banner ad

Por que o piloto de helicóptero senta na direita?

Tenho certeza que em algum momento você já se fez esta pergunta: Por que o piloto de helicóptero senta na direita e o de avião senta na esquerda. Ou será que você nem sabia disso?

Resposta no novo episódio do Aerolito, assista aí embaixo.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
  • Jorge Lourenco Jr

    Acho que vc esqueceu de compartilhar o video (aparece como privado) …

    • Já está no ar, foi bug de operador do YouTube ;)

  • Clodoaldo Ramos

    Where…?

    • Já está no ar, foi bug de operado do YouTube ;)

      • Clodoaldo Ramos

        Ok, Abraço

        CR

  • Tony Coelho

    Bom vídeo Lito. Na British o comandante deveria sentar-se do lado direito…

    • Pegando gancho da “mão inglesa”…

      Uma curiosidade que nem todos sabem: os motores Rolls-Royce são os únicos que giram no sentido anti-horário (para quem olha de frente é sentido horário), os demais giram no sentido horário (anti-horário para quem vê de frente).

      RR:
      http://youtu.be/RzHObduN-L4

      GE:
      http://youtu.be/_Xb4c_KqLco

      • Tony Coelho

        Interessante, nunca soube disso Idiarte. Nos aviões com hélices também girava no sentido anti-horário? Cheguei a voar algumas vezes no antigo Avro HS-748 mas não lembro disso.

        • Não tenho certeza, Tony, mas acho que isso não se aplica aos motores turboélice ingleses, somente aos turbofans. Talvez tenha a ver com a questão do efeito-torque relacionado aos turboélices, que Lito e Gustavo já abordaram em posts. Mas eu realmente não sei e neste momento não posso pesquisar. Se Goytá estivesse aí, já matava essa charada.

          • Tony Coelho

            Pesquisei no youtube, sentido horário mesmo. Aliás, será que existe alguma aeronave cujas pás girem no sentido anti-horário?

          • Gustavo

            Aviões menores normalmente tem motores que giram para lados opostos, por exemplo os Sêneca da Embraer.

          • Luciano Gurski

            pois é, vi que houve uma polêmica com o Goytá, mas não vi o que foi… Ele se foi e não volta?

          • Na verdade não acompanhei isso, porque ocorreu bem nos dias em que eu estava envolvido com a entrega de um serviço. Só fiquei sabendo depois, porque dei falta dos comentários dele e fui perguntar ao Lito.
            Aparentemente foi tudo muito rápido para eu poder dizer que teria intervido se percebesse que Goytá estava a ponto de abandonar o barco.
            Eu acho muito chato isso. Porque há pessoas que dispensam o conhecimento alheio se o sujeito não se expressar como professor de jardim de infância.
            Alguns acusavam Goytá de ser grosseiro e arrogante (como acusam a mim, inclusive). Mas eu prefiro mil vezes alguém “grosseiro e arrogante” que tem contribuições técnicas, históricas e culturais relevantes a dar, do que alguém que fica só dizendo obviedades e puxando o saco de fulano ou beltrano.
            Vai ver que penso assim porque vou fazer 44 anos daqui a quatro meses. Goytá é ainda um pouco mais velho. Nós vamos ficando mais maduros e vamos concluindo que imaturidade é fogo.
            O fato é que agora o AeM ficou desfalcado dos comentários do Goytá, o que é uma lástima.
            E o curioso é que a pessoa que estava debatendo com Goytá estava fazendo isso de forma correta. Não foi isso exatamente que tirou a paciência dele.
            Enfim, uma pena.

          • Luciano Gurski

            também sinto falta dos comentários do Goytá… Esta intolerância que tem se apresentado na internet é complicada, as pessoas precisam aprender a conversar… De minha parte não entendo discordância como provocação ou ofensa a ninguém, e gosto de uma debate sadio… Campanha #voltagoytá

          • Rafael Rodrigues

            Considerando que o Lito tem priorizado (de forma completamente esperada) o canal, o blog fica ainda mais pobre sem o Goytá.

      • Luciano Gurski

        isto afeta de alguma forma o rendimento ou é só questão de estilo do fabricante?

        • Luciano Gurski

          como que fazem para essa gaiolinha não entar no motor?rs

          • Se você observar, há 4 hastes ali que tocam o solo.
            Isso deve ser uma espécie de trava para evitar que a proteção seja movimentada e acabe sugada pelo motor.
            Mas é bom que se diga que já ocorreram incidentes de proteções que foram sugadas e danificaram motores. Provavelmente não estavam devidamente travadas.

          • Luciano Gurski

            deve ser bem chumbadas, embora seja vazada, já pensou a pressão?

        • Não deve afetar. Ou afetar de forma insignificante.
          Se melhorasse o desempenho, as demais fabricantes alterariam o sentido de rotação de seus motores.
          Se degradasse o desempenho, a Rolls-Royce alteraria o sentido de rotação dos motores RR.
          Em uma indústria onde cada litro de QAV economizado é uma meta perseguida de forma obstinada, a RR ou as demais já teriam seguido o melhor caminho.

          • Luciano Gurski

            a não ser que a RR tenha descoberto algo que os outros ainda não descobriram… Se começarem a surgir mais motores girando para este lado podemos desconfiar…rs Vai ver é a mão inglesa…rs

          • Rafael Rodrigues

            Mas porque faria diferença no desempenho o sentido de rotação das pás?

          • Luciano Gurski

            não faço ideia, mas algo que aprendi lendo as postagens do Lito é que na aviação existem muitos detalhes que podem parecer insignificantes mas que fazem a diferença… O fato de eu não saber o motivo não quer dizer que não exista… Como no vídeo quando ele explica que nos aviões da segunda guerra era mais fácil fazer curva para a esquerda, e por isto o comandante tendia a sentar na esquerda… Nesta caso, inclusive, por conta do sentido de giro do motor… Mas lógico que uma coisa é um motor a pistão radial e outra um turbofan…

          • Rafael Rodrigues

            Sim, claro, mas isso só é aplicável a monomotores. Com um motor em casa asa, qualquer causa relacionada a torque é anulada.
            Se for algo relacionado ao entorno do motor, deve-se considerar que as asas são completamente simétricas e invertidas e qualquer diferença a favor (caso exista), seria anulada pelo motor do outro lado…

            Acho que como disse o Idiarte, caso exista, deve ser muito irrelevante.

  • Maurício JR

    Pergunta de neófito: Nos Airbus o “joystick” a esquerda não dificulta o trabalho dos comandantes, pelo menos da maioria destra?

    • rafael rodrigues almeida

      Nem tanto ao contrário do que a maioria pensa nos aviões de manche o comandante não pilota com as duas mãos no manche e uma no manche e a outra nas manetes ou em outro equipamento.

    • Gustavo

      Não. É fácil se acostumar.

  • Estava sentindo a falta do mano.

  • Clodoaldo Ramos

    E esse , qual seria o lado/ou andar que o comandante fica?

    Se trata de um Hotel five*…

    Boa Pascoa!

  • Claudio

    Alguém aí que manja de helicóptero poderia me tirar uma dúvida (eu sou leigo em asa rotativa) :
    Pode-se tirar a mão do coletivo em vôo e ele mantém a altitude? se sim, por quê? e como é que funciona (que força física se aplica a esse fenômeno?) ? O Lito poderia fazer um video sobre isso talvez, hum ??
    Grato desde já…

    • Luciano Gurski

      também tenho essa dúvida… Existe algum tipo de piloto automático ou o piloto deve controlar o coletivo o tempo todo?… Se a altitude se varia com o coletivo, o giro do motor é constante?

      • Ricardo Pestana

        Nos heli menores e mais simples sei que a rotação do motor é controlada por uma alavanca no coletivo. Por exemplo: Levantar o coletivo (aumento do ângulo das pás do rotor principal) ocasionará um aumento na demanda de potência do motor para manter a rotação dos rotores ideal para gerar sustentação ok? Só que nesses modelos de helicop isso é feito pelo piloto através dessa alavanca que citei acima. O raciocínio contrário tb é válido (abaixar o coletivo). Nos helicop modernos e maiores existe a figura do governador (FADEC,ECU,DECU, conforme o fabricante) que realiza essa tarefa sozinho além de controlar regimes de partida, limitações de temperatura, corte por overspeed etc.
        Espero ter ajudado.

        • Claudio

          Oi Ricardo, obrigado pela resposta, ajudou.
          Tem algum video legal que ajude a visualizar ?

      • João Moreira

        Helicópteros pequenos como “Robinson” também tem um dispositivo chamado “governador” que mantém a rotação do motor constante independente da atuação no coletivo. Comando primário de altitude é o coletivo. Comando primário de atitude é o cíclico.

        • Claudio

          Obrigado.

    • Claudio

      Poxa será que não tem ninguém aí no site que possa esclarecer esa dúvida que tenho sobre helicóptero? tanto visitante assíduo e nenhum que entenda de helic.. disposto a ajudar? já vi tantas dúvidas de outros serem esclarecidas logo em seguida….

    • Ricardo Pestana

      Olha vou responder pelas máquinas maiores. Vc pode sim tirar a mão do coletivo. Existe um sistema eletromecânico que o mantém na posição desejada e consequentemente na altitude, uma espécie de magnetic brake. Caso haja piloto automático um atuador será responsável pelo movimento do coletivo quando devidamente programado.
      Os PA dos helicópteros modernos são bem complexos e garantem uma grande diminuição da carga de pilotagem da tripulação. Via de regra não se fica “agarrado” aos comandos todo tempo pois há uma gama de sistemas a programar, inserir dados etc.
      Espero ter ajudado.

      • Claudio

        Muito obrigado pela respota e esclarecimento.

    • Paulo Ricardo P. Bueno

      Vc pode sim tirar a mao do coletivo durante o voo, basta aplicar fricção para q o mesmo n desça pela força da gravidade… essa fricção eh controlada para aumentar ou diminuir o esforço necessário para mover o comando, ciclico ou coletivo… n eh alta essa força… mas pode sim voar sem a mao constante na alavanca, todos helicópteros recentes (dps do bell 47) usam o sistema de governador… q mantem a rotação constante, rotação essa da transmissão principal, pois a mesma tem uma rotação maxima q pode ser atingida… pq overspeed em heli eh mais perigoso q em asa fixa… a construção dos sistemas de gerenciamentos sao varios, alguns usam FCU, outros FADEC e por ai vai…

  • João Moreira

    Helicópteros nos quais o comandante pilota na esquerda: EC 130, Bell 47, Schwizer, Hughes 500

    • Ricardo Pestana

      S70 também, Cmte na esquerda.

Topo