banner pneufree.com

Flapper, o marketplace brasileiro de aviação executiva sob demanda

Flapper, considerada a primeira linha aérea boutique de aviação executiva no Brasil, anunciou a sua intenção de abrir operações no México ainda no primeiro semestre de 2020. A empresa cita um grande mercado interno e baixa utilização de tecnologia como os principais motivos por trás da escolha do México como seu primeiro mercado internacional. Paul Malicki, CEO da Flapper, está confiante de que isso deixará um impacto positivo permanente no cenário da aviação executiva local. O mercado mexicano é atraente para nós por uma série de razões, incluindo grande frota doméstica, proximidade com os EUA e a existência de um hub de aviação privada no aeroporto de Toluca, diz Malicki. Ao mesmo tempo, o país enfrenta os mesmos desafios que o Brasil, com pouca utilização de tecnologia e grande fragmentação do segmento de táxi aéreo. Nossa intenção é transformar a aviação privada em uma opção de viagem convencional e aumentar o tamanho do mercado existente – continuou.

Mais de 35% dos clientes da Flapper nunca voaram em avião particular antes, de acordo com Malicki. Ao oferecer assentos em aeronaves executivas e simplificar o processo de reserva de fretamentos, a Flapper afirma aumentar o uso desses serviços, especialmente entre corporações e clientes finais. O aplicativo, que atualmente conta com 160 mil usuários no Brasil, ainda não possuí a sua versão na língua espanhola e na moeda local – o principal projeto que a empresa empreendeu para 2020.

Fundadores da Flapper – Paul Malicki e Arthur Virzin

Fundadores da Flapper – Paul Malicki e Arthur Virzin

Atualmente, a Flapper já registrou seus primeiros 10 operadores de táxi aéreo e está em negociações avançadas com os investidores mexicanos que financiarão a sua expansão. A empresa avalia o tamanho do mercado em cerca de 700 milhões de dólares. Seus planos incluem oferecer voos de alta temporada entre Toluca e Acapulco, além de oferecer “pernas vazias” em todo o país. A tecnologia de cotação da empresa será utilizada por clientes de fretamentos que desejam receber preços em tempo real.

No Brasil, a Flapper já transportou mais de 10 mil clientes. Entre os mais de 450 helicópteros e aviões homologados para operações de táxi aéreo no país, a empresa atualmente comercializa 350 aeronaves e possui seus próprios processos de verificação de segurança. A Flapper também destacou sua associação com a Wyvern – um marco alcançado em dezembro. O certificado é concedido a corretores e operadores de táxi aéreo que cumprem as normas internacionais de segurança operacional, geralmente consideradas superiores às das autoridades locais de aviação civil.

Os destinos mais procurados entre os clientes da Flapper estão localizados ao longo do litoral paulista. Estrategicamente localizadas entre São Paulo e Rio de Janeiro, cidades como Angra dos Reis, Paraty, Ilhabela ou Juquehy são locais perfeitos para indivíduos de alto poder aquisitivo – muitos possuindo iates e condomínios ou visitando hotéis de luxo da região. A rota para Angra dos Reis é a mais popular, conforme a empresa expande a sua oferta de voos compartilhados semanais programados, que partem do Aeroporto Executivo Campo de Marte, em São Paulo. O voo no Caravan Grand custa menos de US$ 300 por pessoa, com capacidade para até 9 passageiros.

Apesar do Brasil ser seu principal mercado, a Flapper afirma que já fez vários voos em países vizinhos e pretende aumentar sua oferta na América Latina de língua espanhola.

Sobre a Flapper

Lançada em 2016, a Flapper é a primeira empresa de aviação executiva sob demanda do Brasil e oferece serviços de voos compartilhados e fretamentos.
A empresa opera voos regulares na região Sudeste, com 10 destinos de alta temporada em todo o país. Possui mais de 350 aeronaves para fretamento certificadas como táxi aéreo em sua plataforma e possui mais de 160 mil usuários cadastrados em seu sistema.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
banner livro
Topo