banner ad

Por que a tripulação fala “portas em automático”?

Pergunta do leitor Ricardo Mendes:

Em minha última viagem ouvi o comandante orientar a tripulação durante os procedimentos de decolagem e pouso com expressões “portas em automático” e “portas em manual”.
O que seriam essas orientações?

Portas são partes sagradas e essenciais de um avião. São tão importantes que definem a quantidade de passageiros que uma aeronave pode levar. Em outras palavras, um avião lotado de passageiros deve ser capaz de proporcionar a evacuação segura de todos em apenas 90 segundos, com apenas METADE das portas abertas. Por este motivo é que o Airbus A380 tem 16 portas, o 787 tem 8 e o 737 apenas 4 (sem contar as saídas sobre as asas). Quando uma aeronave falha em seu teste de evacuação em 90 segundos, a quantidade de passageiros fica restrita. O Douglas MD-11 por exemplo, foi projetado para 410 passageiros, mas porque falhou duas vezes o teste excedendo 90 segundos, a quantidade de passageiros ficou restrita a 399. Estes testes são feitos a noite, no escuro e os comissários não sabem quais portas vão funcionar (ver último vídeo ao final do post)

E é graças a este padrão de evacuação que cada vez mais sobreviventes saem sem qualquer ferimento de acidentes aéreos graves.

E o que auxilia a saída dos passageiros com tanta rapidez é um sistema acoplado às portas e chamado de “escape slide”, ou como dizemos aqui no Brasil, “escorregadeiras”, que dispara automaticamente quando se abre a porta em emergência. Para ilustrar o que é a escorregadeira, vejam o desenho abaixo: nada mais que um tobogã de criança, só que também viram barcos em caso de pouso na água, e possuem rações, sinalizadores e outros itens de sobrevivência em seu interior.

Captura de Tela 2014-01-07 às 22.43.24

_ Ora, mas se esta escorregadeira infla quando se abre a porta, por que eu nunca vi um tobogã inflado no aeroporto?

Bem, isto nos trás à pergunta original: “tripulação, portas em automático”. Antes de entrar ainda mais no assunto, vamos deixar claro que a fraseologia utilizada depende muito da Empresa Aérea e do equipamento (aeronave) utilizado. Outras empresas possuem sua própria fraseologia, mas no fundo as ações tomadas pelos tripulantes são as mesmas.

Pois bem, este sistema de escorregadeira precisa ser “armado” para funcionar. E ele tem que ser armado somente depois que tudo estiver pronto na cabine para iniciar o pushback, para se certificar que ninguém inadvertidamente abra a porta.

Funciona assim:

Depois que o capitão recebe a informação que a cabine de passageiros está pronta e que o finger (ponte de embarque) ou as escadas foram retiradas, dando sequência ao checklist ele deve anunciar pelo PA – “Tripulação, portas em automático” (PA é abreviação de Public Address, que é o sistema de anúncio a bordo). Neste momento, cada comissária deve armar a sua porta e a partir de então qualquer acionamento vai fazer o tobogã disparar, por isso a informação é dada pelo PA, para que todos tomem ciência. Este procedimento específico (e fraseologia) é adotado na TAM, posso citar que na United é diferente, pois quem emite o comando é a chefe de cabine (purser) e a fraseologia é “Flight Attendants, Arm Doors and Cross-Check”. Este comando faz com que a comissária da porta 1 esquerda por exemplo arme sua porta e verifique se a porta 1 direita foi armada, e a comissária da porta 1 direita arme a sua e verifique a porta 1 esquerda (cross-check) e assim sucessivamente para as outras portas. Check cruzado no caso não são aqueles dois tracinhos que você põe no cheque do banco :)

Pôxa, então quer dizer que se alguém tentar abrir a porta em voo, essa escorregadeira vai ficar flutuando?

Não, não, não! Não dá para abrir a porta em voo com o avião pressurizado (leiam este post que explico tudo). Mas você poderia perguntar: E se no caso de um pouso em emergência todos desmaiassem a bordo e um bombeiro ou outra pessoa se aproximasse do avião para abrir a porta, a escorregadeira ia disparar na cara do ajudante?  Não, não, não! Ao se abrir uma porta por fora, o sistema é desarmado automaticamente. A aviação não é linda? Tudo é pensado e planejado.

Ao final do voo e após o corte dos motores, o comandante da TAM dá o sinal de “Portas em Manual” (ou seja, desarmadas), e a chefe de cabine da UA dá o comando de “doors disarmed and cross-check”.

O sistema de escorregadeiras é um dos sistemas mais críticos de se mexer do ponto de vista da manutenção. Além de ser perigoso de trabalhar (pois ele é projetado para disparar e salvar vidas), não permite qualquer erro de procedimento, pois o resultado pode ser um voo cancelado porque uma escorregadeira disparou, e olha que acontece tudo em apenas 4 segundos, e o vídeo que deixo para o final ilustra bem (avancem o vídeo para 1:53)


Vídeo de evacuação do Airbus A380

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo