banner pneufree.com

Fitas cassete, a caneta bic, o som digital e a manutenção de aviões

Então você leu por aí que a trilha sonora do filme “Guardiões da Galáxia” será lançada também em fita cassete. Se tem menos de 19 anos, não tem idéia do que seja isso não é?
Fear Not!
O Aviões e Músicas vai te ensinar a gravar uma fita cassete – encontrar o aparelho é por sua conta :P

Na verdade eu gravei um vídeo em Fevereiro deste ano justamente para falar de fitas cassete, música analógica versus música digital, harmônicas, tempo gasto versus valor das coisas, mas ele ficou lá no rascunho do Youtube e provavelmente não viria à tona não fosse o anúncio do lançamento da trilha de Guardiões em fita (sim, vou comprar. Podem me chamar de Hipster :)

Conexão entre Bic e uma fita cassette.

Conexão entre Bic e uma fita cassette.

Eu sou um apaixonado pelo formato analógico de música, cassete e vinil. Mas também sou apaixonado por tecnologia e apesar de sentir que vinil “sounds better”, sei que tecnicamente isto não é verdade ao nível dos “samples”, mas o ruído analógico encorpa e “aquece” o som.

O digital trás as facilidades de locomoção, de distribuição, de espaço infinito. O analógico trás a sensação de prazer de estar fazendo algo com o tempo que você economizou ao usar o mundo digital :)

Há também uma relação entre a tecnologia e a maneira com que fazemos manutenção em aviões modernos. A engenharia evoluiu muito nos diagnósticos de panes e na interface com os mecânicos e pilotos, a tal ponto que se a parte de diagnóstico falhar, o mecânico ficará meio perdido para solucionar um problema. Eu sou feliz de ter atravessado a transição entre analógico e digital e me dou bem dos dois lados. Se a NET cair levando o Spotify junto, ponho a fita cassete para ouvir minhas playlists preferidas. Se o sistema de diagnóstico do avião falhar, pego o multímetro e os esquemas elétricos e vou a luta.

“When there is no quieter, there can be no loud”

O principal problema do som digital produzido hoje é na verdade a falta de “dynamic range”, da falta de harmônicos pelo fato da guerra do “mais alto é melhor”. Isto é bem percebido nos comerciais de TV, você está assistindo um programa e aí entra o comercial explodindo na sua cara – aquilo é o efeito da compressão de audio puxando tudo para cima – e o resultado disso é que você não controla mais o volume de seu aparelho de som, seja ele iPod, TV, PC. Para entender mais, vejam este post do Maestro Billy e este vídeo que explica a guerra de volume das produções atuais.

Em resumo é assim: Um música produzida antes de 2000 pode ter o volume aumentado e ficará perfeita e sem distorção. Um música produzida após aquela data já está no limite, se você diminuir o volume fica “bléh” e se aumentar, distorce.

Valendo uma camiseta do Aviões e Músicas na faixa para a melhor resposta: “O que você faria de bom para alguém gastando uma hora do seu tempo?” Capriche na resposta, gastávamos uma hora para gravar uma fita cassete de 60. Respostas aceitas até as 23h59 do dia 28 de Outubro.

UPDATE:

Concurso encerrado, o ganhador da camiseta foi o Kleber Peters, escolhido por minha esposa.

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
banner livro
Topo