banner pneufree.com

Se o FBI disse, deve ser verdade né?

Eu já tinha dito que não comentaria mais sobre a possibilidade de invasão de um sistema de avião através do sistema de entretenimento, mas como saiu em toda a imprensa mundial que o FBI “disse” que um hacker “comandou” um avião em voo e eu recebi centenas de emails/twitters/facebooks com a mesma pergunta, aqui vão meus dois centavos:

Em primeiro lugar: O FBI não informou ou disse NADA, absolutamente NADA. Quem disse isso foi o tal hacker Chris Roberts, que se auto-intitula “pesquisador de segurança”. Este é o link para o depoimento dele ao FBI. Os agentes federais estão lá para investigar o caso e colher depoimentos, e não para “dizer”ou “informar” coisa alguma como toda a imprensa adorou publicar. Tuitei sobre isso no dia 18 logo após notícia do J.O.G.

Em segundo lugar: o próprio “hacker” já disse que “não foi bem isso que eu disse, eu falei outras coisas em outro contexto mas publicaram aquilo e eu não posso comentar [porque é investigação do FBI].

“That paragraph that’s in there is one paragraph out of a lot of discussions, so there is context that is obviously missing which obviously I can’t say anything about,” he said. “It would appear from what I’ve seen that the federal guys took one paragraph out of a lot of discussions and a lot of meetings and notes and just chose that one as opposed to plenty of others.”Trecho da Wired

Em terceiro lugar: Talvez não seja tão fácil assim, nas palavras do “gênio”:

“Eventually, Roberts and his research partner determined that it would take a convoluted set of hacks to seriously subvert an avionics system, but they believed it could be done. He insisted to WIRED last month, however, that they did not “mess around with that except on simulation systems.” In simulations, for example, Roberts said they were able to turn the engine controls from cruise to climb, “which definitely had the desired effect on the system—the plane sped up and the nose of the airplane went up.”Trecho da Wired

Traduzo: Roberts e seu sócio chegaram a conclusão que seria necessário uma série de hacks complicados para subverter um sistema de aviônicos, mas eles acreditavam que poderia ser feito. […] Em simulações, eles conseguiram mudar o regime do motor de “cruzeiro” para “subida” e que foi observado que o simulador acelerou e subiu o nariz.

Ao que me consta não voamos em simuladores de laboratório e sim em aviões de verdade, néam?

Em quarto lugar: Para remover um pouco dessa fantasia que a maioria das pessoas e órgãos de imprensa acreditam, sinto informar que as coisas não são simples como nos filmes de Hollywood. E sinto informar também que projetistas de sistemas que transportam centenas de seres humanos a 900 km/h por distâncias enormes e cujos sistemas são responsáveis por pousar esse pedaço de metal pesando toneladas, não são criaturas inocentes que não sabem o que estão fazendo. Por que digo isso? Porque todos agora acreditam que o maluco conseguiu “dar um comando de acelerar” a um motor de um 737NG e que ele percebeu que o avião iniciou uma curva.

187ac0c07589106b8960177779659f31303c8b6a3b12962f78ba1c18f62ced24

Como sou muito responsável com tudo, segue apenas um pequeno esquema do AutoThrottle (A/T) do 737NG para derrubar a teoria do vivente (jamais publicaria o esquema inteiro por razões óbvias):

jkm6be5S copy

 

Essa imagem, retirada do manual de manutenção de um 737NG igual ao que moço disse que invadiu, mostra o seguinte: Existe um sistema separado (caixa vermelha) que monitora constantemente o sistema de A/T, caso seja detectada qualquer anomalia, INCLUÍNDO timing, um sinal de INVALID é gerado e vai para uma porta lógica “OR” que vai causar…tcharãn… o desacoplamento do A/T como um todo.

Tá, mas vai que esse sistema que monitora tenha sido corrompido pelo rácker. Não há o que temer, há um outro sistema (caixa amarela) que monitora as manetes e a diferença de potência entre os motores, e se isso ocorrer gera um sinal de alto nível na entrada da mesma porta lógica “OR” e … tcharãn… novamente o A/T desacopla como um todo.

O que isso significa? Significa senhores, que mesmo que déssemos crédito ao que o barbudo falou, o avião não teria acelerado apenas um motor pois dois sistemas independentes monitoram de perto muito mais coisas do que a vã filosofia do careca imagina e desacoplaria a aceleração automática. E isso é só um rascunho muito simplificado de toda a lógica que envolve apenas e tão somente o sistema de aceleração automática, que a propósito, nem é um sistema essencial para o voo.

E para encerrar o papo de como a imprensa lucra com o medo 24×7, tuitei isso:

Já perceberam que nos jornais da noite, muitas vezes temos vídeos mostrando um bandido atirando contra a vítima e ele é chamado de “suspeito” e que cometeu um “suposto crime”? Você está vendo o cara atirar, você está vendo o político recebendo o dinheiro, mas não se pode afirmar, apenas “suspeitar”. A imprensa leva isso a sério porque é responsabilidade jurídica.

No entanto, um cara qualquer diz que controlou um avião através de uma caixa embaixo do assento e isso vira fato verídico, comoção, e o pior, ainda colocam a chancela de que um órgão federal de investigação “confirmou” a informação.

Quando vamos parar para questionar as informações que nos jogam?
Já tivemos linchamento e assassinato de uma mulher no Guarujá por causa de um boato de bruxaria, quantos mais linchamentos serão necessários?

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
banner livro
Topo