banner ad

Um Boeing 737-800 da PEGASUS saiu da pista durante o pouso em Trebizonda na Turquia

Pegasus 737 após o pouso em Trabzon

Pegasus 737 após o pouso em Trabzon

Um Boeing 737-800 da Pegasus Airlines, matrícula TC-CPF saiu da pista após o pouso em Trebizonda (Trabzon em inglês), não houve feridos apesar da evacuação em emergência. Há vídeos na internet de passageiros filmando a evacuação.
A Pegasus é uma companhia aérea Low-Cost turca baseada em Istambul, e opera desde 1990, com uma das tarifas mais baixas da Europa.

As imagens após o acidente são impressionantes, mas não revelam o que pode ter acontecido durante o pouso. Como é de se esperar, neste momento há muita especulação sobre problemas nos freios, o piloto deveria ter arremetido, problemas de reversor, “derrapagem” e mais uma infinidade de “palpites” aleatórios.

Não é possível saber neste momento o que houve, apenas os fatos: Pouso noturno, chuva fraca e quase sem vento. O avião tinham menos de 5 anos na empresa (isso é quase zero quilômetro na aviação) e não será recuperado. E para quem está curioso em saber como vão tirar este avião de lá, deem uma olhada neste vídeo em que mostro como se tira um avião de situações assim.

A investigação vai revelar o que ocorreu para essa excursão de pista, se fatores humanos ou mecânicos (ou os dois) contribuíram e qual a causa raiz, muito embora a Turquia não tenha um histórico muito bom em liberar os resultados de investigação de forma transparente como a maioria dos países, o que não contribui para a segurança aérea.

Este acidente reforça uma tendência atual na aviação – apesar de graves, as pessoas têm saído ilesas de acidentes em que há perda total da célula, o que demonstra que algumas ações de engenharia e de procedimento operacional de cabine têm surtido um efeito positivo na segurança.

Aguardemos então a boa vontade do órgão investigador da Turquia para termos um relatório preliminar e entender como isso pode ter acontecido.

Tags: , , , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
Topo