banner livro

Sobre spoilers e speed brakes

Alberto Perguntou:

@Lito: Uma vez em aproximação Rio de Janeiro, 737-200, vi os spoilers sendo acionados, nunca tinha visto isso em vôo. Isto é um procedimento comum para reduzir velocidade para o pouso?

É um procedimento comum usar os spoilers em voo (no caso que você citou se dá o nome de speedbrake), mas não serve para reduzir a velocidade para o pouso (essa é uma função dos flaps).
A foto abaixo mostra os speed brakes atuando num Boeing 767737. A função principal dos speed brakes é aumentar a razão de descida de uma aeronave sem aumentar consideravelmente a velocidade. E com licença da analogia, seria como descer uma serra bem íngreme de carro com a segunda marcha engatada, ou seja, apesar do carro estar embicando pra baixo, a marcha segura a velocidade num limite determinado (claro que em avião é diferente, já que as descidas podem ocorrer com o nariz do avião levantado, mas a analogia tá valendo). Um outro exemplo: Digamos que um avião consiga descer 3000 pés em um minuto, mas para isso atingiria 270 nós de velocidade. Com os speedbrakes levantados, ele poderia descer a 5000 pés/minuto com a mesma velocidade (números totalmente fictícios apenas para ilustrar).

Muitas vezes, durante o planejamento de descida para um aeroporto, o controlador do espaço aéreo pode solicitar que um piloto cruze um fixo (ponto na rota) a 10.000 pés com 250 nós de velocidade por exemplo. E muitas vezes, para descer rápido e atingir esse ponto sem extrapolar a velocidade, os speed brakes são usados e provavelmente foi isso que aconteceu no seu vôo.

Spoilers Speed Brakes 767

Nesta foto dá pra perceber que existem umas placas levantadas (os speed brakes ou flight spoilers) mas também tem outras placas que não estão. Estas outras podem ser de dois tipos: Ground Spoilers (como o nome diz só abrem no pouso, com o avião já no solo, para destruir a sustentação da asa e pôr por peso nas rodas para aumentar a eficiência dos freios) e flight spoilers, que auxiliam a inclinar a asa durante as curvas e com isso diminuir a superfície dos ailerons mantendo a mesma eficiência.

Tags: , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo