banner livro

Mais um depoimento de um iniciante em manutenção de aeronaves

Depois que publiquei o email do Heinz falando de suas primeiras impressões após ter entrado em uma empresa aérea comercial como mecânico de linha, recebi um email de um ex-aluno da ETEC Santos Dumont narrando o seu início na manutenção de hangar. Segue o email, assim os novatos na profissão terão uma idéia do que acontece dos dois lados: Hangar e Linha.

Queridos professores, amigos e família…enfim, profissionais da aviação! rs

Escrevo para vocês devido a falta de tempo em ir visitá-los (alguns, virtualmente!rs) e também por aproveitar a matéria no Blog do Lito sobre o início da carreira na Aviação (relatado pelo Heinz).

Ao contrário do amigo Heinz e do que eu imaginava, não estou trabalhando em pista. Fomos contratados para trabalhar em um MRO (Maintenance Repair Overhaul), e estou muito grato por esta oportunidade de ouro, assim como ter estudado na “Escolinha” com todos os Mestres de diversas áreas da Manutenção – aliás o que mais se ouve é elogiarem a “Escola do Profº Gonça” e o Senai de Florianópolis (já fiz amizade com vários alunos de Floripa).

Aqui não tem o dinamismo de trabalhar em pista; como ver pousos e decolagens constantemente,passageiros, pilotos, comissárias e tudo mais… Mas tem o que mais importa: AERONAVES!
Temos o privilégio de ver e participar da manutenção de uma aeronave que chega para fazer desde um Check A até Check D, vendo-a ser completamente “depenada” – observando cada equipe; motores – sistemas – comandos – estrutura – célula – interna – aviônica; inspecionando e “matando” as panes.

É uma experiência muito boa você entrar em uma aeronave e vê-la realmente – o que tem por debaixo do piso falso, atrás das blades,overhead,fuselagem… ainda mais para um “novinho”,não é?! Apesar de toda pressão que a Diretoria sofre que repassa para os Coordenadores, Líderes, Inspetores, Engenheiros e Mecânicos; afinal toda empresa tem que gerar receita e apresentar lucros – o clima de trabalho é muito bom, sempre que preciso de ajuda sei que posso recorrer a alguém da minha equipe/linha ou até mesmo de outra equipe. Estou na equipe de Estrutura/Materiais Compostos e posso dizer que estou gostando e aprendendo muito.

Aqui é realizada manutenção da família Airbus 318/319/320/321/330, Boeing 767, Atr 72, Fokker 100, Emb 170/190, das empresas: TAM, Lan Chile, Azul, Trip,Mais,FAB.

Apesar de estar iniciando agora na aviação, minha perspectiva e visão já mudou mudou muito – desde ver um video de uma aeronave qualquer até visitar as Feiras e Museus.

Porém, para quem deseja crescer na carreira não basta o Curso Técnico…CCT’s são importantíssimas e o que você tiver a mais é vantagem: CREA, Inglês Fluente (com o inglês técnico você realiza as tarefas mas com inglês fluente, se destaca!), cursos de capacitação e curso superior para concorrer cargos de engenharia, inspeção, liderança futuramente.

Cada dia aprendo algo; o que fazer e o que não fazer! Segurança, clareza nas informações e sinceridade é primordial. Também me deparei com a quantidade monstruosa de documentos que devemos assinar após a conclusão de uma Work Card,FM’s,Task… E realmente o “papel” tem muita importância para todos – é através dele que se libera uma aeronave e que faz a rastreabilidade da manutenção realizada. E algo que me disseram foi: “Para ser um bom profissional e crescer você deve realizar a manutenção com responsabilidade e saber trabalhar com documentos também; ou seja; dominar a ferramenta e a caneta!”.

O método de trabalho que está implementado aqui é o “Lean”, o qual tem por objetivo agilizar o processo de manutenção aumentando a produção. É o método utilizado nos principais MRO’s mundo afora (Lufthansa,Tap e outros).

Bom, acho que por enquanto é só!

Quero agradecer aos os Mestres da Aviação pelos ensinamentos e apoio e dizer que temos que marcar uma churrascada (não é Profº Gonçalves?! rs rs).

Abraços a todos!

Victor Medici De Felice.

Aí está mais um belo depoimento, que sirva de incentivo aos iniciantes.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo