banner ad

Panorama da aviação comercial – Colômbia

1459435265_Avianca

Do Chile para Colômbia, terra da Avianca, nascida lá em 1919, a segunda empresa aérea mais antiga em existência e operação no mundo (A primeira é a Holandesa KLM). A Avianca é o player dominante do mercado local, atua com aviões Airbus A318/319/320/321/330, ATR72-600 e Boeing 787-8, é parte da holding continental Avianca-Taca. Com a bandeira Avianca Cargo, usa o AOC da TAMPA e com 5 Airbus A330-243F, domina o mercado cargueiro do país.

ADA - Dornier 328

Outros players envolvem a regional ADA, com 8 aviões servindo a 19 destinos, no entanto passa por grave crise financeira, a COPA Colômbia, braço da Copa Panamá naquele país, está reestruturando a sua operação de forma a servir e alimentar o HUB da Copa, com isso até o final de 2017 não terá mais Embraer 190 em sua frota, atuando exclusivamente com o Boeing 737-700.

8176160038_9bcef5b5ba_o

A Viva Colombia é a primeira empresa de low-cost/low-fare daquele país, opera 10 Airbus A320 com presença significativa no mercado local. A regional Easy Fly recebeu alguns ATR42-500 ex-TRIP Brasil e atingiu 1 milhão de passageiros em 2015, atua com 14 aeronaves, sendo 4 ATR42-500 e 10 Bae 4100 Jetstream 41. Como não poderia deixar de ser, a LATAM tem presença no país tanto como cargueira, como passageiros. No segmento de transporte de passageiros possui 15 Airbus A320 atuando em 14 cidades do país. O operador charter e regional SADELCA, acreditem, devido crise financeira, atua com 4 Douglas DC3… por outro lado a SATENA, empresa de origem Militar, atua com ação social, atingindo 38 destinos, dos quais praticamente 30 são para servir ao país, sem lucro, o que a deixa em frágil condição financeira. Possui na frota Embraer 170, Embraer 145, ATR42-600 e ATR42-500, além dos Chineses Harbin Y12.

13

A SARPA, está em processo de fusão com a Easyfly, atua mais em fretamentos, sua frota está composta por 10 Bae Jetstream 32 e 2 Embraer 120 Brasílias, amplamente conhecidos no Brasil, pois atuaram na Rio-Sul, OceanAir, Passaredo e Air Amazonia, são os saudosos PT-SLD e PT-SLE. Em menor escala temos a SEARCA, SELVA, TAC, VERTICAL DE AVIACION.

Na Colombia, as empresas cargueiras possuem destaque no continente, são elas as já citadas LATAM CARGO, AVIANCA CARGO, AERCaribe que atua com 8 Antonovs (26/32) e dois Boeing 737-400F, a Aerosucre com Boeing 727-200 e 737-200 e LAS CARGO com Boeing 727-200.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
  • Daniel

    Ja que aqui falam sobre sobre a Colômbia, gostaria de saber se ja existe alguma investigação ou conclusão a respeito do avião cargueiro que não conseguiu decolar nos limites da pista e que acabou caindo logo em seguida matando 5 tripulantes. O fato parece que foi abafado pois ocorreu logo após o acidente com a Chapecoense.

    • Humberto Kubrick

      Nada foi abafado ,estão investigando.

      • Daniel

        Pois é. Quando não existe interesse da midia no fato as coisas parecem que demoram mais. Gravações das caixas pretas, conversas na cabine, nada foi divulgado ainda… Como provavelmente foi excesso de peso, fico me perguntando de quem é a responsabilidade de fiscalizar quanto um avião cargueiro pode carregar. E se ao invés de cair numa área despovoada esse avião caisse num estádio de futebol lotado ou no centro de uma cidade? Não tem nenhum controle nos aeroportos pra fiscalizar quanto está sendo carregado num avião? Eis uma sugestão de vídeo pro Lito!

        • Humberto Kubrick

          Aguarde as investigações antes de “apontar causas”.
          Não é somente por “excesso de peso que pode acorrer esse tipo de acidente.

        • 1) O acidente não foi abafado. A investigação está em curso e vai demorar o tempo que for necessário, como ocorre em todos os países do mundo.

          2) Órgãos de investigação de acidentes aeronáuticos não são pautados pela imprensa (felizmente, diga-se, senão incorreriam nos mesmos erros de avaliação, pré-julgamento, parcialidade e condenação sumária que afetam tantos outros órgãos).

          3) Há uma síntese do evento com o B722 da Aerosucre e um link para o relatório preliminar deste acidente no Aviation Herald: http://avherald.com/h?article=4a25fb25&opt=0

          4) Lito não é investigador de acidentes aeronáuticos. É pouco provável que ele vá fazer um vídeo com especulações, até porque reiteradamente ele reforça isso nos próprios vídeos.

          • Daniel

            A sugestão do vídeo não é para o acidente em questão, mas sim, sobre qual tipo de controle as autoridades aeroportuarias tem sobre as cargas dos aviões cargueiros, pois creio que não existam balanças pra pesar os aviões ja carregados, tais como as que pesam os caminhões nos postos de pesagem das rodovias…

  • Eu pensando que era só a Avianca. E na verdade não é muito mais que ela.

Topo