2050. Eu chamei atenção para esse detalhe no post de 2011.

EM 2011, sem cockpit – O parabrisa mostrado na imagem é para o deleite dos passageiros, como mostra o vídeo do interior:

Em 2011, aeronaves sem cockpit em 2050

Em 2012, com cockpit – Uma cabine abaixo da cabine

Decolagem quase vertical, com cockpit

Eu acho divertido estes exercícios de futurologia, porque dificilmente vai ser da maneira que pintam, simplesmente a tecnologia e a sociedade mudam diariamente e moldam a nossa visão a partir do ponto em que estamos. É muito fácil comprovar isto, basta ver o que a própria Airbus pensava de 2050 em 2009, há apenas três anos. Se em três anos a perspectiva mudou tanto, imagine em 38!

Uma coisa interessante deste ano é a menção constante à Ecologia e combustíveis alternativos (biofuel), redução de ruídos e voos em formação. Mas na boa, se em 2050 ainda estivermos usando combustíveis para alimentar máquinas térmicas, falhamos feio em algo.

Não assisto muita TV por falta de tempo, mas dias destes acabei vendo pela metade um programa no Discovery HD sobre aeronaves e materiais do futuro, com asas flexíveis como a dos pássaros e ausência total de metal e perto do que foi mostrado estas inovações da Airbus parecem totalmente conservadoras.

De qualquer maneira, vale a pena a visita ao site de inovações para o futuro aéreo da Airbus.

Link para o site da Airbus

Voos em formação no futuro da Airbus

Tags: ,

Sobre o Autor

Um técnico com bom senso :) 28 anos de aviação comercial, de Lockheed Electra a Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. O Aviões e Músicas possui moderadores de comentários e se reserva o direito de apagar quaisquer comentários que sejam ofensivos ou que não contribuam para uma discussão saudável. Pontos de vista divergentes são muito bem aceitos e incentivados, desde que se mantenha o mínimo de civilidade. Este é um espaço para discutirmos aviação :)
  • Márcio

    Espero que não sejam assim pois, estes modelos, na minha opinião, estão horríveis.  E olha que tiraram o teto transparente. Ficam inventando muito e, ao invés de aviões, no futuro teremos naves iguais as da Xuxa. :)

  • Goytá

    Duas palavrinhas: Herman Kahn. Acho que depois dele e dos “foras” homéricos das suas previsões, as pessoas deveriam se mancar de que tentar usar bolas de cristal só as submete a vexames. Acho que a Airbus só faz isso para tentar passar a imagem de que é uma empresa aberta e comprometida com inovações, mas eu escolheria para isso uma maneira com menos riscos de expor a empresa ao ridículo…

    Falando em Herman Kahn, dizem que ele foi a inspiração para o personagem “Dr. Fantástico” (Dr. Strangelove), interpretado pelo impagável Peter Sellers no filme de Stanley Kubrick. O mesmo Kubrick que, em 1968, fez “2001″ – apesar dos pesares, ainda hoje e sempre um dos melhores filmes que o cinema jamais produziu, mas isso não impede que a previsão de que em 2001 (onze anos atrás) as pessoas estariam indo para bases na Lua pela Pan Am (falida 21 anos atrás) soe risível hoje…

  • GabrielAP

    Ainda que eu ache muito difícil a aviação seguir para este rumo, achei esses desenhos mais factível dos que aqueles do ano anterior. Não chegam a ser bonitos, mas a meu ver são interessantes.

  • http://twitter.com/MurilloAlves Alves Murillo

    Futurista demais ao meu ver, sou muito conservador nesse ponto.

  • Denilson

    Primeiramente concordar com o Goytá, pois foi exatamente o que pensei:” que jeito medíocre de fazer marketing e passar  para as pessoas a mentira de que é possuidora de domínios tecnológicos. 

    Segundo que pior que toda esta baboseira da Airbus é o que meu colega defende: “não haverão  meios motorizados de transporte, pois haverá o teletransporte”

    Terceio: o pior de tudo mesmo é que tenho que ouvir o maluco falar uma maluquice desta e ficar quietinho, ou seja, até dou risada mas nem me atrevo a fazer isto na cara dele, pois apesar do maluco falar coisas aos moldes de que só quem fala são os tomadores de chá de cogumelo, o futurista passou em nada mais nada menos que no concurso do Tribunal de Contas da União.

    Portanto: dá risada até dou, mas na boa aí, não duvido muito dos trem doido que o “HOMI” fala não, posso até achar que às vezes ele viaja um pouco, maaas… rs rs rs 

    • http://www.avioesemusicas.com Lito

      Denilson, te passei alguns emails a respeito da camiseta mas não recebi nenhuma resposta, poderia confirmar? Abs

  • Paulo Villar

    Esperar para (talvez) ver…

  • http://www.facebook.com/rafael.carrera.589 Rafael Carrera

    Está bem diferente do projeto que foi publicado hoje no UOL. De acordo com projetistas de uma Universidade da Flórida, o avião do futuro terá dois eixos simétricos e girará 90º em seu eixo, para diminuir a resistência do ar e economizarem combustível, além de voar a velocidades supersônicas. A Airbus perderá terreno se tal projeto obtiver sucesso.

  • Démerson Polli

    Lembram-se dos Jetsons? O mundo “previsto” por eles para os anos 2000 é bem diferente da realidade. O mesmo ocorreu com o filme “De volta para o futuro”…

    Ou seja, esta coisa é apenas especulação… entre a previsão e a realidade haverá uma enorme diferença. Basta ver que os aviões de 40 anos atrás não diferem muito dos aviões de hoje (já existia o B737-200, por exemplo, que fora a motorização e o glass cockpit são muito semelhantes aos B737NG).

    O que imagino ocorrer até 2050 é aviões muito mais econômicos, uso maciço de materiais compostos (já começou com o B787 e o A350) e um grande desenvolvimento na área de combustíveis eco-eficientes e sintéticos.

  • http://www.facebook.com/PREJP João Pedro Pacheco

    Espero estar morto !

banner aem
Topo