banner ad

O bombardeiro do milharal, ou a vergonha do esquadrão.

Em 1970, um piloto se ejetou de um F-106 em Montana durante uma emergência em voo. De alguma maneira o avião entrou em um parafuso chato – considerado irrecuperável para um F106 – e o piloto fez o que o manual de operações pedia: Se ejetou. mas, um pouco antes, enquanto lutava para controlar o avião, o piloto baixou flaps, colocou o trim (compensador) em posição de decolagem e posicionou as manetes em posição de potencia de aproximação para pouso.

Logo após a ejeção, o jato 58-0787 de alguma maneira se recuperou sozinho da situação considerada “irrecuperável”.

As asas se nivelaram e o bombardeiro passou a descer suavemente por causa da potência de aproximação ajustada nos motores até chegar próximo ao chão. O efeito solo deu uma quebrada na razão de descida e o jato fez um pouso perfeito de barriga numa fazenda de milho coberta de neve.

Quando o xerife da cidade chegou ao local do “acidente”, os motores ainda estavam funcionando com a aeronave ligeiramente inclinada para cima. Preocupado, ligou para a base aérea que ficava a 100 KM de distância para pedir instruções de como desligar os motores.

Veja abaixo as fotos do pouso “perfeito” de barriga.

Depois que o pessoal da base aérea chegou ao local, o avião foi recuperado sem muitos danos e ainda voltou ao serviço.

Os pilotos de outros esquadrões ate hoje tiram sarro da emergência tão complexa que este piloto encontrou, a ponto do avião pousar sozinho….imaginem o bullying.

Não é incrível?

 

#Repost em 17 Outubro 2016

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo