banner livro

P-40 da RAF encontrado nas areias do deserto do Sahara 70 anos após o acidente.

Em algum momento do ano de 1942, um solitário Curtiss P-40 Kittyhawk pertencente ao esquadrão 260 “HS” pousou em emergência em um remoto deserto do norte da Africa chamado Al Wadi al Jadid. Talvez por pouco combustível, talvez perdido, ou com problemas mecânicos, o piloto da RAF escolheu pousar no vasto deserto do Sahara. Com seu trem de pouso travado embaixo, pousou sobre a areia amarelada e então o trem quebrou. O P-40 com camuflagem de deserto parou sobre sua própria barriga e escorregou por alguns metros, perdendo seus radiadores e o cubo da hélice.

Depois de pousar, o piloto deixou o cockpit, fechou o canopy e desapareceu nas areias da história.

A aeronave permaneceria em seu local por 70 anos, provavelmente a maioria do tempo coberta de areia ou talvez tão fora do caminho que ninguém foi capaz de ver ou encontrar até março de 2012, quando uma equipe de exploração de petróleo avistou os destroços no Egito.

Será que o piloto se machucou? Será que seu ala ficou circulando enquanto ele pousava? Será que foi resgatado? Ou será que se perdeu pelo deserto sem testemunhas de seu destino?. Será que pereceu ao lado de sua aeronave aguardando socorro? Será que sobreviveu ao acidente e à guerra? Será que um mistério foi solucionado ou será que a história foi sequer documentada? Há muitas perguntas a serem respondidas.

Este achado é impressionante, uma vez que um esquadrão inteiro de Spitfires foi recentemente encontrado enterrado na antiga Birmânia.

Infelizmente, desde que foi descoberto, o P-40 sofreu com vândalos: amassados, buracos de bala e outros danos estão aparecendo e se nada for feito a aeronave será destruída.

As agências de notícias mencionam que o piloto acidentado era o Sargento Dennis Copping, 24 anos, filho de um dentista Britânico que se perdeu enquanto fazia o traslado da aeronave em 1942. Stocky Edwards faz menção a Copping em seu livro “Kittyhawk Pilot”. Há rumores de que a RAF (Royal Air Force) tentará encontrar os restos mortais de Copping, o que será uma tarefa bem difícil.

Vejam as fotos do P-40:

Foto de Jakub Perka

A entelagem da cauda foi destruída a muito tempo pelo sol, vento e areia do deserto.

Foto: Jakub Perka

Um close da asa direita com o compartimento de munição aberto e a caixa de munição na frente.

Foto: Jakub Perka

O nariz do Kittyhawk foi a parte mais danificada, com o cubo da roda arrancado do eixo. Olhando bem dá pra ver o V do motor Allison de 12 cilindros.

Foto: Jakub Perka

Os canos de escapamento estão perfeitos, mas a parte de baixo do motor está muito danificada, com os radiadores totalmente destruídos.

Foto: Jakub Perka

Por dentro o Kittyhawk parece em muito bom estado, com os cabos de controle ainda conectados e a fiação coberta com tecido ainda sem sinais de apodrecimento.

Foto: Jakub Perka

Canopy semi-aberto

Foto: Jakub Perka

Painel em boas condições, considerando o tempo.

Foto: Jakub Perka

Um homem segura o que parece ser os restos de um paraquedas. Será que o piloto o largou ali? Será que usou como abrigo do sol?

Foto: Jakub Perka

P-40 Kittyhawk HS-B voando.

Foto: Peter Handley

Incrível não? Dá um bom livro.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo