banner ad

Turbulência de céu claro fere 27 pessoas, que estavam sem cinto.

Um voo de rotina da Aeroflot de Moscou para Bankgok não terminou bem para 27 pessoas que estavam a bordo quando a aeronave enfrentou uma forte turbulência de céu claro. A aeronave VP-BGD, um Boeing 777-300ER transportava 313 passageiros quando durante a descida para o destino encontrou CAT (Clear Air Turbulence / Turbulência de Céu Claro). A aeronave pousou normalmente na pista 19R de Bangkok, mas os passageiros que estavam sem cinto não pousaram muito bem.

Turbulência é o tema que mais causa medo nas pessoas que têm medo de voar e que fazem coaching comigo. Entendendo o que ocorre e porquê ocorre gera uma sensação de conforto muito maior nos voos (para saber detalhes sobre o coaching para quem tem medo de voar, envie um email para comercial @ avioesemusicas.com).

Eu já disse aqui, aqui e aqui que todos devem manter o cinto de segurança afivelado o tempo todo caso estejam sentados. Esse caso da Aeroflot ilustra bem: a aeronave já estava em procedimento de descida, então não era hora de ir ao banheiro ou estar sentado sem o cinto. Enquanto houver passageiros relutantes em seguir as normas de segurança, teremos notícias de pessoas feridas dentro de um avião.

Se você acha que é brincadeira o que pode acontecer, vejam este vídeo simulado de um evento que aconteceu em um avião da Air Canadá e foi investigado pelo TSB, órgão de investigação e prevenção de acidentes daquele país.

Eu disse no twitter que um avião não se machuca na turbulência e que os pilotos sempre estão com os cintos afivelados. Em relação à primeira afirmação, é claro que existem exceções: entrar em um CB carregado de granizo vai causar alguns machucados em um avião, mas o fato é que o avião continuará voando e pousará normalmente. Já a segunda afirmação foi “combatida” por vários seguidores dizendo que diversos vídeos no YouTube mostram os pilotos soltando o cinto após a decolagem.

Ah meus jovens, isso que vocês veem eles soltando não é o cinto de segurança, é o “shoulder harness”. Os cintos dos pilotos são de 5 pontos, que devem estar obrigatoriamente afivelados durante pousos e decolagens. Após determinada altitude ser atingida, eles podem soltar apenas os pontos dos ombros, e é isso que os jovens viram nos vídeos. Acharam que eu estava mentindo ou acharam que é sempre “sorte” nenhum piloto se machucar durante turbulências severas? Vejam neste desenho, eles soltam apenas a parte verde.

Assento de um observador – similar ao dos pilotos.

E como você pode garantir que não acontece nada com o avião?

No início deste ano um avião a jato executivo entrou em uma esteira de turbulência de um Airbus A380 e pousou em emergência. Todos os 5 passageiros se machucaram e o avião deu perda total. Então pode acontecer algo grave?
Bem, em primeiro lugar é preciso entender que uma esteira de turbulência é um evento causado por outra aeronave, não é um fenômeno meteorológico “natural”, por isso muito mais grave e que já causou diversos acidentes no passado. Em segundo lugar, o avião pousou, ou seja, permaneceu voando apesar da violência do encontro (Davi x Golias). O fato de ter dado perda total se deve ao fato do modelo ter ultrapassado os limites de Força G para o qual foi projetado.

Quando aeronaves são desenhadas, elas possuem limites estruturais bem definidos, nos quais nós da manutenção baseamos nossas decisões. Por exemplo, quando um avião encontra turbulência severa, a manutenção tem que fazer uma inspeção especial, que é “faseada”. Quando se encontra algo errado em algum lugar, passa-se à próxima fase. Se na fase 1 estiver tudo “ok”, encerra-se o processo e o avião volta para a linha de voo.

Trecho de Manual de Manutenção

Raramente a inspeção passa para a fase 2, o que indica uma resistência estrutural super dimensionada para enfrentar fenômenos atmosféricos. Portanto, ao enfrentar turbulência, relaxe que o seu avião está passando muito bem, mas não esqueça de manter o cinto afivelado.

Tags: , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
  • Ramon Silva

    Isso aí Lito! Como sempre muito esclarecedor. Abraço!

  • João Marcelo Gomes Carreira

    Parabéns Lito. Suas explicações sempre são pertinentes. Se os passageiros lessem essas explicações antes de voar, o medo deles cairia bastante. Cintos de segurança sempre afivelados é a melhor garantia para um voo tranquilo. Abraços pra você.

  • Joel Sanches Jr

    Muito bom. Eu sempre voo “afivelado”.

  • Reginaldo Neves

    Manow… criar um questionário sobre aviação pra nois… vamos testas nossa mentes com tudo que o grande mestre Lito ja explicou!!!!!!!

  • Alessandro

    Sempre voo de cinto, costume que meu pai que viajava muito sempre falou na minha cabeça desde pequeno.
    Já vi durante voos turbulencias de ceu claro que as pessoas chegaram a bater as cabeças nos compartimentos de bagagem e felizmente sem graves consequencias. interessante que depois dessa devo ter ouvido uns 50 cintos afivelando logo em seguida com medo.

    • Eli Rarvor

      Já vi isso também e só se ouve os cliques dos cintos, mulher ao meu lado puxou tão forte a tira que chegou a sentir dores, eu disse, não precisa exagerar, ai ela se agarrou na poltrona da frente e começou a berrar para todos os santos conhecidos.

      Foi triste, ela entrou em panico, e meus tímpanos sofreram, fiquei horas com um assovio no ouvido e lembrando dos gritos estridentes da pobre coitada.

      Ela só parou de gritar e rezar, sei lá, uns 10 minutos depois que acabou a turbulência e a aeromoça chegou para tentar ajudar, a coitada ficou rouca.

      Para mim pareceu que foram duas horas de gritos.

      • Klein

        Eu já peguei uma louca/maníaca/fobíaca/retardada ao meu lado, já começou na fila de embarque falando que o avião ia cair, eu não dou bola, mas já tinha um monte de gente com medo, quando fui sentar, estava a danada do meu lado. Porto Alegre nunca esteve tão longe de SP e um fone de ouvido nunca fez tanta falta a uma pessoa, a louca não calou a boca um minuto, algumas comissárias já conheciam a mala e tentaram acalmar ela, que falou que ia ligar pra auditoria da cia. e elogiar elas, até que o avião passou em um “buraco” (zona de baixa pressão) e deu um mergulho (mas foi bem leve), aí ela começou a dizer que o piloto tinha dormido em cima do manche e que ia denunciar ele pra ANAC, INFRAERO, Policia, ONU, pra o Papa, etc. Que stress que passei!

        • ar-sousa

          Meu Deus kkkkk!!Estresse, paranóia também!!Mas pode ser um medo “normal” kk!!

        • nubia_tavares

          HAAHHAHAHAHAHAHA uma vez peguei uma louca (no auge do meu meu de avião) que ficou o voo inteiro berrando (foi voo com turbulência o tempo inteiro) que o avião ia cair e eu, morrendo de medo, tentando acalmar a maluca.

  • Joel Gayeski

    Aposto uma bala 7 Belo que esse pessoal que se machucou não usa cinto de segurança no carro também.

    • ar-sousa

      Confesso que eu também cometo esse erro de não por o cinto!Mas é aquela coisa: consciência da gente tudo bem, mas as empresas de qualquer transporte deveriam exigir isso do passageiro!!

      • Rafael Rodrigues

        Elas exigem! Se você é cego e surdo, aí já não é com as empresas.

  • Não sei se me espanto mais com quem ainda não mantém os cintos afivelados em voo, ou com quem passa anos acompanhando o AeM e não absorve o que lê.

    • Ricardo Braz

      Obrigado pela lembrança.

  • Raquel Lopes de Souza

    Ultimamente por causa da correria do trabalho, não estava tendo tempo para acompanhar o site e o canal. Mas hoje resolvi dar uma pausa para ler o post e relembrar o tanto que o A&M é bom pra minha vida!

  • Olá, Lito! Parabéns pelo trabalho (ou seria hobby?!) que tanto nos informa entrete! Tenho uma pergunta que não tem muito a ver com o tópico mas vamos lá. Considerando, numa escala de 0 a 100, que sua confiança em voar num 737 digamos da Gol, hoje, atinja a nota 100 (maior confiança possível), isso levando em conta além de todos aspectos de segurança da aeronave, da precisão dos rebites aos computadores, os procedimentos de segurança de toda operação que envolve um vôo, do check in, passando pela torre de controle e o controle de tráfego aéreo ao desembarque na ponte, qual seria sua confiança em voar (de 0 a 100) num 707 em 1960 ou num Lockheed Constellation em 1946? Obrigado e um abraço!

    • Enderson Rafael

      Vou arriscar a resposta do Lito: 100. Porque na época eram o melhor que havia ;-) Mas comparando as estatísticas dá pra fazer uma conta. Para vc ter ideia, a Varig operou 20 Boeing 707 e perdeu 6 (30%). A Gol operou mais de 150 737 e perdeu um (0,6%) – e mesmo assim, não foi em nada culpa sua. A média mundial de perdas do 707 é de 14%, contando todos os perfis de aviação civil, de chefes de estado a cargueiro na África. Já a Pan Am, maior operadora do 707, também perdeu 6 aeronaves, mas operou 5 vezes mais que a Varig, ou seja, 120
      (5%) – o que descarta a possibilidade de as estatística da seis vezes piores da Varig serem típicas da sua época. Então, eu chutaria uns 70. Tem que ver o que o Lito chutaria. ;-)

      • Fala Ederson! Adorei sua resposta, os dados que apresentou… Muito legais e pertinentes as colocações! Bem, não sei se o Lito terá tempo para responder, então convido a todos a darem suas opiniões! Um abraço.

        • Enderson Rafael

          abraço!

    • Eu não saberia quantificar, mas com certeza a aviação hoje é pelo menos 100% mais segura que em 1960, não só pela tecnologia aeronáutica em si, mas pelo entendimento dos fatores humanos que afetam a segurança. Grande abraço.

  • Gustavo Silva

    Melhor coisa do mundo: turbulência.

    • Me matriculei num curso de comissário porque adorei as turbulências. Me fez sentir vivo.

      • nubia_tavares

        pqp ahahahaha, rindo horrores

  • Eli Rarvor

    Esse povinho cético do twitter, um bando de marmota nutella que adora contrariar toda informação é um pé na unha encravada. Credo…

  • ar-sousa

    Prezado Lito e leitores. Vocês já relataram aqui que todos os aviões são seguros, muito bem.Porém tenho percebido (talvez uma impressão ou ignorância mesmo kk) que é muito difícil acontecer acidentes com o pássaro B777 e quando acontece muitos passageiros saem vivos graças a Deus e ao projeto do avião!!E aí?

    • Pela lógica, se Deus interferisse em acidentes aeronáuticos ele deveria ter impedido inúmeras tragédias, que resultaram — somadas — em milhares de mortos. Acho que nós devemos exaltar são engenheiros, mecânicos, pilotos, brigadas de incêndio, equipes de resgate e comissários — que infelizmente muitos pensam que são apenas garçons e na verdade são peças-chave em evacuações de emergência.

      • ar-sousa

        Mas pela lógica também é impossível as coisas começarem do nada, pois tudo que existe é bem projetado!!Enfim o assunto é aviação, voce saiu do assunto e não eu!!

        • Eu não saí do assunto: apontei uma contradição na tua colocação e respondi o que de fato faz passageiros sairem vivos de acidentes aeronáutcos. Você é que aparentemente já está querendo debater a origem do Universo, o que é outra coisa.

Topo