banner livro

Mercado aéreo cresceu 21,55% em agosto

As companhias aéreas brasileiras registraram crescimento de 21,55% no fluxo de passageiros transportados em agosto em relação ao mesmo período do ano passado. Além de ser o melhor resultado para o mês de agosto desde 2001, é o segundo mês consecutivo de crescimento acima de 20%, já que em julho a expansão havia ficado em 25,68%.

A última vez que o setor aéreo registrou índices tão altos e seguidos foi no período de janeiro a junho de 2006, quando as taxas de crescimento superaram duas dezenas em todos aqueles meses.

“Já se esperava um crescimento bom em agosto, por causa da maior oferta de tarifas a preços promocionais. Além disso, o resultado reflete o que acontece na economia, que passa por uma certa retomada”, diz o especialista em aviação da consultoria Bain & Company, André Castellini. A oferta de assentos também teve forte expansão em agosto, de 20,15%, na comparação com igual período de 2008. A taxa média de ocupação dos aviões foi de 62,64%, ante 61,91% no ano passado.

Os dados foram divulgados ontem pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e as comparações históricas foram feitas de acordo com um banco de dados do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea). Os desempenhos de julho e agosto elevaram a demanda doméstica acumulada nos oito primeiros meses do ano para 8,3%, mais do que o dobro da estimativa inicial da Anac para o desempenho dos voos domésticos em 2009, de até 4%. Agora, a agência informa que a expansão não deverá ficar abaixo do resultado de 2008, que teve alta de 7,4%.

A oferta de assentos de janeiro a agosto acumula expansão de 12,12%, com a taxa média de aproveitamento dos aviões de 64,40%, o que representa um recuo de 2,28 pontos porcentuais em relação a igual período do ano passado. Castellini conta que a Bain & Company, que estimava um crescimento de até 5% no fluxo de passageiros transportados no País em 2009, já está revendo a projeção para até 10%.

O desempenho das companhias aéreas brasileiras no exterior registrou recuo de 3,43% em agosto, na comparação com igual período de 2008. Em contrapartida, a oferta de assentos teve alta de 6,1%. A taxa média de ocupação dos aviões ficou em 68,93%, diante dos 75,74% do mesmo mês de 2008. No acumulado do ano, a demanda por voos internacionais acumula queda de 6%, com recuo de 1,43% na oferta de assentos e taxa média de aproveitamento dos aviões de 67,38%, ante 70,66% em agosto de 2008.

Depois de ter a liderança ameaçada pela Gol/Varig em julho, a TAM recuperou sua folga no mercado interno em agosto, com 43,80% de participação. A Gol/Varig vem em segundo, com 40,92%. Juntas, as duas responderam por 84,72% dos voos domésticos em agosto, sendo que no mesmo mês de 2008 a participação conjunta era de 92,75% – um recuo de 8,03 pontos porcentuais. A Azul, que estreou em dezembro, é a terceira colocada, com 5%, seguida bem de perto pela WebJet, com 4,98%. A OceanAir, por sua vez, respondeu por 2,7% do mercado doméstico. Nos voos internacionais, a TAM tem 89,41% de participação, seguida pela Gol/Varig, com 10,44%.
Lembrando à aqueles que mataram as aulas de economia do transporte aéreo do professor Volney, o mercado de aviação civil é como um termômetro da economia do país;  se a aviação vai bem, o país vai bem, se a aviação vai mal o país vai mal.

Tá na hora de tirar as licenças da gaveta, se especializar e ajudar a aviação civil brasileira!

Fonte:  Último Segundo

Tags:

Sobre o Autor

Espaço dedicado aos textos dos leitores do AeM que colaboram com artigos de aviação.
Topo