O absurdo final do caso da queda do Concorde em Julho de 2000

Hoje o mundo da aviação ficou perplexo com um veredito de um tribunal francês sobre a investigação do acidente com o Concorde em 25 de Julho de 2000.

De acordo com a corte francesa, a Continental Airlines e um mecânico da empresa foram os únicos responsáveis pelo acidente, e por isso o mecânico deve ser suspenso (preso) por 15 meses e a Continental deve pagar 1 milhão de Euros para a Air France e mais 200 mil euros de multa.

Pra quem não conhece a história do acidente, durante as investigações chegou-se a conclusão que um pedaço de metal havia se soltado de um motor de um DC-10 da Continental que decolou minutos antes do Concorde.
Durante a corrida de decolagem, o Concorde passou sobre este pedaço de metal, causando um estouro de um dos pneus. Pedaços do pneu perfuraram o tanque de combustível logo a frente dos motores, causando as labaredas que aparecem na foto. Um dos motores ingeriu também pedaços do pneu, vindo a falhar logo após o rotation e o outro falhou após ingerir os gases da queima junto com querosene.

O Lvcivs que escreve aqui no Blog de vez em quando conhece mais a história do Concorde do que eu, mas antes de comentar a decisão do tribunal, convém lembrar que há inúmeros relatórios sobre falhas do concorde ocasionadas por estouro de pneus, principalmente nos aviões da Air France (os da British aparentavam possuir melhor manutenção). Estas falhas nunca foram corrigidas e todas muito semelhantes ao acidente de 2000.

Em 2008 a imprensa já noticiava a “tendência” francesa de achar culpados para o acidente. Na época, o presidente da Safety Foundation já dizia:

“Assim como outras tentativas recentes de criminalizar acidentes de aviação na França, essas acusações de homicídio culposo parecem duvidosas e míopes. Se não há intenção dolosa ou flagrante de mau conduta, nós questionamos seriamente as bases para colocar empresas aéreas e profissionais da aviação através do calvário de processos penais. Além disso, estamos preocupados que os processos criminais irão desencorajar o livre fluxo de informações entre operadores e agências reguladoras, em detrimento da segurança da aviação”

A Continental, em sua página no Facebook criticou veementemente a corte francesa, informa que vai apelar da decisão e termina o texto assim:

“To find that any crime was committed in this tragic accident is not supported either by the evidence at trial or by aviation authorities and experts around the world.”

Pois bem, se haviam precedentes de vulnerabilidade da área inferior da asa nunca corrigidos, problemas com os pneus (mais de 70 reportes antes do acidente), não houve evidência de que somente o pedaço de metal foi o responsável pelo acidente, então porque esse veredito apontando só um culpado?. Porque caminhar na contramão de tudo que se conseguiu em matéria de segurança de aviação? Porque um País que tem uma história de aviação como a França pode ser tão míope?

Bem, pelos comentários lá no facebook, os americanos apostam na xenofobia: Uma aeronave Francesa (Franco/Inglesa na verdade), operada por uma empresa Francesa, mantida [na época] pelo Governo Francês e cujo órgão investigador [a BEA] é subordinado.

Não vou julgar as intenções da França neste caso, mas condeno a criminalização de acidentes aéreos, assim como quiseram fazer no Brasil no caso do Legacy X Gol e TAM em Congonhas: se todos os acidentes aéreos terminassem com o profissional na cadeia, nada se aprenderia e teríamos hoje 10 acidentes por dia.

Estou realmente surpreso com esse veredito e só diminuiu meu apreço pela aviação francesa…

Tags: ,

Sobre o Autor

Um técnico com bom senso :) 28 anos de aviação comercial, de Lockheed Electra a Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. O Aviões e Músicas possui moderadores de comentários e se reserva o direito de apagar quaisquer comentários que sejam ofensivos ou que não contribuam para uma discussão saudável. Pontos de vista divergentes são muito bem aceitos e incentivados, desde que se mantenha o mínimo de civilidade. Este é um espaço para discutirmos aviação :)
  • Lvcivs

    Apesar de ser fãzaço, acidentes não são de muito agrado meu. Mas quando passar em casa com calma, escrevo algo.

    Se eu não me engano inclusive houve uma vez uma perfuração mais séria, onde o pedaço passou pela asa inteira.

    Qualquer pessoa com bom senso ao ler sobre o acidente fica perplexa com o desleixo de alguns pontos da manutenção da Air France, especialmente na questão do espaçador do trem que ninguém sabe dizer pq estava faltando.

    Até hoje há dúvidas que jamais serão sanadas. Assim que der eu posto algumas delas aqui.

    Mas condenar já é dose, mas SÓ a Continental, é pior ainda. E o já notório desleixo da Airbus com falhas desse tipo, onde só se conserta depois do acidente? Tem algo muito errado aí…

  • João Vitor Ba

    Pois é, Lito. Pra quem pensa que é só no Brasil que temos absurdos do tipo, basta ver esse exemplo aí. Lamentável.

  • Victor Medici

    O importante não é achar os culpados, mas sim as causas diretas ou indiretas que seja…a fim de tornar a aviação cada vez mais segura. O dano foi irreparável (VIDAS) e os familiares ainda sofrem, com certeza, não adianta culpar o lado mais "fraco" só para constatar uma causa…

    LAMENTÁVEL por parte dos franceses…

  • SERGIO BIAZAO

    A França sempre tenta por a culpa no que lhes parece mais óbivo. O AFF447 , o famoso A330 que caiu no mar , decorrente do tubo PITOT, reportado problemas diversas vezes e ainda sim mantendo a aeronave no ar. Se fossem serios, proibiriam o voo da aeronave até a troca…mas isso queimaria o filme da AIRBUS, assim como adimitir que o concorde era ultrapassado em termos de segurança, queimaria o filme da aeronave.O Fato antes de nunca ter havido acidentes, deixou-os crentes que isto jamais ocorreria e nunca sanaram o óbvio. E por acaso o Brasil quer comprar essas maquinas dos Franceses. Para mim. avião é Boeing. Adorava o concorde. foi um marco..mas como o 707, já tava ultrapassado e num mundo que se fala de economia de combustivel seria como viajar toda semana de landau. Alto preço das passagens, inviabilizaram o vôo. O custo da manutenção era alto,levando em conta que apenas 02 empresas usavam a aeronave, oque leva a manutenção precária. enfim..mais um fim bobo para uma historia de glamour. Poderiam ter mais respeito com os usuarios do concorde e com os familiares das vítimas.

    • Lvcivs

      Balelas de quem não conhece o Concorde.

      A manutenção do Concorde era impecável, especialmente na British Airways. Não tinha nada de precária, muito pelo contrário, havia uma paixão e fascínio dos funcionários que trabalhavam no Concorde, quase uma devoção. Mais do que pelo próprio trabalho, as pessoas trabalhavam pq gostavam e amavam o Concorde.

      A operação na British também era conhecidamente lucrativa, principalmente depois que começaram os vôos charters.

  • Máximo

    De tudo que eu já li ate hoje, a minha opinião é formada que os Franceses sempre querem pagar para ver, de modo geral envolvendo Airbus, Air France, órgãos da aviação e tudo mais.

    Esse exemplo ai de Concorde adiministrado por Inglês funciona de um jeito e Frances de outro, já analisando estatisticamente não precisa de mais nada.

    Outra coisa curiosa é a insistência de resgatar o AF447, isso não é atoua.

  • Rafael Vieira
  • Filipe

    Nun é uma questão míope do governo..

    Mas sim, uma questãoo financeira..

    Infelizmente o mundo é assim…

    Imagina se nun voo qualquer surge um problema, o avião cai, então o responsável é o mecânico? E se houve fator externo? ¬¬

    Pensa numa situação sua Lito..

    Realmente, uma falta de conduta e bom-senso!

  • http://www.aeroentusiasta.com SIMIONI93

    Simplesmente lamentável.

  • http://www.ambientecultural.org César Lemos

    Simplesmente lamentável.²

  • Rodrigo

    Eu fiquei perplexo com o final desse caso.

    Simplesmente lamentável [3].

  • Generoso Ferrero

    Acredito que faltou isenção quanto aos fatos (acidente), assim fica fácil dizer que o mecânico é o responsável. Talvez menos patriotada

    resolveria e no final teriamos uma conclusão coerente dos fatos.

    Lamentável (4).

  • Fabrício Bell

    Pois é.. depois do vôo 447, e do 296 de 1987 que o piloto e um especialista disseram até que a caixa preta foi trocada… não boto muita fé na Air France.

    Lamentável a decisão!!

    • http://www.aeroentusiasta.com SIMIONI93

      Esse caso do voo 296 é inacreditável também… ABSURDO!

  • Rick

    Tem mais uma historinha que as autoridades francesas estão ignorando pra tentar botar a culpa em terceiros. Um espaçador de uma das rodas, que era pra estar instalado na aeronave, mas foi achado largado em uma bancada no Hangar da Air France… Fizeram até “especial” no Discovery sobre o assunto.

  • Lucas Nogueira

    Se tudo fosse levado dessa forma, o mecanico do Rubinho e a sua escuderia teriam de ser punidos tb, por causa daquela mola que se soltou e acertou Felipe Massa!!!

    Mas não.

    Quando pessoas sem importancia política e social estão envolvidas, é fácil culpá-las como foi feito com o mecânico. Depois que o piloto está morto tb é muito facil culpá-lo por um acidente, como vemos em muitos casos.

  • Gregory

    Pessoal,

    Gostaria de dar minha opinião.

    Acontece que, na França como em muitos outros países no mundo, há corrupção.

    De fato, o Concorde era uma aeronave esplêndida, excepcional. Mas era uma aeronave frágil, muito frágil, e cara de se manter. Por conseqüência, a AIR FRANCE e a British Airways, operaram essa aeronave a contra gosto. Elas foram forçadas a operar a aeronave pelos seus respectivos governos que aliás, vendeu modelos do consórcio Franco Britânico a preços simbólicos: 1 franco ou 1 libra.

    Os dois governos não foram capazes de aceitar a amarga verdade: o custo operacional era estratosférico. Ainda assim, em 1970 previa-se que no ano 2000, 70% dos jatos civis seriam supersônicos. Bem, a história se desenrolou de outra forma…

    O acidente de 2000, foi previsto por milhares de mecânicos e pilotos do Concorde (em ambos os lados da Mancha), que continuamente alertaram seus dirigentes sobre os ricos operacionais e das possíveis condições de risco latentes. No entanto, a política e o financeiro mais uma vez reinaram, e todas essas cartas, e-mails e telefonemas foram ignorados.

    Para se ter uma idéia do tamanho da insatisfação de muitos com a investigação do BEA, um grupo de ex pilotos e engenheiros do Concorde, franceses, decidiram fazer uma investigação em paralelo, e descobriram muitas outras coisas. Coisas, que o governo francês até hoje tenta esconder, porque as conseqüências seriam desastrosas. E porque no fim, o governo francês é que pagaria o pato.

    Gostaria então de salientar o meu descontentamento com essa situação. E ao meu ver o acidente do AF447 é a mesma situação. Espero que nós tiremos uma lição disso tudo: companhia Flag Carrier, Orgão de investigação, e construtora de equipamentos não podem estar nas mãos de uma só entidade ou governo. E no caso da França, elas 3 são subordinadas ao Palácio do Eliseu.

Topo