banner pneufree.com

Um “quase” acidente e o pânico na arremetida

Eu quase consegui ler a matéria abaixo sem rir. Eu achei quase  matéria de tabloide, quase originalmente amadora. Eu quase deixei passar sem comentar, mas não é todo dia que presenciamos um quase acidente não é mesmo?

Leiam este primor e depois minhas considerações.

dourados

Começamos bem com a palavra PÂNICO e ARREMETE na manchete, senão não tem graça. No texto temos o “quase grave acidente” por “falta de instrumentos adequados”. Bem, se quase houve um grave acidente, então deve ter havido pelo menos um acidente moderado ou leve, não?

Não, não houve, então poderíamos chamar de quase operação normal….mas vamos em frente que tem mais coisa. A falta de instrumentos adequados no aeroporto eu nem vou comentar, pois isto engloba uma alta porcentagem de aeroportos no Brasil nas mesmas condições e as aeronaves modernas podem fazer aproximações RNAV até os mínimos, e isso independe de equipamentos do aeroporto.

Continuando, “o piloto teria se perdido no momento do pouso“…gente, se perdido como? Não sabia onde era o banheiro, onde era o cockpit, ou o quê?

Por pouco não tombou o avião na lateral da pista” – Ah, então não tava tão perdido assim, afinal conseguiu chegar na lateral da pista, quase tombando…quase tombando…

Exercício de imaginação. Vejam a foto abaixo e imaginem duas asas no caminhão tombando, e pensem: a asa bateria no chão ou não? heim? Heim?

sem-titulo-8

O avião da Azul danificou as asas? Não né…. ah tá, eu esqueci que foi QUASE uma tombada…

A aeronave aterrisou na pista contrária” Qual pista contrária? Era para pousar em uma direção e ele pousou na outra? Mas se ele aterrisou então não arremeteu? Ou ele arremeteu depois de aterrisar? Mas se aterrisou então não estava perdido? E se estava perdido então arremeteu e não aterrisou? Mas aterrisou na pista contrária… fiquei confuso.

O avião ainda bateu com a roda no solo“… bem, não sei se vocês sabem, mas para aterrisar um avião é necessário que ele tenha contato com o solo, e de preferência através de suas rodas equipadas com pneus. Ah, mas pode ser que o piloto seja filho de um troll e só tocou a roda antes de arremeter para criar mais pânico..

O avião seguiu para o aeroporto de Campo Grande” Mas gente, ele não aterrisou? Tá escrito ali em cima que aterrisou na pista contrária!! Ou será que a pista contrária é a de Campo Grande e não de Dourados?

Desculpem o jeito de escrever assim debochado e cheio de ironias, mas percebe-se num texto assim a total falta de informação “entendível” para o público. De tudo que foi escrito neste texto sobram apenas o resultado final gravado nas mentes dos que têm medo de avião: “pânico” e “arremetida”.

O que deve ter acontecido de verdade neste caso: A tripulação efetuou a aproximação para Dourados de acordo com as cartas RNAV, atingiu os mínimos sem avistar a pista, arremeteu e foi para Campo Grande, exatamente como manda o manual. Arremeter faz parte da segurança do voo, sempre foi e sempre será.

Todo o resto aí descrito são dejetos de búfalo.

Referência: http://www.diariodigital.com.br/geral/aviao-nao-consegue-pousar-em-dourados-e-arremete-causando-panico/139406/

Tags: , , ,

Sobre o Autor

Graduado em Manutenção de Aeronaves, com muito bom senso :) 30 anos de aviação comercial (e contando), de Lockheed Electra à Boeing 787. Tentando simplificar a complexidade da aviação.
banner livro
Topo