banner ad

Propaganda na janela e a Mídia Social na Aviação

Propaganda na janela

Vivemos em uma época imediatista em que o julgamento ocorre na velocidade da luz…ou melhor, na velocidade do Twitter. Você pode perder milhões de dólares em ações de mercado se não gerenciar bem uma crise (como aconteceu no caso do passageiro removido de um avião da United), ou pode se dar bem chamando a responsabilidade para si e respondendo de imediato.

Ontem aconteceu um fato curioso, em que um assunto postado no Reddit chamou a atenção de um cara que passa a vida voando e terminou com uma resposta do CXO (Chief Experience Officer) da empresa aérea.

Começou assim:

Ads on airplanes getting out of control. The best part of it is that the first phrase in Portuguese means: “Without barriers, without limits”. Just placing a barrier in your window. from aviation

Um usuário postou que o uso de propagandas nos aviões estava saindo do controle. E o pior é que a propaganda afixada nas janelas do 737 da GOL indicava um “mundo sem barreiras”, quando na verdade a própria propaganda era uma barreira na cara do passageiro.
Não demorou muito e um usuário do Twitter que se chama Jason Rabinowitz, que passa a sua vida voando pra lá e pra cá e escrevendo sobre a experiência do passageiro, postou uma reclamação para a GOL assim:

Ah Gol, isso não está certo. Propagandas na janela? Isso não é legal

Em seguida, endereçou o tweet pro CEO da GOL, Paulo Miranda:

Propagandas na janela que bloqueiam a visão é um insulto aos passageiros. Eu espero que você reconsidere esta ação“.

Apenas 8 minutos depois, o próprio C.X.O. da GOL respondeu o tweet:

Anotado. Verificando e trabalhando para remover [a propaganda]. Obrigado

Digam-me que outra ferramenta de comunicação atingiria o alvo tão rápido? E a presteza do Paulo Miranda em receber a mensagem, analisar e dizer que tomaria uma ação em relação a isso demonstrou um respeito ao cliente que normalmente não é visto por aí.

Empresas aéreas são mamutes muito complexos, regulamentados e difíceis de mudar o rumo. Quando um CEO em pessoa responde a uma preocupação, percebemos a força da Social Media.

_Ah, mas e a agência que criou a ação vai ficar no prejuízo?

Eu acho que muito mais gente (inclusive do exterior) acabou vendo a peça publicitária do que o originalmente planejado, então já está pago ;)

Atualizado: Paulo Miranda é CXO ao invés de CEO.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo