banner ad

Os Boeing 767-200 no Brasil

PT-TAA

PT-TAA

Cresci olhando para um quadro de um Boeing 767-200, asas azuis, prefixo PT-TAA na parede do quarto, junto com o A300 da VASP em outro quadro, sem dúvida alguma uma das maiores inspirações para mim. Um avião que chegou ao Brasil em 1983 através de um pioneirismo da TRANSBRASIL e que se juntaria a outros nove Boeing 757-200 em suas linhas de passageiros, pela semelhança operacional (mesma cabine de comando, entre outros aspectos).

Em 18 de Junho de 1983 a história deste avião começou a ser escrita no país com a chegada do PT-TAA e suas asas azuis seguida dos irmãos PT-TAB asas verdes e PT-TAC asas laranjas. O avião foi um salto para a colorida empresa que operava na época 19 aviões 727-100. O 767 foi escolhido por Omar Fontana quando a empresa iria assinar a compra de 4 Boeing 727-200, mas optou pelo 767 e 757. A empolgação de Omar foi tamanha que ele compôs uma música chamada “The 767 is Coming”, pois além de pilotar com mão de ferro sua colorida empresa, era também pianista autodidata. O TAA foi o 767 exibido pela Boeing ao mundo na feira de Le Bourget.

tab

Entraram em serviço na malha da companhia operando os vôos São Paulo – Brasília – Fortaleza e retorno, São Paulo – Brasília – Manaus e retorno e por fim e São Paulo – Rio de Janeiro – Salvador e retorno. Um pequeno detalhe: por sua excepcional performance, quando digo São Paulo estou falando de Congonhas! Esse trio de 767 iria com a TRANSBRASIL até o fim. Apenas em 1993 outros 767-200ER se juntariam à frota: o PT-TAG, PT-TAI, PT-TAJ, PT-TAK. Operaram vôos domésticos e internacionais, os arrendados saíram em 1999 (AG à AK), ficando a trinca original já em cores novas e sem as asas pintadas. No final da TRANSBRASIL todos ficaram em Brasília, onde encontram-se até os dias atuais aguardando o desmanche, sendo que o PT-TAC está com seu interior completo.

PP-VNN294

A VARIG foi outro operador do tipo no país. Entre 1986 e 2003 os 767-200 operaram na VARIG começando por dois aviões arrendados, o PP-VNL e PP-VNM e os originais 767-241ER recebidos em 1987 e operaram inúmeras rotas na empresa. Os seis aviões matriculados PP-VNN, VNP, VNO, VNQ, VNR e VNS voaram em diversos lugares, inclusive um charter para Porto Seguro-BA, além de terem servido a outros tantos destinos. A chegada dos 767-200 permitiu a retirada dos 4 Airbus A-300 da frota, voavam rotas sul-americanas e atravessaram a “lagoa” também rumo à Europa. Com a crise da VARIG os 767-200 perderam seu espaço sendo devolvidos aos proprietários, desfalcando a empresa de uma importante ferramenta, ainda que os 767-300 tenham continuado na companhia.

pr-brv

A BRA operou um 767-200 para passageiros nos anos 2000, em rotas de Natal, Salvador e Porto Seguro para Europa, era o avião PR-BRV que operou por algum tempo na companhia até a mesma falir em 2008. A operação do 767-200 ainda se repetiu nas asas da RIO Linhas Aéreas, na versão CARGO até 2012 quando a companhia retirou de operação o avião. Portanto temporariamente a história deste tipo no país se resume ao dissertado aqui, permanecendo em operação (e trata-se de outra história) a versão -300, mas este é um outro avião…

Tags: , ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
Topo