banner livro

Novo Simulador da Microsoft – MS Flight

Em Janeiro do ano passado, a Microsoft anunciou a demissão e desmantelamento de toda a equipe que programava o Flight Simulator. Seria o fim de uma saga de 12 edições do programa de computador mais vendido e que tem uma das maiores comunidades de desenvolvedores ao redor, produzindo literalmente um mundo de cenários e aeronaves.

Ontem, um ano e oito meses depois, um novo e inesperado anúncio colocou a comunidade em polvorosa: A Microsoft anunciou o desenvolvimento do Flight (sem o nome “simulator” agora). Não há ainda muitas informações sobre compatibilidade ou de como será o aplicativo, mas há algumas dicas em um press release no site da Microsoft do que poderá vir a ser esse novo simulador:

1- Exclusivo para Windows.
2- O “jogo”vai trazer uma nova perspectiva para o gênero, aceitando todas as pessoas, incluindo fãs de longa data, para a experiência mágica do voo. O grifo é meu, discutirei mais abaixo.
3-Será um game online, via LIVE (plataforma de jogos online da Microsoft)
4-Por ser online, você receberá créditos, ver seus amigos, enviar e receber mensagens de voz, texto, etc.
5- Updates automáticos do jogo e compra de add-ons somente através do LIVE Marketplace.

Os pontos acima foram copiados e traduzidos do press release, não há qualqeur outra informação sobre o game e o vídeo disponível no site ao que tudo indica não é uma imagem do jogo (se for, FFFFFuuuuu, vai ser killer!).
Alguns pontos a comentar: o fato de tirar o nome SIMULATOR do título é ao meu ver preocupante, pode ser só uma jogada de marketing, como pode ser também uma mudança na maneira “realista” com que alguns usuários utilizam o programa. Se ocorrer a transformação de “simulador” em “jogo”, muitos usuários não farão a migração para a nova plataforma. Não é possível saber o que ocorrerá, pois como grifei acima, de acordo com a Microsoft os usuários “antigos” serão “incluídos” no novo Flight. Já tem muita gente torcendo o nariz pra esse negócio de “créditos”e “score”, afinal “as real as it gets” computa horas e voo e não high score.

O fato do programa passar a ser “online” vai trazer vantagens e alguns questionamentos. Como vantagem, eu vejo a centralização de um local para se obter add-ons, uma loja virtual onde se pode encontrar cenários e aeronaves, tanto para comprar como “de grátis”, parecido com a filosofia da apple store para o Iphone. Ao meu ver, isto irá baratear também o preço dos add-ons, já que diminuiria muito a pirataria, deixando os desenvolvedores mais preocupados com o aplicativo do que com rotinas anti-pirataria.

Um dos meus questionamentos seria o uso de redes virtuais como IVAO e VATSIM, como elas seriam incluídas em uma plataforma proprietária como a LIVE? Como vão ficar os voos controlados? Será o fim das redes virtuais como a conhecemos?

Uma coisa é certa: nada do que se usa hoje em FS9 ou FSX vai ser aproveitado nesta nova versão, vai ser um rompimento no “engine” do jogo, para usar novas tecnologias e técnicas de programação. Todo mundo vai ter que aprender a desenvolver do zero.

Esperar pra ver, estão prometendo para o final deste ano, o que eu acho difícil a menos que todo o tempo de desenvolvimento tenha ficado guardado a sete chaves.

Tags: ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo