banner ad

Registro da passagem de um Boeing 747-400 da United por Guarulhos

No último dia 20 de Novembro passou por Guarulhos um Boeing 747-400 da United, trazendo membros de equipes de Fórmula 1 para o Grane Prêmio do Brasil. Avisei pelo Twitter para os spotters se prepararem mas não vi nenhum registro dessa passagem inédita.

Tenho apenas esses dois registros, “celulados” pelo amigo Daniel F.

United Charter 747-400 – Clique para ampliar

United Charter 747-400 – Clique para ampliar

Alguém tem mais registros?

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
  • Parece que ele precisa de um banho.

  • Rabão AZUL?!?
    Ex- atlas air???

    Lindão Lito, valeu por compartilhar
    OBs: o sistema de comentários melhorou ou é impressão a minha?

  • diego prieto

    Coisa linda isso sim é aviaooo

  • geb

    aô bonitão

  • leonardo

    http://www.youtube.com/watch?v=Y56hRtI321A

    Meu amigo Lidiel, Dono do canal GRUSBGRHD, capturou ele de varios angulos!

    • Goytá

      O vídeo do Lidiel foi noturno e totalmente escuro, não deu para ver absolutamente nada. De qualquer forma, o 747 ainda impressiona e impõe respeito a qualquer aeromaníaco. Invariavelmente lindo! Voei três vezes nele, as três na Air France (Buenos Aires-Santiago-Viracopos-Rio e alguns anos depois Rio-Paris ida e volta), e ao entrar nele (especialmente em Ezeiza e em Santiago, onde foi de escada com dois lances!), deu vontade de perguntar: “isso voa mesmo???”

      • GabrielAP

        Também voei em um 747 da Airfrance na rota Rio-Paris, quando passei o ano novo (2004/2005) por aquelas bandas.

        Achei fantástico voar em um avião daquele tamanho, lembro que havia um “mini bar” entre as cabines da classe econômica, onde podíamos pegar sanduiches e bebidas à vontade.

        Recentemente a Airfrance voltou a operar a “rainha dos céus” aqui no Rio, pois o 777 não estava dando conta do número de passageiros. Hoje são dois voos diários do Rio para Paris, um de A330 e outro de 747. Para mim não é muito difícil de escolher em qual ir, apesar do A330 ser mais silencioso e moderno.

        Toda vez

        Pelo que li, esses 747 que voam por aqui hoje estão com o interior todo reformulado, inclusive com sistemas de entretenimento individual para o passageiro, algo inexiste em 2004/2005, quando só havia aqueles telões com jeito de anos 80.

        • Goytá

          Telões com jeito de anos 80? Não, aquilo já era anos 90. Nos anos 80, que foi quando eu viajei, era uma tela de cinema mesmo, daquelas que ficam enroladas e abaixam, com projetor e rolo de filme! (Shhhhh!) Lembro que perguntamos ao comissário qual era o filme da ida e ele grunhiu entre dentes (como bom francês) “Chariots de Feu”. Ninguém tinha ainda ouvido falar do filme naquela época, era novíssimo e ainda não tinha passado nos cinemas do Brasil. Então, a maioria dos passageiros nem tomou conhecimento daquele filme desconhecido.

          Eu, como não consigo dormir em avião (só se um dia eu for riiiiiiiiiicoooo e pegar uma “sleeper seat” na primeira classe da Singapore ou Emirates…), comecei a assistir. Logo veio AQUELA música inconfundível e nem precisou aparecer o letreiro “Original soundtrack by Vangelis” que eu já sabia que era dele. Três meses depois, ele ganhou o Oscar de melhor filme (e melhor trilha, lógico). Meus colegas de viagem morreram de ódio, pois perderam a oportunidade de ver o filme em avant-première…

          Mas já havia o minibar (acho que é tradição da Air France e conta pontos para ela). Eu ia lá pegar Coca-Cola toda hora. E mesmo na “ipsilone” o espaço entre as poltronas era bem razoável.

          • Tony

            Dessas telonas, me lembro que na Varig para acordar os passageiros botavam um filme com pássaros piando e aumentavam a iluminação aos poucos. Um pré-sky interior.

            Na affaires do A330 montam esse bar no vão da segunda porta. Canapés, doces caramelados e champagne nacional, muito desagradável tudo isso. Qu’est-ce que tu penses M. Goytá. Comme dizait le grand poète Français Noël Rosá “Quelle souffrance mon Dieu de la France”.

            Outro dia vc falou sobre a chegada da Virgin, que por sua vez foi comprada (49%) pela Delta.

            A Delta está abrindo seu escritório para América Latina em SP e hoje os papéis da Gol subiram 8,33% por boataria que a Delta vem aí. Será?

          • Goytá

            As coisas melhoraram um pouco, então, porque quando viajei, no minibar só havia “des boissons”, mesmo… Sou diabético, mas eu arriscaria um “marron glacé” Calisson d’Aix ou um “macaron” da Ladurée, “s’il y eux avait” (como sempre digo, Deus me mantém pobre para me castigar pela minha soberba!). Uma tacinha de Bollinger Brut também não me mataria e só me deixaria feliz… :-)

            Quanto à Virgin, a Delta comprou a participação que era da Singapore na Virgin Atlantic, mas o Richard Branson já tinha mesmo participação minoritária não só na VS como em todas as suas outras companhias aéreas (Virgin America, Virgin Nigeria e Virgin Australia). Aqui não seria diferente, até por causa da exigência de maioria de capital nacional no setor (a Azul foi uma exceção porque o David Neeleman nasceu aqui e tem dupla cidadania). Mas ninguém duvide que Branson tem uma “golden share”, voz ativa, decide os rumos e não tem a menor vocação para Niki Lauda (que conseguiu ser expulso das duas empresas aéreas que criou). A Delta pode vir, que Branson deve vir atrás. Acho ótimo!

          • Pierre

            Si vous écrivez en français, faites-le bien SVP: “s’il y eux avait” n’existe pas. On dit “s’il y en avait” dans ce cas particulier.

          • Goytá

            Mon français est très rudimentaire et je faisais un blague, si vous ne comprenez pas, donc vous êtes priés de NE PAS REMPLIR LE SAC! :-)

          • Pierre

            SVP, pour un français soigné, veuillez utiliser le verbe correctement: On écrit disait et pas “dizait” d’accord?

          • Tony

            Cher Pierre, le poète est mien, Il diZait comme il voulait. kkkkkkkk

            Parece que não tem nada pra fazer, ficar corrigindo texto alheio.

          • Pierre

            Vai tomar no k!|U&$

        • lvcivs

          777 foi colocado na rota enquanto os 747 passavam por revisões, incluindo a atualização do interior.

          • GabrielAP

            Não foi o que os sites especializados disseram na época.

            Na ocasião da entrada em serviço do 777-300, ressaltaram a modernidade da aeronave e a cabine mais luxuosa:
            http://milepoint.com/forums/threads/air-france-introduced-b777-300-to-gig-this-week-replacing-747-400.9641/

            Ao passo que quando do retorno do 747-400, ressaltaram os grandes eventos que serão realizados no RJ e a necessidade de oferta de mais assentos (são 70 a mais na classe econômica!):
            http://www.voovirtual.com/t19700-air-france-volta-a-operar-com-747-na-rota-rio-paris

          • lvcivs

            A info q eu li na época era que o 744 ia ser revitalizado e que provavelmente retornaria. Provavelmente pq a Air France já estava desativando alguns dos 744, então ficou algo no ar. Acabou que a demanda continuou alta.

            Não faria o mínimo sentido reduzir oferta sem um bom motivo, pois o voo já é famoso por estar sempre cheio. Tanto que a Air France tem grande interesse em substituir o 744 pelo A380.

            E não acredite de olhos fechados em press-releases, eles sempre dizem o politicamente correto, que não necessariamente é a verdade.

          • GabrielAP

            Não acredito de olhos fechados, apenas mencionei a fonte da informação, que alias me pareceu muito lógica. E se há vôos sempre lotados, para mim também não faz sentido substituir todas as aeronaves, mas sim fazer um revitalização gradual, de modo a continuar atendendo a demanda. A não ser que a AF tenha um hangar para revitalizar uns 10 B747 ao mesmo tempo! :)

      • Comandante Goytá, achei interessante a parte do “isso voa mesmo???” ! Esse mesmo pensamento me ocorreu ao embarcar no já cansado modelo da TAAG a caminho de Luanda em 2008, só que no caso o temor era pela manutenção mesmo … rs. Mas uma pergunta para quem entende do assunto: Se esse modelo é chamado de “O” 747 e é “UM” avião, porque baralhos o chamam de “rainha” ?!?!? Abração !

        • Goytá

          Porque não fomos nós que inventamos esse título, e em inglês, qualquer tipo de embarcação é considerada feminina e se usam os pronomes correspondentes: “she” e “her”, e não “it” e “its”. Então, é “Queen of the Skies”, embora eu realmente ache o 747 um avião muito macho!

          Tenho um amigo, de Campinas, que trabalhou em Luanda, mas foi um pouco depois dessa época (de 2009 até 2011).

          • 2 anos em Luanda ?! Então esse é mais macho que o 747 !!! rs … valeu a explicação ! Já tava com essa pergunta “na manga” pra fazer em Everett em janeiro/2013. Abração.

          • Bruno

            Até navios são no feminino

  • GabrielAP

    A visita de um 747 nunca passa despercebida. Curioso em saber a origem desta ave, descobri no airfleet.com que ela voou a primeira vez em 06/09/1996, sendo que foi entregue à United logo depois. Em 2011 ela foi alugada para a Atlas Air e, um ano depois voltou para a United, ocasião em que ganhou essa pintura, meio United meio Atlas Air, em uma economia de gosto duvidoso.

    Vi também que este avião só é usado para voos charter. Fiquei impressionado em saber que há demanda suficiente em tais voos para a empresa manter uma aeronave deste porte somente por conta disso.

    • Tony

      Talvez este 747-400 seja adaptado exclusivamente para transporte do circo da Fórmula 1.

  • Márcio

    Andei pesquisando na internet e ainda não achei nenhum registro fotográfico da passagem desta Rainha da United por aqui.
    Dia 15/11 eu estava nos fundos da minha casa quando ouvi aquele sonzão encorpado, olhei para o céu e, para minha surperesa, era um 747 passando “baixo e devagar” o suficiente para que eu identificasse essa pintura azul no estabilizador vertical e em grande parte da cauda. Posteriormente, um amigo piloto de uma companhia nacional confirmou que era um 747-300 da Atlas Air. Foi algo incomum aqui nos céus de Pirassununga, tão acostumado com aviões militares. Realmente uma grata surpresa!
    Um dia ainda faço um voo na Rainha!

  • lvcivs

    O Lucas Tavares registrou!! Assim que achar a foto, posto.

  • Déborah Rodrigues

    É um REI mesmo!

  • Jackson de Souza

    Pois é, sujo ou não é sempre uma grande “ave”, literalmente. Acho que vai demorar bastante para o A380 provocar tanto impacto (ou emoção) como queira, quanto o 747.Foi o primeiro jumbo e será sempre a “rainha”. A historia de construção desta bela maquina já é incrível, mais incrível do que o fato dela mesma voar.
    Bom restinho de domingo
    forte abraço

  • Heleno

    Olá Hoje 18-12, o time do corintians desembarcou em um boeing 747-400 da Lufthansa

  • Pareçe que esse 747 era da Continental?

  • No aeroporto do galeao aqui no rio, sempre tem um 747-400 da air-france estacionado no primeiro gate do terminal 1 se nao me engano. parece que após a queda do a330 em 2009 com quem dividia o trabalho da rota rio-paris, o jumbo ficou solitario no aeroporto carioca. tenho muita vontade de viajar em um

Topo