banner livro

Panorama da aviação latino americana em 2016 – Venezuela

Foto - ©Hector Perestelo

Foto – ©Hector Perestelo

Outro país mergulhado em crise econômica e política, com crises de desabastecimento, ainda mantem uma aviação variada em tipos e empresas aéreas, são elas a Aeroandinas, Aeropostal, Albatros, Aserca, Avior, Comeravia, Conviasa, Costa, Estelar, Laser, Aerotuy, Perla, Rutaca, RAV, Sacsa, SBA, Solar Cargo, Sundance, Transcarga e Vensecar.

A Aeroandinas, opera no segmento regional, com 1 Bae Jetstream 32. Aeropostal, criada em 1929 é uma tradicional empresa local, opera 6 MD82 e 1 DC9-51, um dos últimos no mundo em operação em rotas domésticas e não regulares até Port of Spain e Bogotá. A Albatros é um operador mais jovem (2007), com aviões Cessna Caravan (2), Boeing 737-500 (1) e um trio de Embraer 120 Brasília adquiridos da extinta Air Minas do Brasil. Tem crescido verticalmente apesar do cenário interno e pretende chegar até os Estados Unidos, para tal usando aviões 737-400.

DSC_15531

Aserca Airlines criada em 1968, voa com 10 MD82/83 no segmento doméstico e chega até Aruba/Santo Domingo, é ligada a empresa SBA. A Avior é outra empresa que cresceu nos últimos anos, opera hoje 7 Boeing 737-200 e 4 737-400 com uma pintura que lembra a máscara do zorro nos seus Boeings, que por sinal chegam até Manaus no Brasil. Tem sua filial regional que opera 6 Fokker 50 oriundos da Avianca/KLM. Já a Comeravia opera 2 LET410 e tem planos de operar 737-400 para voos internacionais.

A Conviasa é a empresa estatal do país, criada para ser a sucessora da eterna e saudosa VIASA. Sua frota tem 15 Embraer 190, 8 Caravan, 4 CRJ700 e outros tipos como 737-200/400, 747, A340 e ATR42/72. A COSTA é um pequeno operador com 1 CRJ200 apenas em voos domésticos e ilhas do caribe em não regulares. A Estelar surgiu em 2008 e tem 3 Boeing 737-200 e 1 Boeing 737-300 para girar sua malha de voos domésticos. A LASER opera 10 MD80 e 2 DC9-30 em voos domésticos além de Aruba, PUnta Cana e Santo Domingo. A LTA ou simplesmente Aerotuy é uma empresa primariamente turística e tem em sua frota 1 DHC7 e 1 ATR42. A Perla Airlines voa com 2 MD80 operando inclusive voos para outros operadores devido disponibilidade em sua frota. Com 7 Boeing 737-200 e 1 Boeing 737-300 a RUTACA opera voos regulares dentro do país além do tradicional borderline como Aruba, Curacao, Punta Canan, Santo Domingo e pretende chegar até Fort Lauderdale.

A RAV, criada em 2003 voa hoje com 9 Boeing 737-200 e 2 MD82 em rotas domésticas e destino sutristicos como Aruba, Cartagena, Port Of Spain e Santo Domingo, além de Medellin e Panamá. A SACSA é mais um operador regional no continente a usar os BAE Jetstream 31.A SBA é uma empresa destacada na Venezuela, começou em 1998 (seus primeiros aviões de porte foram 2 DC10-30 ex-VARIG, PP-VMA/VMB) e hoje dedica-se exclusivamente a voos internacionais com 3 Boeing 757 e 2 Boeing 767-300 (nada mal pra quem começou regionalmente com ATR42), para o front doméstico utiliza sua coligada Aserca. Completam o time de operadores de passageiros a Sundance Air Venezuela, operando voos regionais, adivinhem com qual frota? Claro, Bae Jetstream em 3 unidades.

Na carga a Venezuela se faz presente com a SOLAR Cargo, que tem 2 MD11, 1 DC10-30, 2 Boeing 767-200 e 2 Antonov AN26 para operar desde Valencia e Maiquetía para destinos na Europa, America do Sul e EUA. A TRANSCARGA, criada por herdeiros da antiga Viasa, possui 4 A300B4 e 2 Embraer 120 Brasília totalmente cargueiros e fecham o time cargo a VENSECAR que opera em favor da DHL com 2 Boeing 737-400 e 1 ATR42-300.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Alexandre Conrado, pesquisador de aviação e profissional no segmento desde 2001
Topo