banner livro

Panair do Brasil

Já dissertei um pouco sobre a história da Panair do Brasil, mas não contente fui pesquisar a rede de destinos e horários que ela servia no Brasil em Fevereiro de 1965, quando foi impedida de voar por razões que contarei mais a frente.

A Panair voava no começo de 1965 com 3 DC8-33 (PP-PDS, PP-PEA, PP-PEF), 3 Caravelle (PP-PDV, PP-PDX, PP-PDZ) e diversos L1049 Constellation, PBY5 Catalina e DC3, e ainda tinham DC7 que faziam o voo da Amizade rumo a Lisboa.
Sua malha internacional era bem densa, chegava a destinos como Paris, Frankfurt, Milão, Roma, Monrovia, Londres, Madrid e Lisboa, sempre partindo de Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Na América do Sul chegava a Buenos Aires, Montevideo, Santiago do Chile, Assuncion no Paraguai e Iquitos no Peru.

DC-8 Panair - Foto de Mel Lawrence

DC-8 Panair – Foto de Mel Lawrence

Cabia aos DC8 cumprir as rotas longas e então tínhamos os seguintes voos (horários locais). Vale lembrar que a escala de São Paulo quando executada pelos DC8-33 era realizada em Viracopos/Campinas, pois Guarulhos não existia em 1965 e Congonhas não comportaria um avião como o DC8-33.

Atenção vôos que nascem em um dia e cruzam a meia noite, só terminam no dia seguinte

DC-8

Aos Domingos
PAB 041 Rio 08:15/09:05 Campinas 09:45/11:00 Montevideo 11:30/12:10 Ezeiza
PAB 032 Ezeiza 16:15/19:30 Campinas 20:10/21:00 Rio
PAB 034 Rio 22:30/01:01 Recife 01:50/10:50 Lisboa 11:40/15:05 Roma 15:50/16:50 Milão 17:30/18:30 Frankfurt

Às Segundas
PAB 026 Rio 21:00/23:30 Recife 00:20/09:20 Lisboa 10:15/13:15 Paris-Orly 14:00/14:00 Londres
PAB 035 Frankfurt 21:30/23:05 Roma 23:50/01:25 Lisboa 02:15/07:20 Recife 08:10/10:45 Rio

Às Terças
PAB 027 Londres 19:00/20:50 Paris-Orly 21:50/23:00 Lisboa 23:50/04:55 Recife 05:45/08:20 Rio

Às Quartas
PAB 029 Rio 10:00/10:50 Campinas 11:35/13:00 Ezeiza
PAB 020 Ezeiza 16:00/16:35 Montevideo 17:10/20:10 Campinas 20:40/21:30 Rio
PAB 022 Rio 23:30/10:50 Lisboa 11:40/14:40 Paris-Orly 15:30/16:40 Frankfurt
PAB 023 Frankfurt 20:30/21:35 Paris-Orly 22:15/23:25 Lisboa 00:15/05:20 Recife 06:10/08:45 Rio

Às Quintas
PAB 025 Rio 09:45/11:25 Ezeiza
PAB 026 Ezeiza 13:30/17:00 Rio
PAB 038 Rio 18:00/01:05 Monróvia 01:55/08:20 Madrid 09:20/11:00 Milão 12:00/13:00 Roma

Às Sábados
PAB 039 Roma 19:15/21:00 Madrid 22:05/01:05 Monróvia 02:00/06:45 Rio

Para girar essa malha precisavam de apenas 2 DC8 disponíveis. É sabido que a depender da demanda, os DC8 cobriam as rotas dos Caravelles para o eixo Paraguai-Chile. No entanto a utilização era pequena nessa época, algumas rotas presentes no ano anterior saíram, como por exemplo a rota de Beirute.

Caravelles

Os belíssimos Caravelles operavam um misto de rede doméstica e internacional e foi justamente cumprindo um voo doméstico (Salvador – Recife) que o PP-PDU fez uma manobra em voo afim de evitar colisão com outra aeronave e foi condenado para sempre devido a torções na asa durante o vôo. A aeronave foi desmanchada no Rio/Galeão.

Aos Domingos
PAB 063 Rio 08:00/08:50 Congonhas 09:20/09:10 Assuncion 09:40/12:25 Santiago
PAB 062 Santiago 13:30/16:00 Assuncion 16:30/20:10 Congonhas 20:40/21:30 Rio

As Segundas
PAB 061 Rio 09:30/10:20 Congonhas 10:50/12:20 Porto Alegre 12:50/13:05 Montevideo
PAB 060 Montevideo 14:00/16:10 Porto Alegre 16:40/18:05 Congonhas 18:35/19:25 Rio

As Terças
PAB 065 Rio 10:30/11:20 Congonhas 11:50/12:40 Assuncion 13:10/15:55 Santiago
PAB 456 Rio 08:00/09:55 Salvador 10:25/11:35 Recife 12:05/13:15 Fortaleza
PAB 457 Fortaleza 13:45/14:55 Recife 15:25/16:35 Salvador 17:05/19:05 Rio

As Quartas
PAB 414 Rio 07:30/09:00 Brasília
PAB 415 Brasília 10:00/11:30 Rio
PAB 474 Rio 12:00/13:30 Brasília 14:00/16:25 Belém
PAB 064 Santiago 14:30/17:00 Assuncion 17:30/21:10 Campinas 21:40/23:30 Rio
PAB 475 Belém 17:00/19:30 Brasília 20:00/21:30 Rio

As Quintas
PAB 482 Rio 08:00/09:30 Brasília 10:00/12:00 Manaus
PAB 483 Manaus 12:40/16:40 Brasília 17:10/18:40 Rio

As Sextas
PAB 414 Rio 07:30/09:00 Brasília
PAB 415 Brasília 10:00/11:30 Rio
PAB 472 Rio 12:00/15:40 Belém
PAB 473 Belém 16:30/19:00 Brasília 19:30/21:00 Rio

Aos Sábados
PAB 484 Rio 07:00/10:40 Belém 11:20/12:30 Manaus
PAB 485 Manaus 13:30/16:40 Belém 17:20/21:00 Rio

Os Caravelles desempenhavam uma integração da malha da Panair, afim de captar passageiros para abastecer conexões aos DC8 no Rio-Galeão para transportar para a Europa e vice-versa. No entanto nota-se uma baixa utilização para 3 aviões na frota, inimaginável nos dias atuais onde os aviões precisam voar, voar e voar afim de proporcionar receita aos seus operadores.

Caravelle da Panair do Brasil

Caravelle da Panair – foto sem crédito

Um interessante voo era o PAB 056/057. Operado por um DC7 da PANAIR em Parceria com a TAP, o avião ia e voltava uma vez por semana a cargo da Panair e outra a cargo da TAP. A operação por parte da Panair era indo todo quarta-feira como Panair 056 decolando do Rio as 15:00/16:10 Congonhas 16:50/21:50 Recife 23:10/06:00 Ilha do Sal 07:00/15:10 Lisboa e retornando na sexta-feira como Panair 057 decolando de Lisboa as 17:30/21:55 Ilha do Sal 22:50/05:30 Recife 06:30/11:20 Congonhas 12:00/13:10 Rio. Essa curiosa operação se manteve após a VARIG “herdar” as rotas da Panair e operou com o lendário Lockheed L188 Electra II e nos anos 80 chegou a operar com 727. Cabia ainda aos DC7 da Panair operar um voo toda segunda-feira como Panair 412 Rio 07:30/09:50 Brasília e retornando como Panair 418 Brasília 10:30/12:50 Rio.

Como processo “natural” em toda expansão ou modernização de empresas aéreas, aviões que outrora desempenhavam papel de estrela são direcionados para serviços secundários ou abertura de mercados e para os Lockheed Constellation da Panair o destino não foi diferente, ficaram destinados aos vôos até Manaus e Belém contornando o litoral Brasileiro em curiosa operação.

PAB 252 – Seg/Qua/Sex – Rio 08:00/11:10 Salvador 11:40/12:35 Aracaju 12:55/13:40 Maceió 14:00/14:55 Recife 15:25/15:55 João Pessoa 16:15/16:50 Natal 17:10/18:30 Fortaleza 19:10/20:55 São Luís 21:25/22:55 Belém
PAB 253 – Ter/Qui/Sab – Belém 06:00/07:30 São Luís 08:00/09:55 Fortaleza 10:35/11:55 Natal 12:15/12:50 João Pessoa 13:10/13:40 Recife 14:20/15:05 Maceió 15:25/16:10 Aracaju 16:30/17:25 Salvador 17:55/21:05 Rio

Essa receita de bolo do 252/253 foi mantida ao longo dos anos 70/80/90 com VASP, CRUZEIRO e TRANSBRASIL explorando os voos com 737, 727 e até A300. Um outro voo que o Constellation encarava era o Panair 244/245.

PAB 244 – Segunda – Rio 06:00/12:00 São Luís 12:30/14:00 Belém 14:50/16:10 Santarem 16:30/17:40 Manaus
PAB 245 – Terça – Manaus 06:00/08:15 Santarem 08:45/11:15 Belém 12:15/13:45 São Luís 14:15/20:10 Rio

Fica a dúvida, pois a fonte pesquisada não deixava claro se a operação dos Constellations nascia no Galeão ou no Santos-Dumont, haja vista que o Constellation poderia operar no Santos-Dumont ao contrário dos DC8 e Caravelles.

Mais que uma linha aérea, uma integração social

Mas o que mais me encanta na Panair, além de todo romantismo que a cerca pela operação rumo ao distante continente Europeu, os belos DC8 e os lindíssimos Caravelles, é a sua operação na Amazônia. Se a Amazônia de 2014 oferece entraves à aviação regional que lá existe com os valentes ATR42 dotados de GPS, GNSS(FMC), etc, imagine em 1965 com Catalinas voando para o RIO. Não o Rio de Janeiro, mas os rios da região, pousando no rio, pois campos pavimentados eram raridade. Além do Catalina, voava na região o DC3, mas para este o trabalho era “mais fácil”.

Catalina da Panair do Brasil

Catalina da Panair – foto sem crédito

Caberia aos DC3 operar rotas com maior densidade de passageiros nos campos pavimentados. Vale lembrar que na malha dos DC3 em alguns destinos não tem o horário do pouso, pressupondo que era pousar quando chegasse e partisse se possível dentro do horário de decolagem. A malha do DC3 era então:

As Segundas
PAB 376 Rio Branco 08:00/09:00 Guajará-Mirim 09:30/–:– Porto Velho 11:10/–:– Manicoré 13:25/14:50 Manaus

As Terças
PAB 363 Manaus 07:30/10:25 Porto Velho 10:55/11:55 Guajará-Mirim
PAB 362 Guajará-Mirim 12:40/13:40 Porto Velho 14:20/17:35 Manaus

As Quartas
PAB 363 Manaus 07:30/10:25 Porto Velho 10:55/11:55 Guajará-Mirim
PAB 362 Guajará-Mirim 12:40/13:40 Porto Velho 14:20/17:35 Manaus

As Quintas
PAB 352 Manaus 08:30/09:25 Itacoatiara 09:45/10:40 Parintins 11:00/11:45 Óbidos 12:05/12:40 Santarem 13:30/14:00 Monte Alegre 14:20/15:25 Altamira 15:45/17:35 Belém
PAB 375 Manaus 09:00/10:25 Manicoré 10:40/12:30 Porto Velho 13:15/–:– Boca do Acre 15:05/15:45 Rio Branco

As Sextas
PAB 394 Rio Branco 08:00/08:40 Boca do Acre 09:05/–:– Porto Velho 11:10/12:00 Manicoré 13:25/14:50 Manaus

Aos Sábados
PAB 363 Manaus 07:30/10:25 Porto Velho 10:55/11:55 Guajará-Mirim
PAB 362 Guajará-Mirim 12:40/13:40 Porto Velho 14:20/17:35 Manaus
PAB 353 Belém 08:00/09:55 Altamira 10:15/11:20 Monte Alegre 11:40/12:10 Santarem 13:00/13:35 Óbidos 13:55/14:40 Parintins 15:00/15:50 Itacoatiara 16:15/16:55 Manaus

Aos Domingos
PAB 377 Manaus 09:00/10:25 Manicoré 10:40/12:30 Porto Velho 13:00/14:00 Guarajá-Mirim 14:45/15:55 Rio Branco

Após o fim da Panair, a CRUZEIRO DO SUL operou alguns desses voos como o 352/353 com aviões YS11 “Samurai” em rotas muito parecidas e hoje podemos dizer que o espírito desse vôo se encontra no MAP5912/5913 que faz Manaus-Parintins-Itaituba-Santarem-Altamira-Belem e retorno com os ATR72.

Você já ouviu falar em Porto Afonso? Jutaí? Santo Antonio do Iça? Benjamim Constant? Letícia? Codajaz? Tapurucuara? Pois bem, dê uma olhada no Google Earth e se surpreenda. Alguns desses destinos são menores do que qualquer quadra de bairros comuns nas grandes cidades, menores hoje em 2014, imagine em 1965! E quem chegava lá? O CATALINA! A malha “Catalinense” é densa, alguns povoados indígenas como Cucuí e Pari-Cachoeira tinham seus vôos divididos, ou seja na primeira e terceira terça-feira do mês o vôo iria até Taracuá e Pari-Cachoeira e na segunda e quarta terça-feira do mês ele iria até Içana e Cucuí. Integração social pura, era o remédio, era o médico, era a civilização chegando até povos distantes.
Dando uma olhada no Rotaer, hoje para tais destinos só podem ir aviões da FUNAI ou militares.

Aí eu pergunto: por que o nome do presidente da Panair não é dado a ruas importantes em cidades por aí como vemos o nome dos seus algozes em bairros como a Pituba em Salvador, cidade que nenhum “progresso” teve oferecido por ambos. Sinceramente, em Manaus deveria haver um CATALINA DE BRONZE na entrada do seu aeroporto! Aliás em Manaus tem uma curiosa “Feira da Panair” que segundo um grande amigo que voou por lá, Cmte.Cavalcanti, o local da feira era justamente de onde partiam vôos da Panair. Nesses tempos de 1965, o Aeroporto atual de Manaus não existia e todos partiam de Ponta Pelada, onde hoje fica a Base Aérea da FAB em Manaus, mas vamos lá – vamos manter a regra de horários de partida, pois o de chegada eram indefinidos na maioria dos vôos!

As Segundas

PAB 163 Manaus 08:00/–:– Tefé 11:10/–:– Fonte Boa 12:15/–:– Jutaí 13:00/–:– Santo Antônio do Içá 13:50/–:– Benjamim Constant 16:00/–:– Letícia 16:30/18:20 Iquitos
PAB 158 Manaus 07:00/08:05 Itacoatiara 08:20/08:55 Maués 09:05/09:55 Parintins 10:10/10:50 Juriti 11:00/11:35 Óbidos 11:50/12:30 Santarem 13:15/13:50 Monte Alegre 14:05/17:20 Belém
PAB 161 Manaus 07:30/–:– Borba 08:30/–:– Foz do Aripuanã 09:20/–:– Manicoré 10:10/–:– Humaitá 11:35/12:30 Porto Velho
PAB 160 Porto Velho 13:25/14:30 Humaitá 14:40/–:– Manicoré 16:10/–:– Foz do Aripuanã 17:00/–:– Borba 17:50/18:45 Manaus

As Terças

PAB 154 Manaus 07:00/08:05 Itacoatiara 08:20/09:05 Urucará 09:15/09:50 Barreirinha 10:00/11:00 Oriximiná 11:10/12:00 Santarém 12:45/14:40 Altamira 14:55/17:25 Belém
PAB 157 Belém 08:00/10:25 Altamira 10:40/12:30 Santarém 13:15/13:55 Óbidos 14:10/14:40 Juriti 14:50/15:25 Parintins 15:40/16:25 Maués 16:35/17:50 Manaus
PAB 164 Iquitos 08:00/–:– Letícia 10:15/–:– Benjamim Constant 11:10/–:– São Paulo de Olivença 12:15/–:– Porto Afonsos 13:45/–:– Tefé 15:55/18:40 Manaus
PAB 175 Manaus 08:00/–:– Carvoeiro 09:35/–:– Barcelos 10:25/–:– Tapurucuara 12:20/–:– Mercês 13:35/–:– Taracuá 14:55/15:40 Pari-Cachoeira
PAB 173 Manaus 08:00/–:– Carvoeiro 09:35/–:– Barcelos 10:25/–:– Tapurucuara 12:20/–:– Mercês 13:35/–:– Içanã 14:20/15:00 Cucuí

As Quartas

PAB 152 Manaus 07:00/08:05 Itacoatiara 08:20/09:30 Parintins 09:45/10:35 Oriximiná 10:45/11:35 Santarém 12:20/12:55 Monte Alegre 13:10/14:35 Altamira 14:50/17:20 Belém
PAB 177 Manaus 08:00/–:– Tefé 11:00/–:– Maraã 12:15/–:– Japurá 12:55/14:55 Vila Bittencourt
PAB 172 Cucuí 08:00/–:– Içanã 08:55/–:– Mercês 10:15/–:– Tapurucuara 12:10/–:– Barcelos 13:40/–:– Carvoeiro 14:30/16:05 Manaus
PAB 174 Pari-Cachoeira 08:00/–:– Taracuá 08:55/–:– Mercês 10:15/–:– Tapurucuara 12:10/–:– Barcelos 13:40/–:– Carvoeiro 14:30/16:05 Manaus

As Quintas

PAB 155 Belém 08:00/10:25 Altamira 10:40/12:30 Santarém 13:15/14:05 Oriximiná 14:15/15:05 Barreirinha 15:15/15:50 Urucará 16:00/16:40 Itacoatiara 16:55/17:50 Manaus
PAB 176 Vila Bittencourt 08:00/–:– Japurá 11:00/–:– Maraã 12:15/–:– Tefé 12:55/14:55 Manaus
PAB 171 Manaus 08:00/–:– Tefé 11:10/–:– Carauari 12:40/12:50 Itamaraty 14:10/–:– Eirunepé 15:50/17:30 Cruzeiro do Sul

As Sextas

PAB 159 Belém 08:00/10:50 Monte Alegre 11:05/11:40 Santarém 12:25/13:05 Óbidos 13:20/13:50 Juriti 14:00/14:35 Parintins 14:50/15:35 Maués 15:45/16:15 Itacoatiara 16:30/17:25 Manaus
PAB 165 Manaus 07:00/–:– Tefé 10:40/–:– Porto Afonsos 12:05/–:– São Paulo de Olivença 13:25/–:– Benjamim Constant 15:10/–:– Letícia 15:40/17:30 Iquitos
PAB 170 Cruzeiro do Sul 08:00/–:– Eirunepé 10:15/–:– Itamaraty 11:35/12:55 Carauari 13:05/–:– Tefé 15:25/18:15 Manaus

Aos Sábados

PAB 156 Manaus 07:00/08:20 Maués 08:30/09:20 Parintins 09:35/10:15 Juriti 10:25/11:00 Óbidos 11:15/11:55 Santarém 12:40/14:35 Altamira 14:50/17:20 Belém
PAB 162 Iquitos 08:00/–:– Letícia 10:15/–:– Benjamim Constant 11:10/–:– Santo Antônio do Içá 12:50/–:– Jutaí 13:20/–:– Fonte Boa 14:25/–:– Tefé 16:05/18:50
PAB 169 Manaus 08:00/–:– Canutama 11:05/–:– Lábrea 12:25/–:– Boca do Acre 14:30/15:20 Rio Branco

Aos Domingos

PAB 153 Belém 08:00/10:25 Altamira 10:40/12:00 Monte Alegre 12:15/12:50 Santarém 13:35/14:25 Oriximiná 14:35/15:25 Parintins 15:40/16:50 Itacoatiara 17:05/18:00 Manaus
PAB 167 Manaus 07:00/–:– Codajaz 08:25/–:– Coari 09:20/–:– Tefé 10:50 13:20 Carauari
PAB 166 Carauari 12:40/–:– Tefé 15:05/–:– Coari 16:25/–:– Codajaz 17:20/18:40
PAB 168 Rio Branco 08:00/–:– Boca do Acre 09:05/–:– Lábrea 11:35/–:– Canutama 12:30/15:20 Manaus

Alguns lugares “trocaram” de nome, caso de Foz do Aripuanã, que hoje se chama Nova Aripuanã e a palavra complicadíssima Tapurucuara tem como sede Santa Isabel do Rio Negro. Aviação feita por heróis, sim heróis, voar na Amazônia é complicadíssimo!

Hoje em pleno 2014, no Aeroporto de São Paulo de Olivença, a placa de identificação do aeroporto é mais larga que a própria casinha do aeroporto. A PANAIR DO BRASIL operou entre 1930-1965, foram 35 anos de serviços ao país, uma desbravadora de territórios. Estudar malhas antigas virou uma paixão minha, entender o que era a aviação de 2000 para trás, antes de massificação de serviços é um grande prazer.

Mas também é uma tristeza quando vemos que dessa malha amazônica da Panair pouco sobrou. Desde o fim da META, RICO e PENTA muitas cidades não viram mais linha aérea regular e com a compra da TRIP por parte da Azul outras tantas sumiram do mapa da aviação comercial Brasileira.

Essa era a PANAIR DO BRASIL, onde no dia 10 em Fevereiro de 1965 a tarde, chegou em sua sede um telegrama assinado pelo Brigadeiro Eduardo Gomes, cassando suas linhas e colocando essa verdadeira lenda da aviação no chão para sempre, e favorecendo de forma claríssima e inquestionável a VARIG e CRUZEIRO. A primeira herdou os DC8 e as linhas para Europa e a última ficou com os Catalinas e Caravelles. Ironicamente, coube a TAM, preservar o nome da Panair ao pintar um Constellation que comprara no Paraguai nas cores deste ícone que até música foi! Que este artigo reverbere como uma homenagem aos pioneiros que voaram seus DC8, Caravelles, Constellations, DC3 e sobretudo o Catalina, unindo pessoas, unindo regiões…

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
Topo