banner livro

Nosso Amor Por Aviões

Na sexta-feira (9), um aluno me perguntou o porquê do meu amor por aviões. Digamos que eu falo em Manutenção Aeronáutica com certa frequência, rs… Pedi para que ele me desse o fim de semana. Sim, eu tinha a resposta, mas queria repassá-la da melhor maneira possível. Afinal, sempre tive comigo a noção de que, tudo que amamos, merece ser descrito com tempo, beleza e significado (coisa de professora metódica?).

Não interpreto bem poemas, confesso, tampouco sei produzir um, rsrs. Portanto, o texto a seguir não foi uma tentativa de fazer poesia – nem parece -, okay (haha)? Eis o que entreguei ao aluno, aqui chamado de João:

João, amamos encontrar quem a gente ama, certo?

Gosto da ideia de ver paisagens, sentir cheiros e gostos diferentes.

Partilho da opinião de que fazer novos amigos é uma das melhores coisas do mundo.

Concordo com Dumont, a vida é mais bonita quando vista de cima.

Há muita felicidade em servir. Há muita felicidade em aprender. Há muita felicidade em contribuir.  

Ninguém perde por “andar nas nuvens” de vez em quando.

Ver o sol nascendo, bem na sua frente, te deixa mais vivo.  

Saber que nem mesmo um raio pode te derrubar (rsrs), é uma sensação e tanto!

Um abraço apertado na chegada e na saída, revigora, fortifica.

O universo foi feito para nós. Aviões testemunham isso.

Física é vida.

Fico feliz quando sei que estou segura.

Para mim, João, todas essas frases possuem uma relação, direta ou indireta, com aeronaves. Muita coisa boa decorre de uma viagem de avião, de uma ida ao aeroporto, de uma olhada no céu. Aviões estão carregados de História… Faça a conexão e entenderá o porquê desse amor.

Um abraço!”

Recebi como resposta, um “bilhetinho” do moço:

Professora, o que eu preciso fazer para ser um mecânico de avião? Tem que estudar muito, né?

Devolvi:

Uh huh…”

 

Sobre o Autor

Potiguar, Professora. Ama Física, Avião e Música (necessariamente nessa ordem e em maiúsculo). Estudante de Manutenção Aeronáutica.
Topo