banner livro

Manutenção de Aeronaves, Matemática, Inglês e Português

Air ShowVoltando de Chicago no último domingo, estava pensando no Blog e em uma das perguntas mais frequentes feitas aqui,  que é a respeito da necessidade de se fazer curso de inglês para seguir na profissão de mecânico de aeronaves, e também perguntam muito se a matemática é muito difícil.

A minha resposta é sempre positiva: Se você quer se desenvolver e chegar a algum lugar (e não só na profissão de mecânico), você tem que aprender inglês (ou francês se quiser por exemplo ir trabalhar na fábrica da Airbus). Mas aprender inglês e matemática é a parte mais fácil, difícil mesmo é aprender o português.

Se você não souber nem ao menos escrever na lingua mãe, como espera aprender outra lingua?

Se você não souber se expressar, transmitir uma idéia, ter raciocínio lógico, como vai discutir um problema com um comandante de um Boeing 777 por exemplo?

Uma vez um leitor comentou sobre o motivo de pilotos e comissários terem mais “status” do que o pessoal da manutenção, da razão de quando uma matéria é publicada em alguma revista semanal sempre aparecerem comandantes e comissários e nunca um mecânico. Para mim, uma das razões reside justamente no fato (já histórico) de que as pessoas acham que mecânicos só precisam saber trocar peças, e para isso não é necessário ter cultura.

A indústria da aviação civil tem culpa na perpetuação desse ponto de vista, o governo tem culpa e o indivíduo também tem culpa. Os primeiros porque não aplicam os testes corretos para medir o nível cultural e nivelam por baixo, já que “isso” é o que há disponível no mercado. O segundo pela omissão em dar ensino de qualidade a todos os brasileiros e o terceiro pela acomodação de achar que é assim mesmo, “pobre deve ser mecânico e rico deve ser piloto”, então para que se importar?

Eu luto contra isso. Luto pelo respeito à profissão de técnico, que infelizmente só fui encontrar em uma empresa americana. Tento abrir os olhos de algumas pessoas para que o panorama mude aqui no Brasil também, mas quando leio alguns comentários neste Blog, em que mal dá pra entender o que a pessoa quer perguntar, fico até desanimado.

Todo mundo tem que lutar para ser uma pessoa melhor (não só na aviação), mas isso não cai no colo. Tem de estudar, tem de ler, tem de aprender, tem de suar. Só assim vamos conseguir o respeito e reconhecimento na nossa profissão.

E olha só, não precisa conhecer todas as regras de quando ocorre a crase ou do uso correto dos “porquês” ou “por que”. 

Leiam livros [de aviação], questionem [jornais], aprendam [outras culturas], não leiam só as manchetes, entendam um texto. 

Fazer isso já será um grande passo.

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo