banner livro

Foto do dia, com explicação detalhada

A mais bela aeronave, depois do Concorde, claro!

Visto hoje aqui no Galeão o 747-243B(SF) de matrícula N540MC da cargueira americana Atlas Air. Esta aeronave tem um passado curioso. Vamos à foto, depois ao blá-blá-blá:

Atlas Air 747-243B(SF) N540MC

Atlas Air 747-243B(SF) N540MC no SBGL

Agora vocês perguntam: o que esta aeronave tem de especial, Lvcivs? Os mais velhos experimentados talvez lembrem de uma pintura especial de um Jumbo da Alitalia, empresa italiana (jura?) que voava 747-200 para o Brasil no final da década de 1990. Pois bem, essa belezura aí em cima já usou a belíssima pintura especial do bombom Baci, produzido atualmente por uma subsidiária italiana (Perugina) da suíça Nestlé. Segue a foto:

Airliners.net Photo ID 1403924:
Alitalia Boeing 747-243BM

Por fim, restam detalhes técnicos. A aeronave, quando operava na Alitalia, tinha designação 747-243BM, uma sopa de letrinhas que tem muitos significados:

  • 747-2: indica que é um 747-200, segundo modelo do Jumbo da Boeing;
  • 43: é o código de cliente da Boeing que quem encomendou o avião originalmente (Boeing Customer Code), neste caso a Alitalia, dona do código 43;
  • B: indica que é a versão melhorada do 747-200, no caso com mais capacidade de combustível, motores mais potentes e maior alcance;
  • M: indica que é uma versão Combi deste Jumbo, isto é, possui uma porta de carga atrás da 4a porta de passageiros (4L), para levar carga no deque principal. Clique aqui para um exemplo do arranjo interno deste tipo de configuração Combi.

Pois bem, esta aeronave passou por um processo de conversão para ser tornar um cargueiro puro. Na época este processo denominava o avião como SF, de Special Freighter, que anos depois mudou para BCF, Boeing Converted Freighter. Assim, hoje a aeronave teve o “M” trocado pelo “SF”, sendo designada portanto, 747-243B(SF).

Só uma nota quanto ao Boeing Customer Code: ele não muda durante a vida da aeronave, e mesmo que outra companhia receba a aeronave encomendada por outra, vale o código de quem encomendou, vide caso dos primeiros 747 da VARIG que foram originalmente encomendados pela Lybian Arab Airlines da Líbia (detalhes desse episódio no blog Cultura Aeronáutica) e das aeronaves encomendadas pelas grandes empresas de leasing para as companhias aéreas.

Lucio Daou

Tags: , , , , , , , , , ,

Sobre o Autor

Espaço dedicado aos textos dos leitores do AeM que colaboram com artigos de aviação.
Topo