banner pneufree.com

Piloto Comercial, a profissão mais estressante de 2011

Uma pesquisa americana sobre stress no trabalho levou em consideração 11 fatores que causam stress e fizeram um ranking com as 200 profissões mais estressantes para se trabalhar. Alguns dos fatores que entraram no cálculo foram o ambiente de trabalho, a competição, demandas físicas, prazos, perigos inerentes e até potencial de crescimento.


©Dale Wilson/Photographer’s Choice/Getty Images

Em primeiro lugar – Piloto Comercial:
Média de Salário anual: US$117,060 (aprox 184 mil reais/ano ao câmbio de R$1,57)
Média de Horas trabalhadas por dia: 9

A profissão considerada mais estressante foi a de piloto comercial, de acordo com a CareerCast.com (que fez a pesquisa). Tony Lee, editor do trabalho, aponta vários incidentes recentes que demonstram como o trabalho de piloto pode ser estressante, pois são fatores que estão além do seu controle.

Por exemplo, um piloto tem que confiar cegamente no equipamento em que voa, mas alguns incidentes recentes como os danos no 737 da Southwest revelaram o quanto esta confiança pode causar tensão durante um dia normal de trabalho.

Os pilotos também têm que confiar cegamente nos operadores das torres de controle e isso aumenta o stress, especialmente depois de revelações recentes de controladores de tráfego caindo no sono durante as madrugadas e aeronaves pousando sem ajuda.

Os Pilotos também experimentam mudanças bruscas no nível de stress, saindo de períodos relaxantes enquanto não estão voando, seguindo por períodos de alto stress durante os voos, e estas mudanças são muito prejudiciais para a saúde. A profissão também é afetada pela economia, com demissões, alto preço do petróleo, corte de custos nas empresas, salários baixos, etc.

Por estas razões, piloto comercial é a profissão mais estressante do ano nos Estados Unidos.

Aqui no Brasil não é muito diferente disto, e ainda entram outros fatores como o trânsito, a falta de espaço, o congestionamento…

Mas o mais importante de tudo é compreender estas razões, saber que elas existem e fazem parte dos Fatores Humanos associados a acidentes e criar redes de segurança para não deixar que uma situação de stress afete a segurança do voo.

A matéria completa (em inglês) neste link

Tags: ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
banner livro
Topo