Camiseta Electra

Fly-by-wire e joysticks nos novos Legacys

legacy sidestick

Um sistema fly-by-wire ( FBW ) avançado para os novos jatos executivos ‘Legacy’500 e ´Legacy´450 foi anunciado pela Embraer, incluindo um comando ’sidestick’ , semelhante ao utilizado nos jatos Airbus e Dassault Falcon 7X. O novo sistema vai incorporar um FBW digital de três eixos de autoridade total para uma proteção intensificada do envelope ( perfil operacional ) de vôo. O computador FNW também assistirá os pilotos nas manobras evitando situações de risco como colisões. Também da mesma forma que o Falcon 7X, o sistema vai manter a razão de rolamento e arfagem mesmo quando os pilotos largarem o stick de controle, eliminando a necessidade de um ajuste no compensador ( ‘trim’). (vi no blog do Dani Duarte via Jetsite)

Eu, particularmente, acho esse um caminho errado. Sou totalmente a favor da tecnologia embarcada e totalmente contra a retirada de sensibilidade natural e visual para os pilotos. Felizmente a Boeing, mesmo com o ultra-high-tech 787 não tomou esse caminho de sidestick. Espero que essas inovações da Embraer fiquem limitadas a aviação executiva.

Tags:

Sobre o Autor

Um técnico com bom senso :) 28 anos de aviação comercial, de Lockheed Electra a Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
  • Fernando

    Lito, vale lembrar que a Boeing tomou sim como tecnologia embarcada esse sistema, nos excelentes diga-se de passagem, Boeing 777, o qual o mesmo conta sim com a tecnologia FBW.

    Abraço.

    • http://www.avioesemusicas.com Lito

      @Fernando, a Boeing usa FBW desde o 767 (nos idos de 1984). Eu trabalho com o Boeing 777, a minha queixa não é em relação ao FBW e sim ao Sidestick e Autothrust (versus Control Column e Autothrottle).

  • DURVAL PEREIRA

    PARABENS AO LITO!!!

    Há 95 mensagens atrás (como tem sofrido o rapaz) estava eu colocando no google as palavras flaps e slats procurando suas verdadeiras funções, nessa época AVIÕES E MUSICA já aparecia em terceiro no ranking goggle, hoje é primeiro, tivemos um começo meio rude mas aparamos as arestas, escrevo hoje alem de parabenizar mais uma vez para comentar, e apenas comentar, que com o crescimento da procura dessa página, a parte de COMENTÁRIOS RECENTES está ficando pequena para quem lê (e quem não lê?) todas as perguntas e respostas, principalmente para quem não acessa o fim de semana mas…ces t la vie…é apenas um comentário…

    rotate!

    • http://www.smart.dj/blog/about Lito

      @DURVAL PEREIRA, obrigado. Se todo leitor fosse igual a você eu já teria perdido a paciência a mais tempo… hahaha. Eu aumentei os comentários p/ 15, é o máximo que dá na atual configuração. Tenho planos para alterar várias coisas no Blog, só me falta tempo. Um abraço

  • Guilherme

    Posso estar sendo meio "burro" mais qual a de pilotagem de um sidestick para um manche pois os dois ecercem a mesma funçao só q um é menos e o outro é maior

    • http://www.smart.dj/blog/about Lito

      @Guilherme, desculpe mas precisa melhorar seu português. A diferença é que em sidestick não há sensibilidade nem acuidade visual de posicionamento. Na colunas há movimento, se o avião estiver descendo em situação anormal a coluna vai estar posicionada para frente, já o sidestick vai estar em qualquer lugar..

  • Luan

    Eaii Lito!!..E aquela história do Phenom que dispensa o co-piloto? Acho que a Embraer deve querer caminhar pela simplificação dos comandos,facilitando a navegação, até que gostei do novo painel, está bem bem mais limpo e simples. Se é pra melhorar né…fazer o que? Também acho que não há necessidade de tal modificação nos comerciais, mas nos executivos caiu muito bem.

  • http://hackers.propus.com.br/~marlon/blog/ Marlon

    Lito,

    Não entendi sua colocação quanto ao side stick estar em qualquer lugar. Num avião com FBW e o side stick centralizado, o avião está mantendo a atitude, não interessa qual ela seja. Isso é muito intuitivo, pois não há mudança de atitude se não houver input dos pilotos, pois o avião é auto compensado. Ou seja, não há as malditas tendências que vivem nos irritando em aviões pequenos, especialmente sem compensador de aileron.

    Não tenho conhecimento do funcionamento do input/feedback no FBW nos Boeings, mas suspeitava com fosse da mesma forma da Airbus / Falcon / Embraer novos.


    Marlon

    • http://www.smart.dj/blog/about Lito

      Vou exemplificar @Marlon: Se tiver acesso a simuladores de voo (os reais mesmo), faça o seguinte teste: Coloque-se em uma noite sem lua, todas as luzes do cockpit apagadas, sem instrumentos de atitude/velocidade, sem instrumentos de motor e o avião em uma condição anormal (45 graus de asa+45 pitch down). Imaginou o cenário?
      Agora peça ao operador para tirar o simulador de "freeze". Se for um avião com coluna de comando, vc no escuro vai levar a mão até ela e se o avião estiver picando ela vai estar para frente. Você vai "sentir" o avião e trazer a coluna para trás por um determinado curso, sem enxergar nada, até diminuir a picada. Ao mesmo tempo vai procurar as manetes e diminuir a aceleração dos motores, pois elas se movem e vc "sente" a posição delas e associa isso a uma detreminada quantidade de aceleração.
      Agora imagine o mesmo cenário em um cockpit escuro e um sidestick e auothrust: Qual é o curso que vc vai dar no sidestick? Leve suas mãos às manetes… onde elas tem que ficar pra controlar o motor?

      Isso se chama "sensibilidade natural". Pergunte a qualquer piloto que já voou um Boeing ou qualquer outro avião com coluna (mesmo o 777 que é full FBW) e foi transferido para um Airbus ou outro equipamento que possua sidestick. Você vai se surpreender com o que vai ouvir…

      • http://hackers.propus.com.br/~marlon/blog/ Marlon

        @Lito, certo. Uma dúvida que eu tenho: a coluna do B777 agindo no profundor não possui mola de retorno como no side stick? Ex: Se eu picar 5 graus e soltar a coluna, ela volta pro centro ou se mantém na mesma posição? E o avião, se auto compensa 5 graus down?
        Quanto ao auto-thrust, numa situação adversa, a última coisa que você vai querer vai ser algo um auto-thrust. Se você desarmar o auto-thrust num Airbus, as manetes funcionam normalmente como em qualquer outro avião.

        • http://www.smart.dj/blog/about Lito

          @Marlon, não é bem uma mola, mas possui um mecanismo de retorno. A diferença é que a superfície mexe de acordo com a quantidade de deflexão na coluna e não através de transdutores como nos sidesticks. Veja bem: o 777 é tão FBW qto o A330, o computador assiste o voo da mesma maneira (com menos envelopes), porém o mecanismo artificial nos Boeings simula um avião como se ele ainda tivesse cabo de comando (backdrive actuators). Se vc picar 5 graus um 777 e largar a coluna, ela vai voltar a posição exatamente como em um Cessna.
          Em relação ao autothrust, há severas restrições quando o sistema fica inoperante (é um item NO-GO se não me engano).

  • Gatack

    putaquel pariu, nao entendi porra nenhuma, é complicado pra cacete

banner aem
Topo