Camiseta Electra

O Boeing 767 pode decolar com os spoilers levantados? #perguntas

Pergunta do leitor

Remetente:Thiago GGarcia

Mensagem: Tudo bem? Vi um video no Youtube onde um 767 corria para decolagem aparentemente com os spoilers em “flt detent”. Há um comentário no video dizendo que é para ganhar velocidade sem decolar.
Isto é operacional? Procurei e não encontrei nada parecido.

NÃO! NÃO! NÃO!

Precisamos sempre tomar cuidado com comentários em vídeos no Youtube e em Fóruns de Discussão, muitas coisas que dizem/escrevem não faz o menor sentido.

Vamos analisar o seguinte: Spoilers são usados para “destruir” a sustentação na asa através da turbulência gerada no fluxo do ar. Turbulência é igual a arrasto aerodinâmico. Arrasto aerodinâmico é igual a perda de velocidade ou aumento de consumo para uma determinada potência. Isto é exatamente o oposto do que o comentário diz.

Tentar decolar uma aeronave com spoilers levantados em um Boeing 767 seria IMPOSSÍVEL, uma vez que ao avançar as manetes de decolagem, os spoilers (Flight e Ground) automaticamente se retraem.

_Pô Lito, então o que são aqueles spoilers levantados na asa do 767 que eu to vendo no vídeo?

A resposta é “bem simples” (desde que se tenha um mínimo conhecimento de como as aeronaves se movem em seu eixo longitudinal): Quando se comanda os ailerons de uma aeronave deste tipo, o aileron que “sobe” é sincronizado com alguns spoilers da asa. Quando o aileron sobe, você quer que aquela asa desça e a outra suba para coordenar uma curva certo? Já que você quer que a asa desça, os spoilers levantam em sincronia com o aileron e destroem a sustentação, isto auxilia o processo e permite que os engenheiros possam diminuir o tamanho dos ailerons (economizando peso), cria um sistema redundante (mesmo que o aileron trave, é possível fazer curva só com os spoilers e vice-versa) e ao mesmo tempo diminui o momento de torção da asa pela menor deflexão da superfície.

No caso deste vídeo, o spoiler está levantado porque a decolagem está ocorrendo com vento cruzado e o comandante está “dando” a asa esquerda para o vento, ou seja, comandando o “manche” para a esquerda para compensar o vento.

Veja uma filmagem de dentro do cockpit que mostra bem este procedimento, perceba que antes da decolagem o comandante comanda o aileron (coluna de controle) para a esquerda para compensar o vento cruzado. Este comando é o que causa alguns spoilers na asa esquerda subirem (na outra asa estarão bonitinhos em seu lugar: abaixados). Se o vento fosse da direita para a esquerda, o comando seria ao contrário.

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Um técnico com bom senso :) 28 anos de aviação comercial, de Lockheed Electra a Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. O Aviões e Músicas possui moderadores de comentários e se reserva o direito de apagar quaisquer comentários que sejam ofensivos ou que não contribuam para uma discussão saudável. Pontos de vista divergentes são muito bem aceitos e incentivados, desde que se mantenha o mínimo de civilidade. Este é um espaço para discutirmos aviação :)
  • http://www.facebook.com/people/Diego-Cerqueira/100002528688371 Diego Cerqueira

    Perfeito,  Lito como sempre ajudando a galera a entender melhor a aviação!

    =)

  • garciapepe22

    eu já suspeitava que o coment estava errado. Queria uma explicação técnica rss. Mas que o vídeo é assustador. Ah isso é.

  • Márcio

    Legal!

  • lvcivs

    Compensar o aileron pro vento cruzado na decolagem: Taí uma coisa que os pilotos de Concorde não sabiam o que era!!

    Essa compensação depende da sustentação, que nos aviões normais vai crescendo ao longo da decolagem conforme a velocidade aumenta.

    Só que Concorde e sua asa, não geravam sustentação durante a corrida de decolagem até a Vr. Era como um dragster pra 100 pessoas, rs. Ao aumentar o ângulo de ataque, vinha a sustentação! Isto pode ser visto neste vídeo em Oshkosh, notem como a poeira aumenta absurdamente logo após o rotate, com o aparecimento dos vórtices e a poeira subindo quando os mesmos atingem o chão:
    http://youtu.be/m0pCWn3qLyI?t=2m6s

    Tanto é que se vocês acharem vídeos de decolagens de Concorde com vento cruzado, a aeronave sai do chão retinha e logo depois começa a caranguejar devido ao vento! Digo “se” pq eu não achei vídeos no youtube.

    • garciapepe22

       É por isso então que ele sempre aparenta decolar com um ângulo de ataque bem diferente dos aviões que não tem asa em delta? O nariz aponta para cima mas ele parece não querer subir. E sempre que vejo um, ele decola e já inicia uma curva, parece mesmo não gostar de ventos.

      • lvcivs

        Não.

        Ele sobe bastante, mas só quando o ângulo de ataque está bem alto, por isso essa impressão de que não sobe.

        Mas quando sobe, sobe bem.

        Quanto à curva, é pq os vídeos são da decolagem da 31L do JFK em New York, onde Concorde tinha um procedimento especial de atenuação de ruído (Canarsie Climb), exigindo curva logo após sair do chão.

        Nada a ver essa questão dos ventos. Pelo contrário, Concorde lidava bem demais com eles. Era um avião bem dócil de voar na mão e em cruzeiro a corrente de jato era muito mais fraca que nos níveis mais baixos dos aviões normais, e por voar a 1100 nós de GS, uma corrente de jato de 200 nós atrasaria um voo transatlantico em apenas 20 minutos contra 3 horas de um avião subsonico normal.

    • GabrielAP

       O concorde era mesmo um avião sensacional! Obrigado por sempre nos brindar com essas informações!

  • Daniel Vieira Andrade

    Mas lito desculpe a pergunta, os compensadores dos ailerons não poderiam ser usados para esta função? pelo que eu conheço os compensadores são usados em vôo, mas em solo eles não teriam o mesmo efeito?

    • http://www.avioesemusicas.com Lito

      Não, não poderiam. Os compensadores (que no 767 é o próprio aileron) possuem um deslocamento muito pequeno e só servem para “trimar” a aeronave, não para compensar vento cruzado. 

      • http://www.facebook.com/people/Daniel-Vieira/100001090592394 Daniel Vieira

         Ah sim cara bleza, mas não sabia que o 767 não tinha compensador nos ailerons…interessante.

  • http://www.facebook.com/rndomingues Rodrigo Domingues

    Caramba! E que tempestade era aquela do primeiro video! Impressionante a quantidade de água que passa pela asa!

  • http://www.aeroentusiasta.com Luca Simioni

    Interessante, imaginei que fosse isso mesmo “wings into the wind”. Por outro lado, nunca imaginei que isto fosse feito até num 767… Alguém tem ideia de quantos KT’s fazem realmente a diferença na decolagem de um avião desse porte? De um PA-28-161 para um PA-44-180 eu já senti diferença… o mesmo vento para um é pouco para o outro, fico imaginando como é no 767!

  • AlexandreACW

    O ATR tem um “flight spoiler” com a premissa disso, de auxiliar em curvas com o aileron.

  • Kleber CWB

    Lito, e o  (in)acidente do E170 da United Express, que teve problemas no trem de pouso, em Newark.

  • GabrielAP

    Se minha mulher estivesse naquele 767 ela morreria do coração! A minha Sra. já morre de medo de avião depois que pegamos uma “porrada” logo após a decolagem de SBSP em um 733. Foi em um daqueles finais de tarde de verão em SP, quando a chuva ainda não desabou. Céu pretim, pretim. Pareceu uma viagem de montanha russa, com aquelas quedas maravilhosas de se sentir em um parque de diversões e não muito agradáveis em um avião, com direitos a gritos dos passageiros e tudo.
    Depois disso ela traumatizou, até quando o avião está voando, tranquilão, ela esta tensa de medo…
    Mas que o logo após dessa decolagem deve ter sido “pauleira”, a isso deve!

    • http://www.avioesemusicas.com Lito

      Essa é justamente a parte que eu acho legal…rs

      Enviado pelo meu Android Gnex
      Em 01/03/2012 12:24, “Disqus”
      escreveu:

banner aem
Topo