banner livro

Morando fora das nuvens – As opções de moradias dos profissionais de aviação

image
Quando se fala em profissional da aviação, logo pensamos em uma pessoa que viaja bastante, conhece muitos lugares, entre outras vantagens.

É claro que em toda profissão nem tudo são flores, mas as vantagens e as experiências
adquiridas em cada voo fazem o dia a dia no trabalho ser ainda mais agradável. A pergunta que não quer calar é: Como é a moradia dos profissionais de aviação quando
não estão em suas casas com a rotina que o trabalho impõe?

O que sabemos é que quando os pilotos e comissários estão no período de trabalho acabam passando a maior parte do tempo em hotéis confortáveis (pelo menos é o que pensamos), com alimentação paga pela companhia aérea em que trabalham. É bem comum que o profissional fique hospedado um ou mais dias na cidade destino, dependendo da programação do voo.
Os pilotos e comissários fazem, sim, das nuvens a sua casa, não há dúvidas. Mas toda
pessoa também gosta e sabe da importância de ter raízes em terra firme para as quais
voltar, descansar e estar entre os amigos e familiares.

E a verdade, meu amigo, é que nenhum hotel substitui o lar, doce lar. Sites que se
especializam em imóveis em São Paulo afirmam que cada vez mais profissionais da aviação escolhem casas ou apartamentos próximos aos aeroportos por onde passam com frequência, o que só motiva o mercado imobiliário a dedicar uma atenção especial a esses profissionais.

É preciso lembrar também dos mecânicos de aeronaves, que muitas vezes estão muito distantes de suas famílias e formam repúblicas (dividem o aluguem do imóvel entre várias pessoas) , o próprio Lito já disse ter morado em república perto de Congohas no início da carreira.

Aliás, o mercado de imóveis perto de aeroportos como o de Congonhas, por exemplo, tem
crescido bastante graças ao ecossistema gerado pela aviação. Os imóveis mais
procurados são geralmente estúdios ou apartamentos pequenos que não passam de um dormitório, muitas vezes são divididos entre um ou mais tripulantes, apenas para sair da rotina de um quarto de hotel. Isso é um reflexo da vida nas grandes cidades, e para aqueles que buscam hospedagem mas ainda sem perder totalmente o sentimento de estar na própria casa, existem as opções estilo flat, ou é possível locar imóveis temporariamente, o que traz o desgaste da mudança mas isso não é nada para os nossos amigos especialistas em fazer e desfazer malas.

É claro existem aqueles que precisam se desapegar de toda a correria da profissão e
preferem encontrar um lar bem longe de tudo isso, em cidades mais calmas, sem os ruídos dos aviões, Indaiatuba é um ótimo exemplo.

A escolha, vai de cada um. O importante é se sentir confortável e ter um espaço para
chamar de seu, onde se acolher nos momentos menos atribulados e reconhecer que
mesmo para os moradores das nuvens, um pedaçinho de terra é importante.

Luana Barbosa

Tags: , ,

Sobre o Autor

Espaço dedicado aos textos dos leitores do AeM que colaboram com artigos de aviação.
Topo