banner livro

Entenda sobre ângulo de ataque, pitch, incidência #AF447

Para diminuir as duvidas de algumas pessoas em relação ao ângulos mencionados na nota preliminar da BEA sobre o acidente com o Airbus A330 da Air France no voo AF447, vejam abaixo a representação gráfica destes ângulos.

Com estes desenhos é possível entender como pode o ângulo de ataque ter sido medido em até 40º se a atitude do avião (nariz em cima) nunca passou de 16º.

Desenhos feitos pelo Marlon Dutra, e ainda bem que ele fez porque eu tava querendo explicar mas não tive tempo de parar pra desenhar. Valeu Marlon.

Começando com ângulo de incidência. Este é o ângulo formado entre a corda média da asa e o eixo longitudinal do avião. Este ângulo é imutável, é decidido em projeto durante a fase de construção da aeronave.

Atitude ou Pitch: Este é o ângulo formado entre o horizonte e o eixo longitudinal do avião. Durante a decolagem, o seu pitch será grosseiramente zero, a partir do momento que o comandante comandar o nariz para subir, o pitch vai aumentar entre 7º e 16º dependendo da aeronave e da situação.

Ângulo de ataque, este é o que causa confusão nas pessoas. O ângulo de ataque é o ângulo formado entre a corda média da asa e a trajetória da aeronave (conhecido como vento relativo). Em tese, quanto maior o ângulo de ataque, maior a sustentação. De fato, e ironicamente, a maior sustentação possível de se obter numa aeronave é exatamente no ponto crítico imediatamente antes do STALL.

Ângulo de ataque com avião subindo: Voltando à decolagem, quando o piloto comanda o avião para subir, o pitch aumenta e o ângulo de ataque também, que é o que gera sustentação. Mas o ângulo de ataque é sempre em relação à trajetória de voo, diferente do pitch, que é em relação ao horizonte.

Ângulo de ataque em STALL: Nesta figura é possível entender que mesmo o nariz do AF447 estando apontado para cima entre 12 e 16º, o seu ângulo de ataque chegou a até 40º, pois a trajetória da aeronave era descendente.

Espero que fique um pouco mais fácil de entender as descrições dos relatórios agora.

p.s. Estou fazendo algumas melhorias no blog, a maioria invisíveis mas que vão influenciar na velocidade de acesso e outras já em funcionamento como a caixa de pesquisa lá em cima, que agora usa a pesquisa do google dentro do site. Para achar tudo que já escrevi sobre o AF447, basta digitar isto na caixa de pesquisa e o google faz a mágica dele. Em breve falo de outros benefícios que estão por vir.

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo