banner ad

Panorama da Aviação Comercial – Paraguai / Uruguai

PY_1
Nosso simpático vizinho de fronteira, tem um histórico “complicado” de aviação. O mercado doméstico é “inexistente”, porém sua posição geográfica é importante. O Paraguai hoje tem suas rotas operadas pela Amaszonas Del Paraguay, subsidiária da Amaszonas da Bolívia, possui 1 CRJ200 atuando na ligação troncal do país entre Assunção e Cidade del Este, chega a Montevideu e Iquique. Por outro lado temos a LATAM Paraguay, antiga TAM Mercorsur que por sua vez era a antiga LAP. A LATAM Paraguay atua com 3 Airbus A320 em intercâmbio com a LATAM Brasil.

Como algumas cidades dependem de serviço aéreo, SETAM – Serviço de Transporte Aéreo Militar que possui 2 C208B Caravan e 3 Casa C212 atua em 6 destinos do país a partir da capital. Falando em destinos regionais, este é o foco da SOL DEL PARAGUAY, que começou com 3 Fokker 100 e hoje atua com um único Cessna C208 Grand Caravan entre as cidades de Assuncion, Encarnación e Pedro Juan Caballero, com boa ocupação de seus voos.
Em certificação está a TAPSA – Transporte Aéreo Del Paraguay S.A, que usará aviões Dornier 228 para executar suas rotas.

Aeromás - Foto Antônio de Souza

Aeromás – Foto Antônio de Souza

Uruguai

Tal como nosso vizinho Paraguai, sofre com a ausência de aviação doméstica. Desde que perdeu sua tradicional PLUNA, não teve mais uma empresa de destaque no cenário mundial e continental.

Lá atuam a Aeromás, com missão cargueira usando 1 Embraer 110 Bandeirante 1 um Cessna Caravan I, a Air Class, também cargueira com 2 Boeing 727-200 e um par de Fairchild Metro III e a Amaszonas Uruguay com 1 CRJ200, sendo esta subsidiária da Amaszonas Bolivia.

A Alas Uruguay deixou de operar em 2016, era uma empresa formada por sindicato de ex-funcionários da Pluna, chegou a ter 3 Boeing 737-300, no entanto o formato de gestão não avançou e a empresa encerrou atividades.
Em resumo, atualmente o Uruguay é dominado pela Argentina, onde a Austral usa seus Embraer 190 na ponte entre Montevideu e Aeroparque e a partir deste distribui passageiros na rede de rotas da Aerolineas Argentinas. Comenta-se no interesse da Brasileira Azul em atuar naquele país com a Azul Uruguay.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
  • Rafael Klein

    A Pluna era das coisas mais interessantes do cone sul. Aviões novos, confortáveis e bonitos. E desculpa aos fãs do A380, mas avião tem que ser bonito!. Usei por um bom tempo o serviço entre GRU/GIG/BSB para MVD. Foram vôos melhores que os que fiz na mesma rota com a Tam (não havia Latam ainda).
    Uma pena os problemas que enfrentaram e o destino final.

Topo